Archive | Política RSS feed for this section

Abertura do Carnagamboa atrai cerca de 12 mil foliões

carna 1 O Carnagmaboa, o carnaval da Prefeitura de Cairu, foi oficialmente aberto pelo Prefeito Hildécio Meireles neste sábado (05). Ao lado do deputado Yulo Oiticica,do presidente da Câmara de Cairu Igor Marques e do vice-presidente Pikui,o Prefeito passou as chaves do município ao Rei Momo e pediu um carnaval de paz. “Que neste ano a tradição do carnaval pacífico da Gamboa se repita e todos brinquem com espírito de paz”, disse Hildécio Meireles.

carna 2Uma parceria entre a administração municipal e o Comando da 33ª CIPM garante o reforço do policiamento ostensivo da festa. Uma média de 80 policias militares por dia garantirão tranqüilidade de nativos e visitantes que escolheram a Gamboa como destino neste carnaval. A Prefeitura, através da Secretaria de Saúde, também reforçou o número de médicos e enfermeiros de plantão para assegurar o pronto atendimento, o transporte emergencial marítimo e terrestre,do mesmo modo, está de prontidão para atender possíveis ocorrências.

carna 10Cerca de 12 mil pessoas passaram pelo Carnagamboa neste primeiro dia de folia. O cantor Belo foi a principal da noite e embalou os milhares de fãs que cantaram em coro sucessos como ‘Don Juan’ e ‘Noites Traiçoeiras’. Fábio Márcio e a banda Flor do Reggae também garantiram a animação da galera.

carna 8No camarote o Prefeito Hildécio Meirles e o Vice-prefeito Zeca Ribeiro receberam amigos e convidados como os deputados estaduais Rogério Andrade e Yulo Oiticica,o ex-prefeito de Nilo Peçanha Antônio Galdino,o ex-prefeito de Valença Claúdio Queiroz,o ex-vice-prefeito de Valença Ricardo Moura,o presidente da Câmara de Cairu Igor Marques e os vereadores Fernando Brito, Nadinho, Valdinei Cruz,Pikui,Alex Batista, Renatinho,Abdon Ché e Rui Vieira,além das secretárias municipais Dra. Cintia Rosemberg,Dra.Aline Cabral e Petrusca Melo, os secretário de cultura Isaías Ribeiro e de turismo Júlio Oliveira, Estácio Coutinho assessor de relações institucionais, Jacy Bartolomeu chefe de cerimonial ,a superintendente de cultura Adelaide Ribeio,Miro Cabral superintendente de esportes, entre outros amigos , colaboradores, assessores e empresários.

carna 9O Carnagamboa segue até o dia 08 com grandes atrações como Leva Nóiz e Saiddy Bamba.Por todo o arquipélago a folia momesca prossegue- na Sede tem a Lavagem da Reversa refrescando o calor com banho de chuveirão, em Boipeba tem a Lavagem do Beco e o Jegue Elétrico e na Gamboa ainda tem a Lavagem do Beco da Zélia e concurso de fantasias.

Jamille Soares
Assessora de comunicação/PMC

Comentários { 11 }

CAMAMU: AGENTES DE SAÚDE REALIZARÃO BLITZ DO BEM

A Prefeitura Municipal de Camamu através da Secretaria de Saúde realizará no nesta sexta-feira de carnaval, dia 04 de março, uma campanha de prevenção a acidentes no trânsito denominada ‘Blitz do Bem’. O objetivo é alertar os motoristas, passageiros e pedestres para adotarem condutas corretas no trânsito. Consequentemente serão reduzidos os índices de mortos, feridos e de acidentes com danos materiais no período carnavalesco.

36 profissionais da saúde, entre agentes comunitários, técnicos de enfermagem e enfermeiros serão divididos em seis equipes que se revezarão dois turnos (manhã e tarde) em três locais estratégicos: Pousada Kiastral, Posto de combustível Bonfim (ambos na sede) e Posto de Combustível de Travessão. Os profissionais estarão fazendo um trabalho educativo e preventivo, através da distribuição de folders e conversação com motoristas e pedestres.

Para a enfermeira Tharsia Oliveira de Menezes, uma das organizadoras da ‘Blitz do Bem’, “é importante a conscientização dos motoristas porque muitas tragédias podem ser evitadas se eles tiverem uma postura correta no trânsito”.

Além das orientações para se dirigir com segurança, os agentes de saúde irão distribuir preservativos e falar sobre a importância de utilizá-los para evitar gravidez indesejada e a contaminação por doenças sexualmente transmissíveis, também muito comuns nessa época.

“Acredito que pelo carnaval ser uma festa popular e estimulante as pessoas tendem a se relacionar sem proteção, gerando muitas vezes uma gravidez indesejada e a propagação de doenças sexualmente transmissíveis. Nossa missão é orientar os cidadãos a usarem preservativos para que isso não aconteça”, salienta o secretário da Saúde de Camamu Jassicon Santos, que também estará trabalhando na ‘Blitz do Bem’.

O secretário acrescenta ainda que durante todos os dias de festa vão ter equipes de plantão atendendo na sede e no povoado da Ilha Grande, que é o local de maior concentração de pessoas em Camamu no período do carnaval.

Vanessa Dantas

ASCOM – PM/CAMAMU

Comentários { 2 }

SINGELO

A flor perfeita…

o sorriso nos lábios

os olhos, relicários

tão bela.

tão Ela.

(Caio Dimitri)

…SILENTE…

Comentários { 9 }

O CHÃO BALANÇAVA MESMO!

Um dia eu fui conferir de perto pra ver se o chão balançava e, balançava mesmo! Não sei hoje se é a mesma coisa.

Para mim essa foi a melhor época. E a sua qual foi?

Comentários { 0 }

Massa mal conduzida

O lamentável episódio ocorrido em Valença na última quinta-feira, 24 de fevereiro, em que uma manifestação contra a insegurança virou um festival de badernas, mostra, antes tudo, o despreparo das pessoas responsáveis pela organização do movimento. O quadro de violência em geral, patrocinado pelos assaltos, homicídios, comércio de drogas, desemprego, falta de vocação para os estudos e pela desatenção do Governo do Estado a quase tudo que se refere à segurança pública, é mais do que suficiente para um levante da população duramente vitimada. Mas o que se viu foi uma passeata justa em seus objetivos dirigida por alguns que nunca ouviram falar, no sentido conceitual do objeto, em organização de massas.

Deu no que deu. Por mais incrível que pareça, o mar de equívocos gerado pela incapacidade e deformação política das lideranças responsáveis pelo protesto atingiram, injustamente, instituições públicas e símbolos de sucesso do setor terciário, que representam da maneira mais ampla possível os interesses da população.

Então vejamos: As lojas saqueadas dão empregos a milhares de pessoas em todo o Estado, tem um relevante trabalho social e trata-se de uma referência genuína da Terra do Camarão; a prefeitura, por mais que possa fazer não é responsável pela segurança pública; e a Câmara Municipal, como legítima Casa do Povo, foi onde mais se debateu o tema “insegurança”. Existem centenas de momentos que comprovam as atitudes dos vereadores clamando soluções, a quem de direito, para a situação vexatória vivida por Valença.

Mas tudo tem limite. A acomodação popular se transformou em coragem para gritar “socorro, eu não quero morrer desse jeito tão estúpido!”. Pena que a massa foi muito mal conduzida. Aproveitadores de plantão, percebendo o amadorismo dos cabos-de-turma, se travestiram de ladrões, quebraram e levaram pra casa o que não lhes pertencem, cheios de orgulho próprio do universo das bestialidades.

As imagens apontam centenas de travestidos em ilícitas ações, enquanto os três ou quatro “líderes” do movimento são de conhecimento de todos. Cabe às polícias um choque de gestão em busca da ordem, tão fugida, e a aplicação do rigor da lei sobre aqueles irresponsáveis, que tornaram uma improvisada caminhada da paz em campo de saque e guerra!

Railton Ramos

Editor do Jornal Costa do Dendê

Comentários { 30 }

PRESIDENTE BERTOLINO FALA QUANDO O PREFEITO FUGIU

Ainda sobre a manifestação de Valença, quando o presidente da Câmara declarava sobre o movimento.

Comentários { 11 }

CULPAR ALGUÉM É PRIMÁRIO E TOLO

Por: Nana

Uma onda de violência daquela natureza jamais seria incitada por um político ou um grupo político – todos os estudos apontam a violência como multifatorial, ou seja, várias coisas foram se somando ao longo desses dois anos de descaso, mentiras, obras superfaturadas, deboche, falta de segurança pública, assaltos constantes em plena luz do dia e claro, culminou em mais um latrocínio… Acompanho esse blog e um dos assuntos mais constantes é a questão da violência regular na cidade. Precisou acontecer algo do porte daquele vandalismo para o prefeito ir buscar reforços na capital, quando o seu acesso ao atual Governador – OTTO ALENCAR, POIS WAGNER ESTAVA VIAJANDO – era ainda mais fácil do que o petista, que foi recebido em Valença e desfilou em carro aberto, com o aval do prefeito e que teve bastante voto. Muitos sinais foram dados antes daquela tragédia, muitos sinais, mas não foram ouvidos e o povo cansa de pedir, implorar, gritar e não ser ouvido… A fúria do povo quando vem (isso é histórico) vem com uma força praticamente impossível de controlar… Sem falar que é um absurdo uma pessoa morrer em casa, vítima de um ladrão e a família não poder enterrar seu corpo, pois não tinha legista… Se o povo não se mobiliza, quanto tempo ficaria esse ser humano sem vida e essa família sofrendo para dar-lhe um enterro descente? Isso revolta qualquer um e não precisa ser um familiar para se solidarizar com tal situação.

Colocar a culpa nos outros e insinuar que o povo foi incitado por A ou B, pelo grupo de X ou Y é primário e tolo. O que é preciso fazer agora é encarar a situação de frente, assumir as responsabilidades que existem e não são poucas e buscar estratégias para lidar com o problema da violência que está intimamente ligado as drogas e estabelecer políticas públicas que estimulem o esporte e atividades que propiciem lazer e entretenimento, aliados a saúde e educação e cultura.

Vereadores, revejam essa postura, pois isso é muito infantil e o povo já está bem crescidinho pra acreditar em lobo mau.

Me solidarizo com a família da vítima, com a dor da perda e a tragédia da espera que se sucedeu e também com a família do prefeito e os funcionários de suas lojas, pois sou contra a toda forma de agressão física e saqueamento.

Obrigada pelo espaço concedido e bom carnaval a todos.

Nota: Nana, postei seu comentário no principal, retirei sobre a denúncia porque já tem gente investigando e pode atrapalhar.

Comentários { 11 }

Olhar critico sobre a violência em Valença

 

Por Ismario Miranda

Meus caros,

De tanto ouvir e presenciar os vários gritos “mudos” da nossa sociedade e perceber que a violência tornou-se uma pauta diária dos nossos meios de comunicação me pego a divagar…
Quantas cidades temos dentro de uma cidade? Esse é um problema pontual? Resolve-se com grades, luzes, aparelhamento policial e big brothers ?Provavelmente a resposta será: Não!
No último episódio vivenciado em Valença com indícios de selvageria humana possivelmente cometida por meia dúzia de vândalos, mas, perigosamente reproduzida por uma significativa parcela da comunidade, aqueles mesmos dos gritos “mudos” nos fazem perceber que a violência constituída pelo crime exarcebou todos os limites do bom senso e se perdeu no limiar daqueles que buscam cidadania, justiça social e paz.
Pobre Valença, que no afã de atingir a moral política do seu principal e legitimo representante, ao alcaide municipal, legitimado fartamente nas urnas, por pouco muito pouco, patrocina uma das mais graves temeridades e danosa ação contra o direito democrático constituído e legitimado e produz contra si próprio precedentes de fragilidade democrática tão grave quanto o próprio ato desencadeado e descontrolado que assustou famílias, nos colocou no mapa nacional da deliquencia praticada por cidadãos comuns e talvez, não vi de perto, manipulados por uma faixa dita inteligente neste processo articulador da babaquice.
Se algum político tentar usar pra si esse episódio como fato gerador da sua positiva imagem visando o pleito eleitoral que se avizinha, estará mostrando a si próprio a sua incapidade de construir valores solidários e efetivos de quem na verdade está preocupado em construir a democracia na cidade de Valença.
Esse violência criminal é um conjunto de pequenos atos contra nossos valores individuais e coletivos que se agigantou no Brasil afora com ajuda de drogas acessíveis que transformam o homem num “trapo”. Mas a verdadeira causa e se assim quisermos resolve-la está muito próximo de nós, são nossas relações familiares, nossa educação domestica, nossa formação escolar, nossa educação religiosa, nosso norte, nossa busca pela empregabilidade e principalmente nossa formação do senso critico, do que é certo e do que é errado construído por nós mesmos sem a manipulação indevidada de A e B.
Indignado com a impotência humana em reger e ser condutor dos seus próprios destinos e transformações deixo aqui a certeza que a presença da policia em nada mudará a ação dessa violência criminalizada.

Administrador de Empresas
MBA Executivo em Marketing
Mestre em Administração
Professor do IFBA Valença

Comentários { 10 }