Governo do Estado não recupera estradas do Baixo-Sul

BA 001 carlos alberto A Ba-001 no trecho entre Valença e Camamu é o retrato do descaso no baixo-sul da Bahia. Por estar numa região turística e por onde passa turistas que se dirigem ás praias de Valença, Itacaré, Cairú, Ituberá, Camamu e Maraú, a rodovia deveria manter um bom estado de conservação e trafegabilidade, mas isso não ocorre. O que se vê são muitos buracos que exigem malabarismos dos motoristas para se evitar acidentes. Um dos trechos mais danificados fica entre Nilo Peçanha e Ituberá. Moradores da região denunciam que periodicamente o DERBA realiza “tapa buracos” na via, mas quase sempre os remendos são feitos com material de péssima qualidade que são levados com as primeiras chuvas.

ba 001 carlos alberto 3Outra situação de completo abandono encontra-se na estrada que liga os municípios de Nilo Peçanha e Cairú; estrada esta, que também serve de acesso ás comunidades turísticas de Barra dos carvalhos, Garapuá, Cova de onça e Boipeba. São imensas crateras na pista que causam freqüentes acidentes e facilita a ação de assaltantes.

ba 001 carlos alberto 2 Existem duas importantes estradas de Nilo Peçanha que nunca foram asfaltadas, a estrada para o distrito de São Benedito (que fica a cerca de 43 km da sede) e a estrada que dá acesso ao povoado de Barra dos Carvalhos. A Prefeita de Nilo Peçanha, Maria das Graças de Oliveira, reclama da falta de parcerias do estado com o município no tocante as estradas; O Prefeito de Cairú faz corro com a Prefeita de Nilo. Na vizinha Ituberá, em situação parecida está a estrada que dá acesso a praia de Pratigí, passando pela comunidade quilombola de Jatimane, são milhares de buracos que afugentam turistas e causa prejuízos a proprietários de veículos. O asfaltamento da estrada Ituberá á Pirai do Norte, ficou só na promessa do Governador.

Prefeitos do baixo-sul cobram maior atenção do Governo baiano com as estradas da região.

Carlos alberto P. Santos -Radialista

Ituberá-Ba

9 thoughts on “Governo do Estado não recupera estradas do Baixo-Sul

  • maio 11, 2011 em 3:38 pm
    Permalink

    Em quanto isso a prefeita de Camamu e Presidente a AMUBS Ioná Queiroz passeia em Brasília com os parente, todos ganhando diária é claro.

  • maio 11, 2011 em 4:18 pm
    Permalink

    Conta essa história direito aí, Lacraia.

  • maio 11, 2011 em 9:57 pm
    Permalink

    Buraco em Valença e no asflato da BA. Haja Cofap , Nakata, Pirelli….

  • maio 11, 2011 em 9:58 pm
    Permalink

    corrigindo: asfalto.

  • maio 12, 2011 em 2:08 am
    Permalink

    O EX-PREFEITO GALDINO JÁ DEVOLVEU AOS COFRES PÚBLICOS O DINHEIRO QUE ROUBOU?

  • maio 12, 2011 em 8:10 am
    Permalink

    Ainda não Gal, passou a dívida para a esposa, aquela Gracinha.

  • maio 12, 2011 em 3:34 pm
    Permalink

    Pelegrini, Veja se este texto atribuído a Jorge Portugal não dá uma matéria…

    REPASSANDO….

    Pessoal,

    Bom dia!

    Concordo plenamente com a idéia do Sr. Jorge Portugal. Estou fazendo a minha parte. Há pouco, enviei e-mail ao relator do referido projeto, Senador Antônio Carlos Valadares. Se todos tiverem uma atitude como esta, conseguiremos chamar a atenção deste Senhor e dos outros. Tudo em prol de educação melhor para os nossos filhos e o futuro.

    Abraços.

    Aroldo Manzan

    « Ministério da Cultura Representação Regional da Bahia

    Se escola fosse estádio e educação fosse Copa, por Jorge Portugal

    Passei, nesses últimos dias, meu olhar pelo noticiário nacional e não dá outra: copa do mundo, construção de estádios, ampliação de aeroportos, modernização dos meios de transportes, um frenesi em torno do tema que domina mentes e corações de dez entre dez brasileiros.

    Há semanas, o todo-poderoso do futebol mundial ousou desconfiar de nossa capacidade de entregar o “circo da copa” em tempo hábil para a realização do evento, e deve ter recebido pancada de todos os lados pois, imediatamente, retratou-se e até elogiou publicamente o ritmo das obras.

    Fiquei pensando: já imaginaram se um terço desse vigor cívico-esportivo fosse canalizado para melhorar nosso ensino público? É… pois se todo mundo acha que reside aí nossa falha fundamental, nosso pecado social de fundo, que compromete todo o futuro e a própria sustentabilidade de nossa condição de BRIC, por que não um esforço nacional pela educação pública de qualidade igual ao que despendemos para preparar a Copa do Mundo?

    E olhe que nem precisaria ser tanto! Lembrei-me, incontinenti, que o educador Cristovam Buarque, ex-ministro da Educação e hoje senador da República, encaminhou ao Senado dois projetos com o condão de fazer as coisas nessa área ganharem velocidade de lebre: um deles prevê simplesmente a federalização do ensino público, ou seja, nosso ensino básico passaria a ser responsabilidade da União, com professores, coordenadores e corpo administrativo tendo seus planos de carreira e recebendo salários compatíveis com os de funcionários do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. Que tal? Não é valorizar essa classe estratégica ao nosso crescimento o desejo de todos que amamos o Brasil? O projeto está lá… parado, quieto, na gaveta de algum relator.

    O outro projeto, do mesmo Cristovam, é uma verdadeira “bomba do bem”. Leiam com atenção: ele, o projeto, prevê que “daqui a sete anos, todos os detentores de cargo público, do vereador ao presidente da República serão obrigados a matricular seus filhos na rede pública de ensino”. E então? Já imaginaram o esforço que deputados (estaduais e federais), senadores e governadores não fariam para melhorar nossas escolas, sabendo que seus filhos, netos, iriam estudar nelas daqui a sete anos? Pois bem, esse projeto está adormecido na gaveta do senador Antônio Carlos Valladares, de Sergipe, seu relator. E não anda. E ninguém sabe dele.

    Desafio ao leitor: você é capaz de, daí do seu conforto, concordando com os projetos, pegar o seu computador e passar um e-mail para o senador Valadares (antoniocarlosvaladares@senador.gov.br) pedindo que ele desengavete essa “bomba do bem”? É um ato cívico simples. Pela educação. Porque pela Copa já estamos fazendo muito mais.

    Jorge Portugal é educador, poeta e apresentador de TV. Idealizou e apresenta o programa “Tô Sabendo”, da TV Brasil.

    Fonte: Terra Magazine

  • maio 12, 2011 em 7:47 pm
    Permalink

    Ele deve chamar atenção dos prefeitos no seu programa de enganação e manipulação.

  • julho 22, 2016 em 2:38 pm
    Permalink

    A ESTRADA 001 VALENÇA CAMAMU, TEM 100 QUEBRA-MOLAS, E CETENAS DE BURACOS, JA PASSOU DA HORA DE SER TOTALMENTE RECUPERADA, OU RECAPEADA, ESSE ANO TEM ELEIÇÃO DE PREFEITOS, VAMOS LA , CONSERTAR AS ESTRADAS, PARA EVITAR ACIDENTE, É UMA VERGONHA, SOCORRO GOVERNADOR RUI COSTA. OBRIGADO AUGUSTO DANTAS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *