VALENÇA ESTÁ ENTRE OS SETE MUNICÍPIOS IMPEDIDOS DE RECEBER RECUSROS DA UNIÃO

Pelo menos sete municípios baianos estão impedidos de receber transferências voluntárias de recursos da União e do Estado porque não implantaram portais de transparência na internet dentro do prazo estipulado pela legislação. Os prefeitos desses municípios estão sujeitos a perder a função pública e ter os direitos políticos suspensos por até cinco anos, entre outras penalidades.

O prazo para que os municípios com população entre 50 mil e 100 mil habitantes implantassem o portal de transparência terminou na sexta-feira passada (27).

Dos 27 municípios baianos nessa faixa populacional, sete não implantaram o portal de transparência, de acordo com levantamento realizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM): Campo Formoso, Casa Nova, Dias D’Ávila, Euclides da Cunha, Itaberaba, Tucano e Valença. Outros dois não prestaram informações à entidade: Monte Santo e Santo Amaro.

O portal de transparência permite que órgãos de fiscalização e controle, ou qualquer cidadão, possam acompanhar, em tempo real, a movimentação de receitas e despesas da prefeitura, bem como o andamento de obras públicas municipais. (Bahia toda hora)

Taí uma coisa que eu gostaria de ver, o prefeito de Valença perder a função. O pior de tudo isso é que, quem sofre é a população com a perda das transferências. O Bairro da Bolívia onde o governo começou as obras com certeza serão paralisadas, por descuidos do prefeito.

2 thoughts on “VALENÇA ESTÁ ENTRE OS SETE MUNICÍPIOS IMPEDIDOS DE RECEBER RECUSROS DA UNIÃO

  • maio 30, 2011 em 11:36 pm
    Permalink

    Veja só nao vamos fazer vista grossa,Valença é um verdadeiro Canteiro de Obras.

  • maio 31, 2011 em 6:51 am
    Permalink

    Ceissa, não entendemos, vc poderia ser mais explícita? O que nós sabemos é que ano que vem tem eleição e é de praxe todo ano anterior as cidades virarem canteiros de obras, é isso que vc quer dizer minha flor? Que Tio Ramiro levou mais de dois anos na brisa e agora quer mostrar trabalho em virtude da proximidade das eleições?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *