MARCELO QUEIROZ DISCORDA DO TERMO: UM CARIOCA FOLGADO NOS GOVERNANDO

Estimado Pelegrini

Vislumbro com maestria os comentários de Lina e de todos em seu precioso BLOG, pois a democracia é realizada com discussão e liberdade de expressão.

Mas, perdoe-me a deselegância em discordar de você no que tange ao
comentário: “um carioca folgado nos governando”, pois a gente não pode escolher o lugar para nascer, mas a gente pode escolher o lugar para viver, ser feliz, estudar, formar família e fazer política.

Todavia, acredito que você deva concordar que durante muito tempo
nosso Estado estava mergulhado num mundo de “faz de conta”;
“Faz de conta que a Bahia está bem, Faz de conta que tínhamos segurança, saúde, educação, programas sociais, etc..”

A Bahia durante anos caminhou sem planejamento, pois o que vislumbramos atualmente na educação, na saúde e principalmente na segurança pública é reflexo de um Estado que foi conduzido de qualquer forma sem responsabilidade e em Valença não é diferente.

Você tem idade de ser meu pai, viveu a Bahia de diversas maneiras e pergunto a você: Quem resolverá os problemas sociais e urbanos que o Estado Baiano apresenta? Quem será o dito cujo que em 4 anos ou em 8 reverterá o acumulo de gestões incompetentes?

Faz-se necessário um gestor que permita a coisa mais essencial para a consolidação de uma sociedade menos desigual e mais humana, acredito que você e todos saibam que sem planejamento o resultado é uma gama de consequências drásticas que alcançam a porta da nossa própria casa.

Agradeço o espaço para apenas rubricar humildes palavras para uma pessoa que admiro pela coragem e pela determinação.

Abraços Fraternos!

12 Respostas para MARCELO QUEIROZ DISCORDA DO TERMO: UM CARIOCA FOLGADO NOS GOVERNANDO

  1. pelegrini maio 1, 2010 às 10:16 am #

    Caro Marcelo,

    Fiz questão de postar o seu comentário como post principal, para que todos possam também participar do debate e possam entender o termo: carioca folgado, pelo qual chamei o governador Wagner.

    Uma das coisas que mais fico indignado em minha vida é quando alguém fala: fulano é forasteiro, não pode falar nada, pois não é daqui. Acho que todo cidadão brasileiro tem o direito de “ir e vir”, de opinar em qualquer lugar do Brasil etc.

    Quando me referi a: carioca folgado e que sempre fomos governados por baianos, talvez tenha sido infeliz em colocar esse termo, ainda mais porque não gosto que alguém faça comigo, depois moro em uma cidade da qual não sou filho. Escolhi este lugar para viver, quando aqui ainda era um paraíso, onde podíamos dormir com as portas das casas abertas. Lembro sempre um fato por aqui, quando alugamos uma casa para fazer uma república, e fomos morar seis jovens, abrimos a porta da casa para morar e só fechamos a porta quando fomos entregar as chaves para a dona, quatro anos depois. É algo realmente de deixar saudades. Talvez seja por isso amigo Marcelo, que às vezes fujo um pouco da ética e ataco a quem crítico. Sei que fui errado em dizer que sempre fomos governados por baianos e achar que éramos felizes. Concordo com a sua colocação, de que naquela época vivemos realmente um período obscuro na política baiana.

    Outro dia estava a conversar com um vereador aqui de Valença, quando de repente chegaram quatro jovens pedindo ao vereador uma colaboração para uma festa de escola, e ele perguntou qual seria a colaboração, eles disseram que era adquirir um ou dois ingressos no valor de R$ 1,00 cada. Ele pediu que os jovens retornassem ali depois que ele iria colaborar. Quando os jovens se foram ele me disse: “Veja como o povo exige tão pouco”. É verdade, exigimos pouco e não somos atendidos na hora, temos que voltar depois, depois e depois.

    Será porque o governador da Bahia não nos dá esse pouco que exigimos que é: a segurança? Para ao menos termos o direito de “ir e vir”. Porque os aliados do governo (refiro-me aos petistas defensores do governo) não se esquecem de falar da herança maldita e partem para construir um novo futuro? Sei que não é fácil reconstruir, mas precisamos ao menos ver começar.

    Eu é que peço desculpas a você por minha postura discriminatória ao governador, espero nunca mais usar tal termo.

    Espero também Marcelo, que apareça alguém, mesmo que venha de qualquer canto do Brasil, para dar direção a nossa Bahia. Precisamos recuperar nossa dignidade, reciclar nossos conceitos. Porque, senão voltaremos a viver como aquelas criaturas que o mundo esqueceu.

    Continue a usar nosso espaço, seus comentários só nos enriquecem.

    Grande abraço do amigo,

    Pelegrini

  2. Marcelo Queiroz Jr. maio 1, 2010 às 11:04 am #

    Adorei a surpresa!…

    E mais ainda, sou seu fã ao que tange retórica.

    Vou usar sempre seu espaço Pelegrini.

    Por isso digo sempre aos meus amigos… que a democracia em Valença se fortalece com seu Blog.

    Grande Abraço, e feliz dia do Trabalhador!

    Afinal, todos nós labutamos arduamente em nosso cotidiano! :)

  3. Lina maio 1, 2010 às 3:44 pm #

    Marcelo querido, eu tenho uma tia muito antenada e articulada e sempre votou na esquerda e diante das barbaridades do Governo Wagner ela diz o seguinte: Sabe qual a diferença do Governo ACM para o atual? Só uma… Há corrupção e falta de planejamento do mesmo jeito, mas no Governo ACM haviam bons técnicos, pessoas preparadas e agora o meu chefe é um paulistano que profissionalmente é um amor de pessoa, queridíssima, mas que além de não entender “patavina de nada”, ainda é laureado… Sabe pq? Pq canta bem MPB e “anima” as festinhas dos poderosos… Eu o conheci pessoalmente e ela não mentiu em nada, ele é realmente uma gracinha… Especialista em Bossa Nova… Mas ela, além de ser escritora, tem 3 pós-graduações na área, é convidada a divulgar seus livros pelo Brasil afora e em novembro passado foi até a Argentina a convite do Governo proferir uma palestra… Hoje ela me disse com tristeza na voz: Que saudade do Governo de ACM, pelo menos tínhamos com quem conversar… Não sou especialista em luta sindical e fico sem assunto com a esquerda… Ela votou em Wagner acreditando em mudanças, em pequenas mudanças, mas em mudanças que até hoje ela espera… Enquanto isso ela ouve EU SEI QUE VOU TE AMAR… E ainda fica feliz, pois pelo menos a voz do chefe é bonita!

    Realmente Marcelo, o Brasil é um país continente e as pessoas migram… Pelegrini é de Itapetinga, vc de Valença e estão residindo em outros lugares… Mas Wagner não está honrando o estado que o acolheu com emprego no Polo Petroquímico, o iniciou no sindicato e até na política, desta forma só posso concordar com quem diz: DEVOLVA A BAHIA AOS BAIANOS!

  4. Indignado maio 1, 2010 às 8:46 pm #

    Concordo com Pelegrini no que tange ao termo “folgado”!!!
    Combatemos o Carlismo: a corrupção, criticavámos as obras porque diziam roubam mas fazem, com o Carlismo só as cidades aliadas que recebiam obras, só os aliados se beneficiavam, ( ACM era o pior dos bandidos, o Malvadesa ), criticamos a vinda da Ford, e lá vai…

    Contra as pesquisas elegemos Wagner e pensamos agora vai, tudo vai mudar, Wagner tem o apoio do nosso Presidente Lula, o cara, a Bahia é um dos únicos estados administrados pelo PT, agora vai, vamos ver obras em toda parte, mais empregos, mais indústrias?! “indústria não já que criticamos a vinda da Ford…
    Então vamos fortalecer a Administração pública: vamos investir na segurança, saúde, educação, no social!!! mas isso da uma trabalheira!!! Daí concordar com o termo “folgado”.
    Lembro os discursos inflamados de ACM defendendo a Bahia para atrair benefícios para o estado, me dava uma raiva, hoje eu sinto falta de um representante dos baianos, alguém que levante a voz pela Bahia…
    Ah só pra me matar de raiva: por incrível que pareça o DEM foi o partido que mais conseguiu trazer recursos para a Bahia em 2009, absurdo logo eles!!!
    Mas não tem quem faça, e agora se Dilma perder?? com Lula já foi difícil o estado melhorar, na verdade piorou, não por culpa de Lula mas por culpa desse Wagner “folgado”, se Serra vencer a eleições como será pra Wagner??
    Fora Wagner!!!!!!!

  5. Lucas Reis maio 2, 2010 às 12:52 am #

    “Sabe qual a diferença do Governo ACM para o atual? Só uma… Há corrupção e falta de planejamento do mesmo jeito, mas no Governo ACM haviam bons técnicos, pessoas preparadas e agora o meu chefe é um paulistano que profissionalmente é um amor de pessoa, queridíssima, mas que além de não entender “patavina de nada”, ainda é laureado”

    Peleh, essa conversa de bons técnicos no governo anterior, vira e mexe é reproduzida. Só precisaria saber aonde estavam esses bons técnicos que deixaram a Bahia com os piores indices socias do Brasil? Onde estavam os bons técnicos na área da saúde que passaram 20 anos sem construir um hospital sequer? ou aqueles que deixaram a Bahia com 1,5 milhão de analfabetos? ou aqueles que deixaram a Bahia como o estado campeão desemprego?? Ou os excelentes técnicos que deixaram 2 milhoes de pessoas sem acesso a água? Ou aqueles que não s preocuparam suficientemente com educação e hoje vivemos um grave problema com tráfico de drogas, geranda insegurança na população?

    peleh me faça um sorvete de garapa!!!!!

    Ah , sim, precisamos afirmar sempre que a segurança pública passa por um problema sério, gravíssimo. mas, não podemos dizer, e isso eu vejo o tempo todo aqui, que o governo é omisso a situação.
    Vejam quantos policiais militares já estão nas ruas(3200) e quantos(3200) estão em treinamento e peguem dados de governos anteriores, façam o mesmo com o número de viaturas(1120), ou perguntem a um policial se o salário dele é melhor hoje ou em governos anteriores.
    Dizer que o governo não faz nada é complicado.

    Vamos a frente

    Abraços a Tod@s,

    Lucas Reis
    DCE UNEB
    Partido dos Trabalhador@s

  6. Zé da Hora maio 2, 2010 às 1:08 am #

    CORRUPÇÃO
    Será que é tão dificil o combate?
    -A verdade é que tentativas de moralizar a política brasileira são diversas. Contudo, p’ra mim, a iniciativa que considero mais eficaz seria combater a corrupção nas urnas.
    Neste ano, haverá eleições gerais, e projetos de lei para combater a corrupção e moralizar o sistema político brasileiro estão em pauta no Congresso Nacional. Ao todo, 13 propostas estão prontas para serem votadas no Plenário da Câmara dos Deputados. Os projetos preveem, por exemplo, punição mais rigorosa para os crimes praticados por detentores de mandato eletivo, maior transparência na gestão pública e obrigatoriedade de FICHA LIMPA para os candidatos à eleição.
    Todo comentário acima foi feito, Senhores leitores, para dizer que tramita na Câmara do Deputados um projeto de lei de iniciativa popular (PLP 518/09), denominado “FICHA LIMPA’.
    O projeto reuniu mais de 1,3 milhão de assinaturas, recolhidas pelo Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral, formada por 43 entidades, entre estas, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil -CNBB.
    Sim, e daí?
    A iniciativa tem como ítem principal a impossibilidade de candidatura a cargos eletivos de pessoas condenadas em primeira ou única instância. Em casos de crimes de improbidade administrativa, conhecidos como “colarinho branco”, é necessário apenas que denúncia seja recebida por qualquer instância de um órgão colegiado para impedimento da candidatura.
    Sim, e como anda o projeto na Câmara?
    Ele já foi a votação em 14.04.10, e como não ouve consenso os lideres partidários resolveram suspender a apreciação transferindo a votação para o dia 04.05.10.
    Sim, e daí o que tenho com isso!.
    Se você é um dos criticos da Corrupção no meio político, chegou sua vez de opinar. O assunto é bastante polêmico, tem até Cientista político que não acredita que o projeto “FICHA LIMPA” seja aprovado na Câmara. Um deles chega até a dizer; “Os deputados não vão aprovar esse projeto, quando quase a metade deles tem condenação em primeira instância e mais um terço tem em segunda instância”.
    Assim, você tem até o dia 04.05.2010, para telefonar, mandar torpedo, e-mail, telegrama etc. para seu Deputado pedindo para que aprove o projeto denominado”FICHA LIMPA’.
    -Portanto, vamos a luta…

  7. Lina maio 2, 2010 às 3:08 am #

    Minha família é ligada ao Governo Paulistano (isso não é sinônimo de amigos de Mercadante e Marta ou até de Serra, a quem darei meu voto no 2º turno), mas é senso comum que a TOYOTA não veio para Bahia em virtude do que vcs chamam de “folgado”… Essa característica tão peculiar desse consumidor voraz de “Jonny Wolk”, também conhecido com Wagner Moleza ou WAGAREZA…

    Acorda Wagner, que ser político é muito mais que ganhar eleição!

  8. Romualdo maio 2, 2010 às 9:57 am #

    Prezados,

    Bastante oportuna a discussão iniciada por Marcelo ao abordar questões essenciais que geralmente afloram em ano de eleições: origem e qualidade dos candidatos, projeto de governo e propostas de políticas públicas.

    Ocorre que o nosso limitado conhecimento político (digo da maioria de nós brasileiros e refiro-me à política em seu sentido largo e não restrito a partidos) e a insistência da grande mídia e das elites em sustentar esse status quo, concorre para reduzir a discussão apenas a características pessoais dos candidatos. Daí temos que a candidata X não serve porque é filha de Y; candidato B é inviável porque nasceu mais ao sul; e a candidata M não dá porque traiu o marido.

    Há outros pontos que acabam se tornando falsas marcas indeléveis em determinados grupos políticos ou partidos. Dois exemplos locais são a tão propagada competência administrativa e o dinamismo do grupo outrora carlista (DEM e aliados) e, por outro lado, a baderna e a lentidão daqueles que lhe são contrários (PT e aliados). Sem querer entrar no mérito do que se entende por competência, as premissas são falsas posto que há diversos exemplos de ambos os lados de fracassos e sucessos. Mas uma inverdade dita repetidamente acaba por se transformar em fato.

    Aproveito a menção da conversa que Pelegrini teve com o vereador para abordar outro ponto. É impressionante a reduzida atenção dada às eleições parlamentares (para vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores) e a visão equivocada que temos do trabalho dos legislativo. Parece que a eleição resume-se apenas aos cargos majoritários (prefeito, governador e presidente). O parlamento, na essência, existe para elaborar leis e fiscalizar o Executivo, mas o que cobramos e testemunhamos está aquém dessas funções. O equívoco leva a definir o bom parlamentar como aquele que contribui para a nossa festa de formatura e distribui brinquedos para as crianças carentes. De acordo com a função essencial, o parlamentar bom deveria ser aquele que propusesse leis e emendas para a melhoria do ensino e das escolas e que, em vez de distribuir brinquedos, acompanhasse criticamente as ações do Executivo para o bem-estar infantil, sugerindo, dentro da sua competência, as correções de rumo.

    Alcançar este patamar de consciência política é difícil, porém possível. Se começarmos hoje dentro de nossas próprias casas, oxalá em uma geração teremos mudanças. Usemos então as armas que temos (voz, voto e informação) e não nos contentemos com pouco.

    É isso.
    Saudações,
    Romualdo

  9. roque campelo maio 3, 2010 às 12:28 pm #

    Pele: Como e bom ver pessoas como o Sr. Romualdo participando do seu blog despertando, principalmente nos jovens, a obrigaçao de fazer politica com seriedade. Abraços Roque

  10. Elena maio 5, 2010 às 10:03 pm #

    Para os jovens votar em Wagner é lei… Alguém discute?

  11. Zé da Hora maio 6, 2010 às 12:38 am #

    Sr. Romualdo,

    Parabenizo pelo seu texto, e, de forma pontuada o 4º parágrafo. Vejo aí conhecimento do previsto no art. 29, ítem XI, da Constituição da República Federativa do Brasil.Conhecimento este que falta a muitos, e, que ora o Senhor nos ajuda contribuindo com seus ensinamentos.

    Continue escrevendo, eu como leitor deste blog agradeço.-Com a aquiescência do Pelegrini, acredito!.

    José da Hora

  12. pelegrini maio 6, 2010 às 8:20 am #

    Claro meu amigo Zé! Quem faz o blog são vocês, vocês é que mandam. Gostaria muito de ver mais comentários do senhor Romualdo.

Deixe uma resposta