Deputado Amauri se reúne com ministro da Educação e defende instalação de Campus da UFRB em Valença e Nazaré das Farinhas e criação de novas universidades na Bahia

amauriO deputado federal Amauri Teixeira (PT/BA) participou na quarta-feira (23/04) de audiência com o ministro da Educação Henrique Paim, em pauta a expansão do ensino superior e sua interiorização no estado da Bahia. O reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Paulo Gabriel Soledad Nacif também participou da audiência.

Logo no início da reunião o deputado Amauri justificou a ausência da prefeita de Valença, Jucélia Nascimento, do vereador Adailton Francisco (PT) e de Raell Costa, representante da Juventude do PT, que haviam solicitado ao parlamentar que intermediasse a reunião com o ministro e que não puderam estar presentes em função do retorno do feriado.

Entre as prioridades da pauta estavam a instalação do Campus do Mar da UFRB, em Valença e de mais um em Nazaré das Farinhas, com bacharelado interdisciplinar; Na ausência dos representantes de Valença, Amauri falou também sobre  a construção de novas creches; a compra de ônibus, através do Programa Caminhos da Escola da construção e cobertura de  novas quadras escolares que beneficiariam a região.

O ministro designou um dos funcionários do ministério responsável pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para receber a prefeita Jucélia, o vereador Adailton e demais representantes de Valença e encaminhar as demandas do município.

Ficou combinado que o reitor Paulo Gabriel continuará em contato com o Mec para viabilizar a instalação dos novos Campus da UFRB.

8 Respostas para Deputado Amauri se reúne com ministro da Educação e defende instalação de Campus da UFRB em Valença e Nazaré das Farinhas e criação de novas universidades na Bahia

  1. Universidades Sucateadas abril 29, 2014 às 12:54 pm #

    Só acho uma coisa: O governo deveria tomar vergonha na cara e cuidar primeiro da qualidade do ensino das existentes na cidade e em todo Brasil e não ficar abrindo Universidade para todos os lados e não dá o devido suporte as mesmas. Sou estudante do superior do IFBA e sei exatamente do que estou falando, quase não temos professores, estrutura está uma merda, os poucos professores que temos são umas merdas (sem compromisso, didática, conhecimento, etc.). Será que estão sendo formados bons profissionais nas universidades mesmo? Será? Será? Será? E assim o governo inicia a #BanalizaçãoDoEnsinoSuperior. Precisamos de ensino de qualidade e não de quantidade. #FicaDica

  2. eduardo abril 29, 2014 às 2:19 pm #

    Esse agora tá querendo pousar de Dono!! Tá igual a Marcelo Borges e os deputados deles…. a prefeita JÁ conseguiu Creches e da quadra, bem como dos ônibus que já estão tudos com documentação encaminhada!!!! ele tá dizendo o que????

  3. XPTO abril 30, 2014 às 5:07 am #

    Eita povo míope! Temos um deputado correto lutando a favor de nós e já começa o mimimi.

    Olha, um primeiro lugar, não é “Juju” sozinha quem consegue as coisas. Benesses, como os ônibus escolares, são oriundos de programas do governo FEDERAL. Até tenta (como todos os outros) capitalizar isso como dividendos eleitorais. Mas qualquer cidadão mais atento sabe que a REALIDADE toda é essa: a maioria dos municípios vivem de verbas federais…

    Quanto a questão da ampliação e o “sucateamento”, reconheço que temos problemas nessa área e que precisam ser resolvido logo. Concordo que nãos e pode abrir unidades sem dar suporte a eles. Mas, antes de mandar o governo tomar vergonha na cara, vamos observar alguns pontos?

    Primeiro, que o processo de sucateamento das universidades federais começou ANTES do atual processo de ampliação. Na era FHC não criação de novas universidades e as que tinham, viram seus orçamentos serem reduzidos. Não foi a toa que até a gestão de Lula nosso estado da Bahia só contava apenas com UFBA! E ainda assim essa universidade passou por graves crises, a ponto da comunidade acadêmica briga encarniçadamente entre si para ver onde seria aplicada urgentemente uma minguada verba: em assistência estudantil ou na ampliação de uma unidade de ensino! Tenho amigos que estudaram lá final dos anos 90 que contavam as diversas tentativas de se privatizar a UFBA, criando “taxas de serviço” como forma de dizer a nossa sociedade que o ensino superior tem de ser pago. Enquanto isso o ex-CEFET tinha uma posição tão secundária que sequer era lembrado como opção e por isso ficou com uma estrutura muito aquém de sua capacidade de ser uma instituição de nível superior.

    Segundo, não podemos ser tão cartesianos e maniqueísta para ter um pensamento tão binário. Essa ampliação é mais uma demanda histórica que em algum momento tem de ser feita. O crescimento de nosso país não poderia ser feito com a quantidade de cursos que se tinha. E mais e mais pessoas estão procurando o ensino superior, para uma estrutura que já não comportava mais. E ainda assim faltam pessoas qualificadas, como professores de ciências naturais, médicos, engenheiros. E não poderíamos ficar na utopia de criar tudo bonitinho e perfeito, de só abrir universidades federais e Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologias só com tudo prontinho. Infelizmente, a realidade é que cursos novos precisam ser abertos sim. E lutar para que eles melhorem a cada dia, vencendo as dificuldades que houverem (até porque, não há como se prever todas as deficiências que um curso terá ao longo do tempo).

    E, finalmente, temos que lembrar a vinda de mais uma universidade para Valença significa mais empregos, mais oportunidade de desenvolvimento. Cruz das Almas, Amargosa e Cachoeira são outras cidades depois da criação da UFRB. E Valença já mudou quando chegou aqui a UNEB. Muito mais podemos crescer se a UFRB instalar seu campus de ciências marinhas.

    Então, #ficaadica! Precisamos de ensino superior de QUALIDADE E EM QUANTIDADE suficiente para o nosso crescimento.

  4. Carlinhos abril 30, 2014 às 4:41 pm #

    Eita que na boca da eleição aparece é gente querendo aparecer, vai povo bobo, vota nesses ai!!!

  5. Marcio Vieira maio 2, 2014 às 8:34 am #

    Será que não tem um Deputado por aí em campanha que se disponha a fazer uma visita em Osvaldo Barreto e Jacques Wagner com Reitor e lideranças debaixo do braço pra cobrar melhorias para UNEB Valença,BA, precisamos de professores, livros, equipamentos é só pedir a lista a Prof. Pedro Sabino e os funcionários da UNEB que vamos ver o quanto estamos passando. É incrível como os olhos petistas da Bahia só enxerga as federais será que vão fechar a UNEB e federalizar? O que pretendem com tanto descaso e abandono. Torço pela vinda da UFRB mas me preocupa a ausência das autoridades locais e estaduais com as Universidades do Estado.

    Valença já sofreu um golpe fecharam a EMARC e abriram um Ifbaiano onde já tinha um IFBA, agora vai abrir uma Federal onde já tem uma estadual, com Federal, estadual, IFBA a menos de 70 km, que abra é muito bom só alerto, por que a UNEB pode Fechar e a Federal não vim nunca. FICA A DICA

  6. XPTO maio 2, 2014 às 3:59 pm #

    Sinceramente, às vezes gostaria de entender a cabeça dos valencianos. Sinceramente, aqui há coisas difíceis de compreender! Creio que há algumas coisas que deveria ficar claras: A UNEB de Valença poderia ser melhor, eu não tenho dúvida. Mas não vejo o povo daqui REALMENTE lutar por ela. Cadê a mobilização para isso? Cadê a pressão do povo em cima de nossa prefeita e da nossa câmara municipal, para colocar isso na agenda do desenvolvimento de nossa cidade? Quanto a EMARC, ela não foi fechada. Quando ela foi transformada no IFBaiano, foi seguindo um diretriz nacional de transformar os CEFETs, Escolas Ténicas e Agrotécnicas Federais em Institutos federais de educação e tecnologia (IFET). Valença teve a sorte de manter as duas instituições (em lugar de fechar uma), sabendo que elas podem também oferecer cursos superiores; Agora, cadê a pressão do povo e do governo municipal para que ocorra melhorias nessas instituições? Cadê mobilização da sociedade civil organizada? E aí ocorrem as mazelas e usam isso como desculpas para desmerecer a vinda da UFRB…

    Caro Marcio Vieira, concordo contigo na maioria dos pontos, mas creio que falta em Valença é vontade mesmo de crescer. A questão não ter faculdade ou IFET por perto, mas lutar mantermos, ampliarmos e trazermos mais o que já temos. Temos exemplos de outros lugares em que o povo fez pressão para a vinda de campus universitário (mesmo havendo outros). Feira da Santana já tinha a UEFS (consolidada, por sinal) e ainda assim brigou para vinda de um campus da UFRB, sem sequer está contemplada no projeto inicial. Creio que a dica que Valença precisa é tomar tenência na vida e aprender a correr pelos seus direitos.

  7. miriam maio 2, 2014 às 10:49 pm #

    Lideranças comprometidas para melhoramos o que já temos, e por que não correr e lutar por cursos e melhorar,buscando professores qualificados e comprometidos com o ensino.

    Quantidade sem qualidade também não .Chega Valença não merece isto .

Deixe um comentário