O COMÉRCIO DAS ARMAS DO VOTO DA POLÍTICA VIVENDO

Por Pr. Josafá Souza Costa

Só lamento que se o DEM, antigo (Arena 1 e Arena 2, PDS, PFL e agora DEMO) esteja em extinção, carregue também a credibilidade que tinha o PT, bem como outros grandes partidos que já se foram, os quais conquistam com o preço tão alto a credibilidade das massas, onde muitos ideais e vidas foram sacrificadas e também tenha jogado fora da forma mais vil possível a conquista de um legado que marcou a história de um povo sofrido e que acreditou no poder da impossibilidade, a despeito de tanta infâmia, injúria, calúnia e difamação, preço pago para se firmar diante daquilo que era hipotético!

Parece que o sonho acabou, pelo menos para alguns partidos e políticos, mesmo tendo esse ou aquele partido saído vitorioso da campanha eleitoral, pelo menos por quatro anos, depois volta tudo de novo. Mas é bom lembrar que nada é eterno, a não ser Deus, do qual muitos se lembram apenas quando o assunto é seu ego.

Parece que o ser humano é predisposto a ser credo naquilo que não merece nenhuma credibilidade, e execram aqueles de boa índole, de boas intenções, de bom alvitre e que de formas diversas já tem dado mostras altruístas e alvissareiras da pré-ocupação com causas nobres e dignas de serem vistas como um verdadeiro sacerdócio que é o prazer de servir a coletividade. Esses sempre ficam de fora, pois, na visão holística, deveríamos analisar o conjunto daquilo que é concreto e não daquilo que é hipotético e com afinidade para o obsoleto. Tornam-se vítimas desse descalabro especialmente as grandes massas, desprovidas do mínimo de análise cognitiva, reféns do estado de miserabilidade, famintos por pão e circo, transformados em meros expectadores da patifaria do mais sórdido espetáculo, ingenuamente transformando os súditos em bobos das cortes, “com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar”. Mesmo que as regras das leis sejam claras e que teimam em coibir, prevalece sempre o poder econômico do malfazejo que usa e abusa do capitalismo selvagem que compra de forma barata os bárbaros, seja com espécie, seja com cargos ou promessas futurísticas e maquiadas atos impressionistas.

A grande jogada da política brasileira está em ver o adversário tomar o poder e ter que entregar novamente ao oponente por ter agido igual ou pior que o antecessor. Estamos cansados dessa mesmice, dessa burrice comportamental e atitudinal dos velhos políticos da velha oligarquia e mesmo estando num estado democrático de direitos, vemos a avacalhação do sistema que para se estabelecer, anarquizou o obsoleto da ditadura militar. Ou será que não estamos sob o domínio de uma ditadura disfarçada de democracia? Se fizermos uma análise acurada, veremos que não devemos continuar cegos por partidos, nem por seus representantes, pois o que lhes interessa é apenas o poder, e como já dizia Chico Anísio, “O povo que se exploda”!

Devemos sim, conservar nossos valores morais, éticos e alguns outros mais, sem deixar que a possibilidade da eleição de tal político ou agremiação partidária nos encha de esperança, pois, só há esperança pra quem foi eleito, bem como para os seus súditos, além é claro, dos seus financiadores. O resto será sempre o resto, porque ninguém vale nada quando pelo nada se vendeu!

Só a educação promove o humano do seu estado escravocrata para senhor da sua própria razão de ser, não apenas de existir.

Uma resposta para O COMÉRCIO DAS ARMAS DO VOTO DA POLÍTICA VIVENDO

  1. Vanvan Luz novembro 1, 2012 às 9:20 am #

    Aqui está um argumento sábio……este entende do assunto…..parabéns ao Nosso Pr. Josafá,

Deixe um comentário