HOMENAGEM DE WANDA ALBUQUERQUE A “CÉU”

 

Tive a honra de ser colega de Maria Celeste Leite Silva Moura desde o ginásio – Colégio Nossa Senhora Auxiliadora (D. Anfrísia) e depois fomos internas nas Irmãs Ursulinas (Soledade). Prestamos vestibular juntas para Estudos Sociais (que na época compreendia História, Geografia e Sociologia) na UCSAL e tivemos como mestre o grande MILTON SANTOS… “Céu”, como a chamávamos, foi uma grande pesquisadora e colaboradora dele, tendo recebido uma bolsa para dar continuidade aos seus estudos na França… Mas ela optou por cuidar da sua família de origem e por isso não foi… Prosseguiu seus estudos em uma pós-graduação que se transformou posteriormente em MESTRADO ACADÊMICO na UCSAL. Após o casamento, retornou a Valença em 1962…

“Céu” sempre foi muito educada, doce, responsável ao extremo e muito comprometida com tudo que fazia… Desde aquela época já despontava a liderança e a grande gestora educacional que viria a se tornar. Sua competência à frente da direção dos dois colégios e sua incansável militância pela EDUCAÇÃO VALENCIANA a tornaram uma das mais brilhantes educadoras e uma das mais ilustres filhas dessa terra…

Sr. Pelegrini, minha neta Marcinha é comentarista do seu blog e quando leu esse post, achou similaridade com a nossa formação e me questionou… Tomei um susto, pois não sabia que ela estava doente…

Quero me solidarizar com os familiares e amigos, de forma especial com a cidade de Valença que chora a partida dessa grande mulher e vive seu luto…

Uma perda lamentável e uma lacuna insubstituível… A saudade é eterna e ainda ouço sua voz firme/suave dizendo sempre que nos encontrávamos: Wandinha, que saudade! Lembra disso… Lembra daquilo… E na despedida, sempre com palavras carinhosas dizia: Você não mudou nada… Continua a mesma menina de olhos vivos e um sorriso cativante… Pois agora amiga “CÉU”, sou eu que digo… Seu brilho no olhar e seu sorriso acolhedor nos acompanhará para sempre nas nossas lembranças e você continuará vivendo em nós através do nosso amor e das nossas memórias!

Wanda F. Albuquerque

27 thoughts on “HOMENAGEM DE WANDA ALBUQUERQUE A “CÉU”

  • junho 30, 2010 em 11:26 am
    Permalink

    Tia Wanda, que homenagem mais linda! Com certeza a Profª Maria Celeste deve estar cercada de muita luz, pois quem vive de forma coerente com os prícípios éticos, respeitando o ser humano e tendo amor, o equilíbrio, a justiça e a coerência como bússola, só pode ser uma pessoa comprometida com a causa da EDUCAÇÃO e com certeza estará ao lado do PAI no reino dos céus!

  • junho 30, 2010 em 11:39 am
    Permalink

    Muito mais que competente profissionalmente, Profª Celeste era COMPETENTE COMO GENTE… A conheci no Morro de São Paulo, quando minha tia teve um rápido namoro com seu filho… Ela era o acolhimento personificado… Sorriso largo e cativante, portas abertas e mesa farta… Sempre nos convidando… Amorosa ao extremo, emprestou-nos travesseiros (forrados de cetim, chique demais), pois os da pousada onde estávamos hospedados era muito duro e mofado… Íamos tomar banho na sua casa todos os dias, pois no Morro faltava água… E todos os dias, ela nos esperava com um suquinho e bolachinhas… Um encanto! Nunca mais a vi, mas jamais esqueci aquele carinho… Professora Celeste, imagino a falta que a senhora está fazendo a sua família, aos seus amigos e a cidade de Valença… Perder uma mulher desse quilate, dessa grandeza, não é fácil!

    Meus sentimentos aos familiares e amigos e aos muitos orfãos de Valença!

  • junho 30, 2010 em 12:03 pm
    Permalink

    Vi no JORNAL A TARDE que ela faleceu no Hospital Jorge Valente e Tia Wanda disse que com certeza ela foi uma das mais ilustres filhas dessa terra e uma das grandes educadoras da Bahia… Pró Celeste era uma mulher simples, jamais ostentou seus títulos, que não eram poucos, pois sua competência e compromisso inabaláveis falavam por si… Minha tia perguntou: Porque o prefeito não decretou luto? E eu respondi: O prefeito não decretou luto, porque esse cidadão não prioriza a educação, haja visto escola e creches fechadas!

    Que absurdo… Se fosse a morte de um de seus deputados COPA DO MUNDO, aposto que teríamos a Bandeira a meio pau e luto de 3 dias…

    Olha Pelegrini, um povo que não valoriza a sua história merece mesmo é ser comparado a RATO DE ESGOTO, que vivem na sargeta e nos subterrâneos, nos esgotos!

  • junho 30, 2010 em 12:07 pm
    Permalink

    Amigo Pelegrini – depois de ouvir por várias horas o relato de minha vó sobre essa admirável educadora cuja morte Valença chora e se enlutesse, penso no grande Rubem Alves: Há professores EUCALÍPTOS e há EDUCADORES JEQUITIBÁS… Jequitibás são árvores seculares, de raízes profundas e copa frondosa… Já eucalíptos, são essa raça sem vergonha que cresce depressa, para substituir as velhas árvores seculares que ninguém viu nascer e nem plantou. Para certos gostos fica até mais bonito: todas enfileiradas, em permanente posição de sentido, preparadas para o corte e para o lucro.

    Nessa crise de educação em que vivemos, pensar nesses ninchos ecológicos onde vicejam e florescem JEQUITEBÁS, é uma raridade… Ser EDUCADOR é vocação… E toda vocação nasce de um grande amor, de uma grande esperança, completamente diferente de ser professor!

    Professora Maria Celeste, GRANDE EDUCADORA, que a senhora parta em paz, na certeza que muitas sementes foram plantadas e que os doces frutos serão saboreados ainda por muitas gerações, pois investir na EDUCAÇÃO é semear o futuro!

    Seu exemplo de ética e cidadania permanecerá em todos que a conheceram e à sua família, meu abraço respeitoso e de profunda reverência pela grande pessoa que foi essa MULHER!

    VIVA MARIA CELESTE LEITE SILVA MOURA, A EDUCADORA JEQUITIBÁ!

  • junho 30, 2010 em 12:17 pm
    Permalink

    Pelegrini, porque o Tio não decretou LUTO OFICIAL pela perda dessa grande educadora? Será por descaso, falta de memória ou ele, de forma mesquinha não soube separar a BRILHANTE PROFISSIONAL que comandou a educação valenciana por mais de 30 anos e formou várias gerações da mãe de seu adversário político, Ricardo Moura?

    Se foi a última hipótese, tenho que concordar com Marcelo Jr. sobre uma observação que ele fez em outro post – ESSE PREFEITO É UM LOUCO, COM ATESTADO DE DOENTE MENTAL REGISTRADO EM CARTÓRIO… Pobre Valença, que além de ter esse armengueiro como prefeito, ainda perdeu uma educadora preciosa como a Professora Maria Celeste!

    Meus sinceros sentimentos a família, amigos e a cidade de Valença!

  • junho 30, 2010 em 12:24 pm
    Permalink

    Cadê a Câmara de Vereadores que não se posiciona sobre a perda dessa educadora? Pelegrini, acho isso tão estranho! Que galera insensível e desmemoriada! Ramiro, todos sabem que não tem mais jeito, mas, e esses vereadores de meia pataca? Aposto que correndo atrás de votos dos deputados copa do mundo, não é mesmo? ELES SE MERECEM… QUEM NÃO OS MERECE É VALENÇA!

    Viva a Educadora Celeste Moura!

  • junho 30, 2010 em 12:48 pm
    Permalink

    Elena, acho que nem mesmo os parentes dele serão lembrados, aquilo não tem sentimentos, o que ele gosta muito é de dinheiro.

  • junho 30, 2010 em 1:52 pm
    Permalink

    A morte da Digníssima Professora Maria Celeste Leite Silva Moura que faleceu às 18 horas do dia 26/06 no Hospital Jorge Valente e foi sepultada às 16:30 do dia 27/06 no Jardim da Saudade, deixando uma lacuna insubistituível e uma saudade eterna.

    Há muito ela tinha manifestado sua vontade de permanecer ao lado de seus pais e irmãos no jazido familiar em Salvador. Mas a sua militância tinha como sede a sua querida e amada Valença, cujos melhoras anos de sua existência foram devotados a causa da educação e a valorização do professorado!

    Sua constante e incansável luta por formar gerações de homens e mulheres dignos e éticos foi seu sonho até a sua passagem para o Reino do Senhor!

    Sinto que ela vive e sua memória é lembrada por toda cidade… Na biblioteca que ela sempre lutou e conseguiu, no pioneirismo da merenda escolar, mas palavras de otimismo e apoiu que sempre proferiu aos que sofriam… Na solidariedade e compaixão dos menos favorecidos e principlamente na inteligêntia lúcida e afetiva com que ela resolvia as situaçãoes mais difíceis!

    Esperemos que a sua passagem seja tranquila, serena e pautada no bem que a senhora semeou aqui na terra e que logo-logo possamos nos reencontrar novamente para a GLÓRIA Do Pai!

    Quanto ao luto Pelegrini, pode ser retroativo? Proponho a Câmara de Vereadores que o dia 26 de junho seja o dia MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO VALENCIANA EM HOMENAGEM A PROFESSORA MARIA CELESTE LEITE SILVA MOURA, baluarte e exemplo de mulher e educadora!

  • junho 30, 2010 em 1:57 pm
    Permalink

    Nesse episódio, serei curto e grosso: O dia 26 de junho deverá ser o dia MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO VALENCIANA EM HOMENAGEM A PROFESSORA MARIA CELESTE LEITE SILVA MOURA, baluarte e exemplo de mulher e educadora!

    Vamos lá Câmara trabalhar… Pra isso vocês ganham vultíssimos salários!

    Uma notinha de lembrete: Se vocês foram alunos dela, possuem muito a agradecer e se não fora, a lamentar, portanto, é hora de reverter esse quadro e prestar uma justa homenagem a essa grande mulher educadora, ser humano da melhor qualidade, raridade entre as preciosidades!

  • junho 30, 2010 em 5:31 pm
    Permalink

    Nesse instante a Camara de Vereadores do Município de Cairu está votando por unanimidade uma MOÇÃO DE PESAR pelo passamento da Digníssima Professora Maria Celeste Leite Silva Moura, segundo entendimento dos Edis cairuenses dessa Casa Legislativa a professora é um ícone de diginadade e representação do exercício laboral da educação em toda a região do Baixo Sul do Estado da Bahia, por ter semeado a formação educacional, moral e humana da vida de muitos cairuenses que passaram pelo seu crivo.

  • junho 30, 2010 em 5:41 pm
    Permalink

    Comungo com Oliveira… Uma educadora dessa magnitude deve ser reverenciada com O DIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO – 26 DE JUNHO!

    Aposto se fosse um desses juízes forasteiros que a Câmara de Vereadores dá título de “CIDADÃO VALENCIANO” a torto e a direito, logo-logo teríamos luto oficial, nome de fórum e homenagens sem fim… Não duvido que estátuas fossem erguidas, praças e avenidas batizadas, nomes de pontes e aeroportos e quem sabe até municípios fossem criados… Sem falar em escolas…

    Pelo que sei, Professora Maria Celeste viveu discretamente, pois era muito simples e assim partiu para o outro plano… Mas deixou um legado e os seus alunos, colegas e funcionários estão ai para comprovar… No mínimo, ela merece uma justa homenagem dessa cidade em que nasceu e que escolheu para dedicar sua vida profissional!

    ACORDA VALENÇA e não deixa que mais uma injustiça seja cometida em seu nome – A INDIFERENÇA e DESCASO são certamente a maior de todas elas para uma pessoa que deu a vida pela causa da educação!!!

  • junho 30, 2010 em 7:38 pm
    Permalink

    Soneto da Gratidão

    À Professora Maria Celeste Leite Silva Moura (in memoriam)

    Palavras, por eloqüentes que sejam,
    Não suprirão presença benfazeja.
    Querida mestra, mãe e grande amiga,
    Eis que a morte vem e nos castiga.

    Mas, ela não ceifará tua presença.
    Teu nome é História em Valença:
    Do velho Ginásio ao novo Complexo,
    Teu exemplo na educação será eterno.

    Hoje se rompem da matéria os laços,
    Pra vir depois em forma de cantiga
    Tua bondade e ternura tão amigas!

    Partes, deixando eternos frutos,
    Pra ser colheita dos que passarem
    Florindo o caminho dos que ficarem!

    Ângelo Paraíso Martins

  • junho 30, 2010 em 10:08 pm
    Permalink

    É Cairú mais uma vez passa na frente de Valença… Enquanto os vereadores valencianos ficam no HAJA FLOR, a Câmara de Cairú, assim como sua administração sai na frente e reconhece a verdadeira flor que foi a MAGNÁNIMA MARIA CELESTE MOURA para a educação do Baixo Sul/ Recôncavo! Seu valor na educação será ecoado por muitas gerações e assim como comparou a Marcinha, ela era uma EDUCADORA JEQUITIBÁ e hoje, em meio a tantos professorinhos eucalíptos prontos para o abate enfileirados, ser uma EDUCADORA JEQUITIBÁ a torna ainda mais secular e dígna!

    VIVA MARIA CELESTE JEQUITIBÁ LEITE SILVA MOURA, A MAIS BELA ÁRVORE DE VALENÇA!

  • junho 30, 2010 em 10:16 pm
    Permalink

    Sem dúvida, essa mulher que devotou sua vida a EDUCAÇÃO VALENCIANA é com certeza sua filha mais ilustre… Não entendo o prefeitinhio armengueirom não ter declarado luto… Ele deve estar guardando o dia para quando o seu ALELEUIA se for, ou quem sabe, seu amigo de infância – Jacques Wagner… Talvez os deputados do seu sobrinho centopéia GAROTO GULOSO, o Leozinho e o Negromonte… Ai sim, chhoverão escolas com nomes desses políticos que nada fizeram por Valença, além de tomar ESCOCÊS com o prefeito e seu sobrinho!

    ACORDA VALENÇA… NÃO SE DEIXE MAIS ENGANAR POR ESSES DEMAGOGOS!

  • julho 1, 2010 em 5:42 am
    Permalink

    Meus respeitos a família, aos amigos, aos colegas e ex-alunis, hoje, muitos doutores, mas sem dúvida a maior dor quem está sentindo são os menos favorecidos a quem ela ajudava na sua convicta descrição, pois detestava publicidade, alarde e holofotes, características intríncicas do seu ser… A caridade, compaixão, solidariedade, altruísmo e a sua rara capacidade de ter sempre uma palavra de otimismo e conforto acalentaram muito dos seus conterrâneos necessitados! Somando-se aos familiares e ao povo de Valença, esses são os que mais sentem a sua falta…

    Vá em paz querida Pró Celeste… Seu nome é competência, carinho e doação… Tenha a certeza que a sua missão essa existência foi cumprida com mérito e louvor… O povo valenciano a trará sempre no coração!

    Esperemos agora o Dia Municipal de Educação em homenagem a essa grande mulher, EDUCADORA NATA, já que o Prefeito e a Câmara “esqueceram” de decretar o luto oficial de 3 dias pela “passagem” de sua filha mais ilustre!

    Triste Pesar a População Valenciana!

  • julho 1, 2010 em 12:01 pm
    Permalink

    Não posso me identificar porque hoje meu filho é funcuinário da Preferitura. Mas a nossa devoção e apreço a essa grande mulher que nós serviu, inclusive com o leite e o pão nosso de cada dia nos momentos mais difíceis momentos será eterna!

    Pró Celeste, eu e minha família seremos eternamente gratos e todos os dias nas nossas humildes orações rogamos a Deus que derrame sobre a senhora e os seus muitas bençãos de proteção e agradecimento pelo pão que tantas vezes mataste a nossa fome e pelas palavras de incentivo, inclusive aos nossos filhos – NÃO DESANIME! ORAI E VIGIAI! DEUS PROVERÁ!

    O seu lugar junto ao ALTÍSSIMO está garantido e o nosso desejo é que a senhora paerta em paz e viva em paz no Céu que a acolheu de braços abertos!

  • julho 1, 2010 em 2:24 pm
    Permalink

    Pelegrini, você está vendo como é que vive o nosso povo? Eu fiquei triste ao ler o comentário de “um ex-funcionário”, que manifestou sua gratidão à saudosa Pofessora Celeste Moura pelos serviços prestados à sua família, e a minha tisteza é porque ele não usou seu verdadeiro nome, certamente eles votaram com Ricardo Moura e com medo de que seu filho seja demitido do cargo que ocupa na Prefeitura, então ele preferiu não se identificar. Meu Deus até quando…

    Rudney

  • julho 1, 2010 em 2:55 pm
    Permalink

    A alma é imortal, mas a saudade é real… E que saudade Pró Celeste!
    Creio na reencarnação da alma e peço a Deus que um dia nos encontratemos em um outro plano!

    Que a sua passagem seja serena e tranquila, guiada por Nosso Senhor!

  • julho 1, 2010 em 8:17 pm
    Permalink

    A cada dia mais uma lembrança, são muitas as saudades, amanhã será a comemoração ao Dois de Julho, data cívica que professora Celeste tanto adorava, além do Hino ela também gostava do poema de Castro Alves “ODE AO DOIS DE JULHO”.

    Nasce o sol a 2 de julho
    Brilha mais que no primeiro
    É sinal que neste dia
    Até o sol é brasileiro

    Nunca mais o despotismo
    Referá nossas ações
    Com tiranos não combinam
    Brasileiros corações

    Cresce, oh! Filho de minha alma
    Para a pátria defender,
    O Brasil já tem jurado
    Independência ou morrer.

    Nunca mais o despotismo
    Referá nossas ações
    Com tiranos não combinam
    Brasileiros corações

    Salve, oh! Rei das campinas
    De Cabrito e Pirajá
    Nossa pátria hoje livre
    Dos tiranos não será

  • julho 1, 2010 em 11:27 pm
    Permalink

    REVERENCIAR A MEMÓRIA, ENALTECER A VIDA DOS JUSTOS.

    A minha querida mestra, mãe, grande amiga e justa aqui na terra, colherás os frutos além fronteira terrena, Celeste floriu o caminho que passou, semeou de virtudes para as gerações vindouras colher seus eternos frutos……………..
    Ela adorava o poema abaixo, não se cansava de ouvir, se agigantava e forças renovadas para lutar contra as desiguladades sociais e solidificar a justiça para os homens

    Tributo ao Dois de Julho

    Era no Dous de Julho. A pugna imensa
    Travara-se nos cerros da Bahia…
    O anjo da morte pálido cosia
    Uma vasta mortalha em Pirajá.
    “Neste lençol tão largo, tão extenso,
    “Como um pedaço roto do infinito …
    O mundo perguntava erguendo um grito:
    “Qual dos gigantes morto rolará?! …

    Debruçados do céu. . . a noite e os astros
    Seguiam da peleja o incerto fado…
    Era tocha — o fuzil avermelhado!
    Era o Circo de Roma — o vasto chão!
    Por palmas — o troar da artilharia!
    Por feras — os canhões negros rugiam!
    Por atletas — dous povos se batiam!
    Enorme anfiteatro — era a amplidão!

    Não! Não eram dous povos os que abalavam
    Naquele instante o solo ensangüentado…
    Era o porvir — em frente do passado,
    A liberdade — em frente à escravidão.
    Era a luta das águias — e do abutre,
    A revolta do pulso — contra os ferros,
    O pugilato da razão — com os erros,
    O duelo da treva — e do clarão! …

    No entanto a luta recrescia indômita
    As bandeiras – corno águias eriçadas —
    “Se abismavam com as asas desdobradas
    Na selva escura da fumaça atroz…
    Tonto de espanto, cego de metralha
    O arcanjo do triunfo vacilava…
    E a glória desgrenhada acalentava
    O cadáver sangrento dos heróis!

    Mas quando a branca estrela matutina
    Surgiu do espaço e as brisas forasteiras
    No verde leque das gentis palmeiras
    Foram cantar os hinos do arrebol,
    Lá do campo deserto da batalha
    Uma voz se elevou clara e divina.
    Eras tu — liberdade peregrina!
    Esposa do porvir — noiva do Sol!…

    Eras tu que, com os dedos ensopados
    No sangue dos avós mortos na guerra,
    Livre sagravas a Colúmbia terra,
    Sagravas livre a nova geração!
    Tu que erguias, subida na pirâmide
    Formada pelos mortos do Cabrito,
    Um pedaço de gládio — no infinito…
    Um trapo de bandeira — n’amplidão!. ..

    Castro Alves

  • julho 2, 2010 em 5:07 am
    Permalink

    Lembra Jão de quanto ela levava a sério os símbolos nacionais? As datas cívicas? A comemoração do 2 de Julho era um acontecimento… Todos os alunos marchando, o tiro de guerra… É Pró Celeste era uma pessoa rara… Lembro-me da bandinha, Professor Taquary e apesar do sol a pino, tinha uma alegria, um congraçamento… Hoje não se vê mais festas cívicas, ainda mais organizadas por professores e mais raro ainda é a presença dos alunos!

    Que Pró Celeste esteja ao lado do Senhor Jesus para assistir o culto ao 2 de Julho que ela tanto admirava!

    Muita Paz e Luz ao seu espírito e muito conforto aos seus familiares e amigos… Realmente, a cidade de Valença está orfã!

    Abraços a todos que comungam com a dor da sua partida prematura!

  • julho 2, 2010 em 10:14 am
    Permalink

    Hoje a Igreja de Coração de Jesus abre as suas portas para a Missa de Sétimo Dia do Passamento de Professora Maria Celeste Leite Silva Moura, filha querida dessa terra, fruto do amor de D. Guiomar – sertaneja de Brumado, filha de D. Ciça (Maria Cecília) e Dr. Pompilho Rizério Leite, Juiz de Direito – e de Sr. Agenor de Vasconcellos Silva, valenciano, filho de D. Mucinha (Maria Benedicta) e do Alferes Pinto (Joaqueim Pinto da Silva). Ela viveu sua infância feliz nas Três Barras, brincando nos quintais e com grande orgulho de ter coroando Nossa Senhora… Era uma filha de Maria… Depois foi estudar na capital, sempre excelente aluna, só não continuou seus estudos no exterior em função de ser uma filha estremosa e dos seus compromissos devotados a família, cujo irmão precisava de cuidados constantes… Mas mesmo assim, quando voltou para sua terra, depois de casada com Sr. Renato Santana Moura, filho de D. Rosa Santana Moura e Sr. Fernando da Silva Moura, trouxe na bagagem, além da experiência, vários títulos, inclusive um de Mestrado Acadêmico com a chancela da Universidade Católica de Salvador… Maria Celeste ocupou vários cargos nesse terra que tanto amou e lutou – Foi professora concursada por dois momentos distintos, ministrou muitas aulas em cursos que já não existem mais na atual matriz curricular, foi diretora de dois colégios gigantescos que demoraram uma infinidade a se separar, foi secretária de educação e coordenadora da DIREC… E em toda sua trajetória pessoal e profissional jamais discriminou quem quer que seja… Rico/pobre, gay/hetero/, douto/doente mental, prostituta/religiosa… Tratava a todos sem distinção… Títulos nunca a impressionaram… Ela costumava dizer que o “doutoramento” vem da alma… A nobreza é intrísica… Quem a conheceu e conviveu com ela no Ginásio sabe o quanto estou senso modéstia com as suas qualidades…

    Maria Celeste deixou quatro filhos e três netos e hoje a cidade de Valença chora com tristeza a sua ausésia, mas com a certeza da RESSUREIÇÃO, saberemos que uma dia todos nós vamos nos encontrar!

  • julho 2, 2010 em 10:29 am
    Permalink

    O Complexo Gentil Paraiso Martins de Valença tem o dever de plantar um frondoso JEQUITIBÁ a essa educadora secular… Como disse a mocinha ai em cima, em tempo de professores eucalíptos, enfileirados e pronto para o abate fácil, uma educadora de raízes profundas e copa frondosa, uma EDUCADORA SECULAR, UMA EDUCADORA JEQUITIBÁ é o mínimo que o colégio, que ela devotou boa parte dos seus melhores anos pode homenagea-la… Lembro de quanto ela lutou por aquele jardim… Que venha a mais bela flor… Maria Celeste Jequitibá!

    Desculpe leitores, mas a comoção da cidade é enorme e cada um sabe o quanto ela foi importante pessoalmente… Fiquem em paz!

    #############Comentário de número 9.511###############

  • julho 2, 2010 em 4:34 pm
    Permalink

    Valença chora sua perda irreparável… Morre um dos grandes baluartes morais de Valrnça – Professora Maria CELESTE MOURA!

  • julho 2, 2010 em 7:44 pm
    Permalink

    Quer dizer, 2 de julho de valença só saiu o prefeito ARMENGUEIRO E O CASAL DE CABOCLOS,e fam soltando foquetes a preço de ouro,agora o prefeito muito preocupado com suas obras com garantia de 30 dias, a cidade sem preparo para os turistas,com a chegada dos deputados copa do mundo, aí vamos ver mais buracos e sujeiras em nossa querida valença tão destruida por prefeito desonestos.

  • julho 3, 2010 em 12:23 pm
    Permalink

    O delírio de Ramiro foi tanto que ele pediu benção a cabocla e ela negou… Ai eu vi solidão e desespero!

  • julho 3, 2010 em 8:08 pm
    Permalink

    A Família Paraiso deverá plantar um JEQUETIBÁ em HOMENAGEM A PROFESSORA-EDUCADORA CELESTE MOURA no colégio como símbolo de uma árvore-educação de raízes profundas e sólidas e de copa frondosa… Essa árvore seria o símbolo de tantos anos dedicados a educação com esmero e dedicação incansável!

    Viva MARIA CELESTE JEQUITIBÁ MOURA, A ÁRVORE MAIS SECULAR DE VALENÇA!

    ESSA ADMIRÁVEL MULHER NÃO MERECE SÓ UMA ÁRVORE, COMO UM DIA DEDICADO A SUA MEMÓRIA… O DIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO… NNGUÉM MERECE MAIS QUE ELA… SE A CÂMARA DE VEREADORES QUISER, ESSE DIA SERÁ CRIADO… MAS A CÂMARA É TELEGUIADA PELO PREFEITO QUE SE RECUSOU A DECLARAR LUTO OFICIAL PELA MORTE DESSA MULER TÃO ILUSTRE, ENTÃO, TUDO PODE ACONTECER NESSA TERRA SEM LEI E SEM COMANDO!

    A CÂMARA NÃO TEM AUTONÔMIA E VALEÇA FICA À MERCÊ DESSA TURMA DE “MARIA VAI COM AS OUTRAS”…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *