O PODER PÚBLICO ERRA, MAS QUEM PAGA SOMOS NÓS

image

Conversei há pouco com o Capitão Amaro da CIRETRAN, ele nos disse que desde o governo de Cláudio Queiroz vem solicitando dos gestores placas para proibir a parada ao lado da Maron Tecidos e nenhum prefeito atendeu as suas solicitações.

Eu tenho minha opinião em relação a isso tudo. Acho que a CIRETRAN deveria ser um órgão independente, deveria ter um orçamento para essas emergências (comprar placas, colocar sinais etc…), não acho que a prefeitura tenha obrigação de doar placas de sinalização para a CIRETRAN. Primeiro: esses dois gestores que o Capitão falou, nunca tiveram muito compromissos com a cidade. Valença quase fechou as portas no governo de Cláudio Queiroz, e o tio não deveria ser diferente. Segundo: se depende de ajuda da prefeitura para essas coisas passe logo tudo para eles. Ou então deixem de multar carros estacionados em locais errados, deixem de fazer blitz para prender motos e carros. Por que é muito fácil: vocês fazem aumentar a arrecadação do município e não conseguem ajudas da prefeitura para desempenhar o trabalho de vocês. E com isso, quem sofre somos nós donos de veículos que pagamos multas que são provocadas pela própria prefeitura, porque não faz benefícios na cidade para que possamos trafegar em paz.

A obrigação da CIRETRAN é multar por estacionamento em local proibido e outras penalidades mais. E quem multa a prefeitura por deixar as crateras pelas ruas da cidade? Perguntei ao Capitão de quem era a culpa por deixar os tratores e besouros trafegarem nas ruas por conta da prefeitura. Ele disse que era de competência da PM. A prefeitura pode errar o cidadão comum quando erra paga por ele e pela prefeitura. Imagine se fosse um trator de uma empresa privada? Acho que eles já teriam até leiloado.

Outra coisa que observo é aquela viatura da PM estacionada em cima do calçadão. Será porque estacionam ali? Não é proibido estacionar em locais públicos que só servem a pedestres? Ou aquele trambolho fica ali para a população ver as péssimas condições dos veículos da polícia?

3 Respostas para O PODER PÚBLICO ERRA, MAS QUEM PAGA SOMOS NÓS

  1. chico do tomate janeiro 23, 2010 às 6:55 am #

    valenca uma cidade sem comandante,sem prefeito, aqui todos mandam, valenca se cria cavalos nas ruas,bode,cachorros,policias nao visitas os bairros,secretarios da prefeituras nao trabalha porque o super secretario e prefeitinho nao deixa,os comerciantes pagam imposto mais nao tem beneficios, a cidade visitadas pelos turistas que deixam receitas no comercio,mais e muito suja, quem vai a orla pode ver a carnica,se juntar os 3 ultimos prefeitos claudio,renato e o ditador que dar 10 anos,somando em dinheiro arrecardado pela prefeitura de valenca dar R$ 750.000.000milhos amigos, nao tem uma obra na cidade, so armengagem, vcs podem fayer suas contas e dar uma volta em toda valenca, nada de obra.

  2. chico do tomate janeiro 23, 2010 às 7:07 am #

    O Portal de Notícias da Globo

    23/01/10 – 02h54 – Atualizado em 23/01/10 – 02h54

    Cidade de Alagoas tranca ruas com corrente e cadeado para evitar crimes
    Violência tirou o sossego dos 26 mil moradores.
    Banco ameaçou deixar a cidade, que tem apenas 10 PMs.

    Do G1, com informações do Jornal da Globo
    Tamanho da letra
    A- A+

    Cansada da presença de bandidos e da ausência de polícia, uma pequena cidade do interior de Alagoas resolveu fechar-se ao crime. Boca da Mata simplesmente trancou ruas com cadeado e corrente.

    Veja o site do Jornal da Globo

    Boca da Mata é cidadezinha do interior de Alagoas cercada por serras e por muito verde. Parece um lugar tranquilo para se viver, mas a violência tirou o sossego dos 26 mil moradores.

    É difícil encontrar um comerciante que não tenha uma história para contar. O comerciante José Vanderlei Santos, por exemplo, teve o mercado assaltado duas vezes. “Atiraram para todo canto, quebraram tudo, o que tinha na gaveta levaram”, relata Santos.

    A única agência bancária foi invadida por bandidos oito vezes.

    “Não podia ouvir um tiro, nem um estouro de bola, de moto, que já baixava as portas. Via alguém correr já pensava que era assalto, era apavorante”, diz a comerciante Sônia Pedro da Rocha.

    Era porque essa situação começou a mudar depois que o banco ameaçou deixar a cidade, que tem apenas 10 policiais militares. Foi, então, que comerciantes, autoridades e lideranças resolveram tomar uma atitude, digamos, de emergência.

    Corrente e cadeado

    Nem reforço policial, muito menos câmeras de vigilância. A solução que Boca da Mata encontrou para tentar dar a sensação de segurança à população foi bem caseira: corrente e cadeado. Avenidas e ruas de acesso ao centro foram bloqueadas durante o horário comercial. Só uma rua fica aberta para a passagem dos carros.

    “Se tivéssemos um estado onde o aparelho de Segurança Pública funcionasse de forma adequada, certamente, não estaríamos utilizando essas correntes para nos esconder dessa violência que assola nosso estado”, afirma José Gilson da Costa Neves, do Conselho Municipal

    ISSO PODE ANCONTECER COM VALENCA,SE A POLICIA NAO SAIR NOS BAIRROS A COISA VAI PEGAR, E CRIME TODOS OS DIAS E NINGUEM TOMA PROVIDENCIAS, ONDE ESTA O COMANDO DE VALENCA, E FEITO POR SALVADOR, SERA QUE DESATIVARAM TUDO AQUI EM VALENCA, GOVENADOR NA SUA ELEICAO O POVO DAQUI ACREDITOR EM VC, E VC NADA F POR ESTA CIDADE.

  3. farao janeiro 23, 2010 às 11:06 am #

    precisa municipalizar o transito pra cabar com esse negocio de que a cuplpa é da PM ou CIRETRAN ou Prefeitura. Mas com esse Ramiro, sei não. Vi uma entrevista de Regis da Vidracaria, ele dizendo q foi perseguido com uma multa injusta, vi as fotos e não dei risada pra não indelicado, o carro dele estava mesmo na contra-mão! Tem que existir um Prefeito Homem, pra mudar isso em Valença. E o amigo em cima falou em segurança, tem certeza, mas acho também q a cilpa é desse…

Deixe um comentário