VIVA O GOLPE!

 

image

Essa coisa de “golpe de estado” é muito ultrapassada, não comporta mais no mundo de hoje, já sofremos muito com tudo isso, não aceito o que fizeram em Honduras, assim como muita gente no mundo todo não aceitou também.

Os golpes na verdade, assim como no Brasil em l964, tinham o apoio dos EUA que sempre tiveram um grande arsenal nuclear para amedrontar o mundo, e os golpistas recebiam apoio em troca de favorecimentos. Os EUA nunca respeitaram a soberania de nenhum país do mundo, hoje por questões de evolução do seu povo, eles estão mais calmos quanto a isso, não tão longes, porque recentemente fizeram com o Iraque.

Agora o que me preocupa com tudo isso é o seguinte; depois de ver a Venezuela querer alongar o mandato de Hugo Chávez, de ver o Brasil querer um terceiro mandato pra o Lula, a Bolívia com Evo Morales também seguindo o mesmo rumo, e por trás serem amigos de um velho ditador o Fidel Castro e Honduras também não está de fora dessa turma de ditadores disfarçados, é que me vem a dúvida, será que o golpe de estado não é um remédio amargo?

Nós reclamamos que o golpe de estado é um ato covarde e truculento, mas não paramos pra olhar o que esses populistas fazem para se manter no poder, que é bem pior que um golpe, ficar dando migalhas ao povo, humilhando com o peixe ao invés de ensinar-lhes a pescar. E a frase daquele general da ditadura militar, que no passado doeu em nós serve de escolha para aplicar nos dias de hoje “O povo burro é mais fácil de domar”.

Eu acho que cada presidente deveria ter um só mandato, poderia acabar essa coisa de ficar no poder por muito tempo, porque eles na busca de concorrerem a um próximo mandato começam a usar meios “Maquiavélicos”, que pra mim não passa de um golpe.

Se for para tirar esses caras-de-pau que querem se perpetuar no poder; VIVA O GOLPE!

14 thoughts on “VIVA O GOLPE!

  • julho 5, 2009 em 1:49 am
    Permalink

    O “golpe” em Honduras está sendo muito criticado por todos, pois o presidente Zelaya foi deposto sem um impeachment, o que deveria ter sido feito. Vi uma entrevista com o novo presidente de Honduras, em que ele afirmou que foram tomadas as medidas que eram possíveis naquele momento. Realmente acho que o impeachment teria sido melhor, mas não podemos esquecer que o tal Zelaya, populista, comunista e com vocação para ditador não é flor que se cheire. Ele desrespeitou o Congresso e pior, desrespeitou a Suprema Corte do país, deixando claro que a lei é para os outros, mas não para ele. Só por esse motivo – gravíssimo e inadmissível – já deveria ser impedido de continuar na presidencia e preso por crime de responsabilidade. Apesar de não ter sido feito da melhor forma, acho que o povo de Honduras teve muita sorte de ter um exército chefiado por pessoas que preferiram defender o Estado de Direito e as determinações da Suprema Corte e do Congresso Nacional, ao invés de dar sustenção à ilegalidades e abusos de um claro aspirante a ditador, bem ao gosto de Hugo Chavez e Cia. Ltda.

  • julho 5, 2009 em 1:54 am
    Permalink

    Pelegrini,
    As manifestações que apoiam a emoção do Zelaya do poder não estão sendo reprimidas pelos militares não, lá está tudo tranquilo.
    As manifestações estão sendo com as pessoas vestidas de branco, pedindo para a comunidade internacional (Estadoe Unidos, União européia, OEA, ONU e etc) para deixarem o país seguir seu rumo sem intromissões de fora – o que significa que o Zelaya está fora (e se voltar terá que responder pelos crimes cometidos) e em novembro há eleições como o previsto. As pessoas mostram cartazes, pedem pela paz e democracia, cantam e militar nenhum interfere. Essas são as manifestações que a imprensa não mostra, e que reflete a opinião da maioria esmagadora do país.

  • julho 5, 2009 em 1:56 am
    Permalink

    A imprensa internacional insiste em chamar o processo de remoção do presidento hondurenho de GOLPE, quando na verdade o processo é totalmente legal quando a situação é cmo a presente.
    O processo de sua remoção não visou os interesses somente da elite, mas da população como um todo. A aprovação do governo de Zelaya estava em torno de 30%, e o que se vê nas ruas são manifestações pacíficas DIÁRIAS do povo que não aceita a volta de um presidente que violou a lei tantas vezes. Mas esses protestos a comunidade internacional não mostra, é mais importante valorizar o cargo de presidente… O fato é que, em Honduras, se impediu que o presidente agisse acima da Lei, exemplo que deveria ser seguido por mais países.

  • julho 5, 2009 em 1:59 am
    Permalink

    pelegrini, veja só: agora chaves suspende o petroleo para honduras.
    ele pode fazer isso, mas os eua nao podem fazer embargo contra cuba. porque fazer embargo contra cuba é maltratar o povo cubano. agora o povo hondurenho..
    bom, dois pesos e dus medidas. uma ditadura doi “proletariado”´pode.
    ai que coisa….

  • julho 5, 2009 em 2:02 am
    Permalink

    No fundo, no fundo, Zelaya, muy amigo de Hugo Chaves teve o que bem mereceu. Senão vejamos. O cara queria se eternizar no poder, já tinha afrontado o poder judiciário e o congresso, legítimo representante do povo, que havia rechaçado a ideia do maluco em se reeleger eternamente. Agora, teve o que mereceu. Esse negócio de reeleição é que é golpe. Golpe constitucional, tentando passar por cima de tudo e de todos. Se quiser governar o país tem que obedecer às leis. Caso contrário, vai pedir penico ao pessoal de Nova Yorque.

  • julho 5, 2009 em 8:19 am
    Permalink

    É preciso entender que existe um regime oportunista na américa latina, a idéia é usar a democracia e o povo como massa de manobra “o que é facinho” para se perpetuar no poder, como aqui no Brasil, é preciso parar de aceitar erros ocultos em nome da democracia!…tá virando baderna!!…estão destruindo antes de de construir os direitos constitucionais, nenhum presidente teve o poder que o Lula tem e as pessoas continuam morrendo em portas de hospitais que são açougues, escolas que são depósitos de lixo!!, segurança pública não existe, morre mais gente aqui que no Iraque só que aqui não é no atacado com lá!, Lula vai deixar o mais importante para trás como todos os outros deixaram e tudo continuará igual, sem saude, sem educação, sem segurança, sem respeito ao povo, ele é o responsável por tudo de ruim que acontece aqui, pois tem poder e num fez nada…nada, lá em Honduras tem gente com verginha na cara!!.

  • julho 5, 2009 em 8:22 am
    Permalink

    Parabéns às FA de Honduras. Na verdade trata-se de CONTRA-GOLPE, pois o “GOLPE” seria dado pelo ex-presidente que manobrava perpetuar-se no poder, a exemplo de Chaves, Evo e o famigerado 3º mandato do PT, dentre outros, aqui na A. Latina. É muito fácil dar esmolas aos pobres e fazer referendum, para ver se eles aprovam seguidos mandatos aos governantes que os “compram”. O exemplo de Honduras deve ser seguido pelas Forças Armadas Brasileiras, que devem ficar atentas ao mesmo tipo de “GOLPE” !

  • julho 5, 2009 em 11:02 am
    Permalink

    A Câmara de Vereadores, aprovou, nesta quinta-feira (2), uma moção de repúdio ao golpe de Estado que derrubou o presidente de Honduras, Manuel Zelaya. Por meio do documento, os vereadores manifestam ainda sua convicção de que o povo hondurenho “saberá reencontrar o caminho da paz, da conciliação e da democracia” assim como o nosso povo em Valença.

    Na justificação de seu requerimento, a vereadora Lady DI diz que o “anacrônico e absurdo” golpe de Estado ocorrido em Honduras “se constituiu em uma grave afronta a todas as democracias da Costa do Do Dêndê”, região que, como recordou, vem consolidando seus regimes democráticos. Ela pede a todos os governos Costadendesensse para não reconhecer o “ilegítimo” governo surgido naquele país após o golpe, porque não condiz com o nosso sistema de democracia, assim como Nilo Peçanha que governa na base da falcatrua e Valença que governa com liminar por motivos obvios, esquema de imprudência.

    Ao defender a aprovação do requerimento, o vereador Myster Bertô, relator da proposta, observou que nenhum país do mundo havia reconhecido o governo que se instalou em Honduras depois do golpe. Por sua vez, o vererador e intelectua Lelo, que presidiu a reunião, lamentou que o “fantasma” dos golpes de Estado tenha voltado a assustar a região, e lembrou do grande democrata e prefeito quase caçado Ramiron.

    – Acreditávamos que já estávamos livres do vírus dos golpes – disse o intelectual Lelo.

    Solução negociada

    O vereador Jorje Gole, que morou por dois anos em Honduras e também na Bolívia, ponderou que o presidente deposto estava disposto a realizar um referendo sobre a possibilidade de reeleição mesmo contra a opinião da Justiça de seu país – e utilizando para isso urnas procedentes de Nilo Peçanha. O vereador defendeu a busca de uma solução negociada para devolver o poder a Zelaya, que teria de se comprometer a apenas concluir o seu mandato e não disputar a reeleição.

    Exemplos de democxracia nós temos aqui em Valença, concluiu o grande vereador Jorje Gole.

    REPÓRTER DE VALENÇA PARA O BLOG DO PELEGRINI.

  • julho 5, 2009 em 11:26 am
    Permalink

    Pelegrine, independente da posição ideológica de qualquer presidente, existe leis para isso, para punir ou para quem sabe acolher. A perspectiva de se tirar presidentes democraticamente eleitos por um golpe de mão é assustadora, para qualquer ordem, para a segurança jurídica e para o povo tb. E o pior, passaremos a concordar, lastrear, legitimar(ao meu ver) golpes, sem nos dá conta do real perigo para uma, ou qualquer democracia, pq? Pq um é comunista e outros capitalistas não alinhados ou neoliberal, é no mínimo, perigoso.

    Zelaya tem um mandado concedido pelo povo hondurenho, quer queira ou não, e só ele, O POVO, pode Retirar das mãos do titular, por pior que ele seja. Pois se assim não o for, outros governos mais ou menos progressistas, mais ou menos reformadores, mais ou menos a esquerda, ou quem sabe, mais ou menos a direita, lembrando, democraticamente eleitos, além de nascerem castrados na sua proposição de “mudança” e de oxigenação das instituições da república, estaremos ao mesmo tempo, institucionalizando ditaduras do pensamento único,talvez sem percebermos. Concedendo a um dos poderes a titularidade do poder, quando sabemos que só povo é o competente para tal. O remédio é amargo, mortífero, e fora do prazo de validade, como bem acentuo peligrine na propedêutica deste comentário.

    A ditadura, hj hondurenhas, pois o governo que lá está não foi escolhido pelo povo, nem muito menos obedeceu a constituição daquele país, trás por conseqüência os modelos de ditaduras dos anos 60 e 70, livre nos atos, porém cruel nas circunstância e efeitos, é só olharmos as conseqüências dela no mundo, em especial na América do sul. Sendo assim não acho justo, pessoas serem mortas e torturas por pensarem diferente, por acreditar em algo que não o tom orquestrado pelas oligarquias, (sim, oligarquias, pois nunca existiram ditaduras do povo) as conseqüências da ditadura, são as mais draconianas possíveis. Só lembrando, ditadura e golpes de estados sempre andaram na mesma bicicleta.

    Gostei do post Pele, não concordo com a opinião dele.

    Saudações

    Kadu

  • julho 5, 2009 em 1:08 pm
    Permalink

    Nada justifica um golpe militar… Nem mesmo o terror de um possível 3º mandato conseguido às custas dessa forma assistêncialista de governar adotada por esses novos presidentes latinos.

  • julho 5, 2009 em 2:05 pm
    Permalink

    Ok Kadu,
    Só preciso esclarecer uma coisa, não sou a favor de golpes, mas como já disse; as vezes precisamos tomar o remédio amargo. Quem sente a dor é quem tem a doença, pouco sabemos sobre nossas vidas aqui no Brasil, piorou sobre o povo Hondurenho, mas lhe garanto que golpes em dias de hoje já não são como os de antigamente, ou voce acha que o povo de Honduras iria deixar isso de graça se fosse um golpe ao estilo dos anos 60?
    Outra coisa, estou igual ao Gabriel O Pensador, leio a imprensa com um pé na frente e outro atrás, sei lá, esses caras podem estar escrevendo o que querem, e a gente só acredita se quiser.

    Um abraço,

    Pelegrini.

  • julho 5, 2009 em 3:21 pm
    Permalink

    Meu caro Kadu,
    Vamos analisar uma coisa.
    Chavez se elege de maneira democrática, manipula Congresso, Justiça e Exército para se eternizar no poder (até morrer e virar pó!) e ninguém comenta.
    Idem idem com Evo Morales, Correia, etc.
    Parece que o que move a crítica a Honduras é o temor geral que de repente os poderes constituidos decidam dar o ar da graça e decidam defender o povo, que sempre é expoliado.
    Chavez compra todo mundo, mas nem sempre isso dá certo. E quem paga é o povo venezuelano. Veja a inflação do país para onde foi.
    Foi só o “império” (EUA) cortar algumas regalias que o Evo Morales se viu em dificuldades, mas não pensava nisso quando axincalhava os americanos.
    O Chaves também fala um bocado dos gringos, mas… como gosta dos dólares americanos! Até hoje não cortou o fornecimento de petróleo aos americanos.
    Engana que eu gosto!
    O pelegrini me disse que você apoiou e apoia a revolução cubana, como você mesmo disse: “Se ninguém esta reclamando é porque deu certo”, então, vamos deixar o golpe de Honduras e ver se daqui a a 50 anos o povo reclama ou não.
    Valeu meu amigo, no dos outros é refresco.

    Roberto Leal.

  • julho 5, 2009 em 4:45 pm
    Permalink

    Quem disse que o povo não estar nas ruas em Honduras, o povo reclama, como em 60, reclamaram aqui no Brasil, discordo do mito q o povo hondurenho aceitou o golpe calado, e mais, a repressão lá estar, sendo muita, e pesada, exemplo; são as garantias constitucionais que se encontram suspensas e o toque de recolher q está em voga. Será que isso não é uma resposta golpista as insatisfações populares? É claro que é. Os jornalões, que apoiaram ou os se revoltaram contra golpes no Brasil, divulgam a exaustão, levantes e protesto, do povo hondurenhos, bem diferente da visão de um post a cima.

    Só lembrando que na França e na Inglaterra, tido como países civilizados, os mandatos são ininterruptos, quantas vezes o mandatário quiser ele poderá se candidatar e governar, caso ganhe. O Estados Unidos de OBAMA, tb já tiveram experiência ad eterna em mandatos, exemplo Rosevelt, 5 vezes presidente. Porém nenhuma nota publicada acusando analogicamente de perpetuação ou requisitos de ditaduras.

    Parece q para uns pode, para outros é ditadura.

    Gente, pesquisei algumas reportagens sobre o golpe aqui, na imprensa brasileira, e ao que parece, o bicho ta pegando, mantive as agencias e alguns datas na tentativa de preservar autenticidade da publicação, rebatendo Tb, argumento que estar tudo bem, que o povo hondurenho estar apático, amofinado:

    • Manifestantes vão a aeroporto de Honduras para protestar contra golpe – Portal G1

    • Protestos contra e a favor do golpe – Portal ultimo segundo

    • Ativistas protestam em Brasília contra golpe em Honduras – Portal G1

    • SINDICATOS ARGENTINOS CONVOCAM PROTESTO CONTRA GOLPE EM HONDURAS – Ansalatina.com.br

    • Chávez é ‘vilão’ em protestos pró-governo interino em Honduras

    • Manifestantes pró-Zelaya denunciam repressão em Honduras – Portal DCI

    • Honduras: Exército dispara contra partidários de Zelaya – AFP

    • No Twitter, simpáticos a Zelaya convocam ato – Estadão

    • Uma pessoa teria morrido durante protesto em Honduras Band – ‎29/06/2009‎

    • Jornalista hondurenho: “A rebelião é generalizada” – Vermelho – ‎01/07/2009‎

    • Políticas sociais justificam apoio popular a Zelaya – Vermelho – ‎03/07/2009‎

    • Apesar do estado de sítio, continuam as manifestações em Honduras – MaisComunidade.com – ‎30/06/2009‎

  • julho 6, 2009 em 1:09 pm
    Permalink

    Risos! Que prazer inenarável constatar que vc está de volta meu amigo Kadu! Bjs!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *