O REI DO FACTÓIDE

rolando na orla A brincadeira do Rolando na Orla sobre compra de jet skis pela Câmara de Vereadores de Cairu, foi longe. O editor do Jornal Rolando na Orla, Rodrigo Mario, divulgou em seu jornal que o presidente da Câmara de Cairu, Igor, iria comprar 10 jet skis e mais uma lancha para locomoção dos vereadores na localidade. A notícia rodou o mundo e foi preciso o Assessor de Comunicação da Câmara, Railton Ramos, interferir e enviar nota de esclarecimento para desfazer a mentira.

Como está esse Rodrigo Mário, hein!? Ele sempre diz que: “aumenta mas não inventa”. Só que dessa vez aumentou, inventou e muito, segundo o Assessor de Comunicação da Câmara de Cairu.

37 thoughts on “O REI DO FACTÓIDE

  • abril 29, 2011 em 11:10 am
    Permalink

    IRRESPONSABILIDADE SOCIAL

    O que intriga profundamente é que Rodrigo sempre utiliza como matéria-prima a vida particular das pessoas, em tentativas de mistura entre o público e o privado, nas quais recorre a grosseiros atos de irresponsabilidade social. Só os brutos são assim.

    O homem investido em cargo público tem que ser fiscalizado mesmo e denunciado a partir de suas prevaricações. Mas nada disso é importante para o proprietário do “Rolando”. A vida das pessoas e de seus familiares é um mero brinquedo sob a mira do olhar turvo do polêmico editor do primeiro jornal do planeta feito para analfabetos.

    Saber lidar com as consequências que o poder global da internet infere é algo ainda em fase de estudos. Quem não é generoso com os seus semelhantes tem em punho uma arma letal.Parece ser esse o caso do “Rolando”.

    Causa-me náusea tanta iniquidade praticada, calculadamente, pelo “rei da gramática assaltada”. Até quando o inconsequente posará de gênio das “ideias afetadas” em forma de letras malfadadas!?

    Mesmo sendo um ateu (“que viu milagres como eu”), rogo que o bom senso um dia caia sobre as mediocridades perpetradas pelo famoso editor das frases zarolhas. Nesse instante, a “perturbação do sossego” que o acompanha dará lugar a um cara equilibrado e FELIZ.

    Railton Ramos

  • abril 29, 2011 em 12:28 pm
    Permalink

    Raílton, seu texto é primoroso! Rodrigo “inventou” que é divertido, polêmico e ousado (oh, coitado!), mas na verdade, ele não passa de um cara que não sabe escrever e acha graça em digitar “VOÇE” dessa forma… Na sua cabeça minúscula é ser polêmico, divertido e ousado. Acha que expor as pessoas com seus factóides é engraçado… É triste, muito triste e nós temos muitá pena dele. Com certeza é um infeliz!

  • abril 29, 2011 em 2:11 pm
    Permalink

    Olha… onde há fumaça há fogo, já dizia minha vó! Se foi visto em uma loja onde há jet-skis e comentou com o vendedor alguma coisa, ou ainda, outra pessoa passando perto ouviu algum comentário sobre a compra, é possível ou não?
    E a história do Land-Rover?

  • abril 29, 2011 em 2:20 pm
    Permalink

    E a dita imprensa séria da região (leia-se Siro Pimentel e cia.) ainda repete as asneiras de Rodrigo como papagaio de pirata

  • abril 29, 2011 em 3:35 pm
    Permalink

    Sandra. Não foi só a imprensa séria da região que publicou mas também o Bahia noticias do ex-presidente da ABI, o Vermelhinho difusora de Itabuna e por ai vai. Se alguem tem que ser penalizado é quem publicou primeiro.Também concordo com Cairú “onde há fumaça há fogo” Resta ao acusado se defender. Quanto a você, será que não mama nas tetas da Câmara de Cairú ou da Prefeitura para fazer tal defesa?
    Eu pelo ao menos não tenho rabo preso e sou livre nas minhas opiniões no meu blog Valença hoje, assim como Pelegrine também é.

  • abril 29, 2011 em 8:28 pm
    Permalink

    Bira,
    Se vc leu direito não defendi o vereador nem ninguém. O que questiono é a seriedade dessa imprensa “copia e cola”. Imprensa tem que apurar,verificar a fonte.Mas parece que é mais fácil dá uma noticia quente do que correr atrás dos fatos. Siro certamente tem como ter acesso a Câmara de Cairu, pq não vereficou a noticia? Confiou na sereidade de Rodrigo Mário?? Faz-me rir.
    Quanto a vc que diz não ter rabo preso,qual seu interesse em defender o abutre marron??
    É discipulo dele na escola de como não fazer jornalismo,é??

  • abril 29, 2011 em 11:31 pm
    Permalink

    ACREDITAR NO INACREDITÁVEL…

    O mais interessante é que o radialista Siro Pimentel manteve contato telefônico com o presidente Igor, na tarde da quinta-feira, bateram um bom papo esclarecedor, mas Siro preferiu jogar luz no inconcebível.

    Sambou em cima, como de costume, dentro do seu estilo sensacionalista. Um factoide como esse dá muito mais audiência do que a fala institucional da vítima.

    No caso, como a matéria não foi gerada na Rio Una FM, Siro aproveitou para dar vazão ao inacreditável. O autor (Rorô de Canô)da estória fantástica, que responda pelos seus atos irresponsáveis!

  • abril 30, 2011 em 12:00 am
    Permalink

    Vixe Mainha! Nem Santo Amaro salva o enrolando na orla dessa trapalhada. Não bastasse a vulgaridade e mediocridade desmedidas em suas tentativas de pseudo-pensador, de pseudo-analista político, formador de opiniões, necessário que se diga, de alguns pensadores de boteco de esquina, multiplicadores do disse-me-disse que se comprazem em colher e espraiar aos quatro ventos pormenores da vida alheia, lidos em um jornaleco de 5ª, mal diagramado, com pelo menos uns trezentos e cinqüenta e três tropeços na língua-mãe, o enrolado Rodrigo espargiu seu bafo viperino, infame, difamatório e calunioso sobre um recém-chegado ao poder.

    Será inveja de não ser jovem? Ou pelo fato de já não mais beber a doce água da juventude e, desse modo, se encontrando impotente resolve enxovalhar, simbolicamente, na pessoa do mais jovem presidente de Câmara do Brasil, toda a potência de uma juventude capaz de realizar a necessária transformação nesse estado de caos da sociedade e da política brasileira?

    Oxalá, meu pai, todos os que de algum modo têm sido vítimas do enrolado da orla resolvam desmontar esse rolo compressor mal dirigido.

    Que tal uma ação judicial coletiva contra esse aluado? Pra mim basta acusá-lo esquizofrênico. Tô assinando embaixo…

    Joanna Cardoso
    Professora, Poeta e Vencedora

  • abril 30, 2011 em 12:52 am
    Permalink

    VAI, RODRIGO, VAI…

    Vai Rodrigo Mário aprender a escrever como o meu príncipe negro Railton Ramos.

    Que texto, gente! Railton combina ideias, estilo e gestos poéticos raramente vistos. Como combinar seriedade, compromisso e leveza num simples ato de escrever? Eu mesma não sei.

    Que textos lindos, Railton! Lembro-me de você no corredor de Letras da UESC, na década passada. Nossos professores não escondiam para ninguém que você era o melhor texto da universidade.

    Parabéns. Seus textos continuam muito gostosos, independente do tema tratado. Minha eterna paixão por você tem muito a ver com eles. Quem não se derrete toda com tão belas letras escritas, com tão belas artes? Seus escritos ensina-me a viver. Hoje melhor que antes e amanhã muito mais que agora.

    Mas antes tenho um pedido: dê um curso rápido pro moço do rolando aprender a escrever… Na primeira aula faça questão de dizer(de ensinar)o que nosso professor Flávio Lima nos dizia: “antes de se arriscar a escrever, busque o aprendizado do pensar”. Trabalhe nisso. Rolando confunde tudo num deboche, somente porque não sabe pensar.

  • abril 30, 2011 em 2:43 am
    Permalink

    Caro Pelegrini
    É com imensa satisfação que escrevo essas linhas. Sempre acompanho as suas postagens, e ao lê-las me sinto mais aliviada, pois vejo que diante da falta de informação e capacidade intelectual de alguns, você sobressai com muita inteligência e perspicácia.
    Estou no RJ e acompanho diariamente as notícias da minha querida Valença,mas devo confessar com muita tristeza que ao me deparar com UM “BLOG” como o RIO UNA e o ROLANDO NA ORLA… me desespero!
    E para acabar de ARRASAR ainda me aparecem com um novo “AINDA HOJE.COM”
    São tantas “inconcordâncias” verbais e nominais… que aqui no RJ quando alguns amigos começam a ler, simplesmente zombam da minha cidade, e falam: “Amiga, esse povo não foi a escola? não tem idéia do mau que estão nos causando? São tantos erros de português, tantas redundâncias que nos deixam apavorados… Como podem! como têm cara de Madeira! Como não vêem! Como não pedem ajuda àqueles que podem ajudar!…
    Peço encarecidamente que o caro amigo de alguma forma faça chegar ao conhecimento dessas pessoas que postam essas malfadadas linhas..
    Que ao fazerem, pelo menos peçam a revisão de alguém capaz.
    Tentei manter contato, mas não obtive êxito.
    O jeito foi escrever no seu blog Democrático e transparente.
    Faço isso por amor à cidade.
    E por saber que em Valença existem muitas pessoas que não são aproveitadas, talvez por motivos politicos..
    Mas que com certeza estariam colaborando muito mais com a redação das rádios, jornais e blogs de Valença.
    Estou me referindo a uma Imprensa séria, com prerrogativas, capacitada, “DIPLOMADA” (que não é o caso desses tantos que se intitulam “IMPRENSA”, que da maneira que escrevem, com certeza,sequer têm o segundo grau completo).

    É VERGONHOSO!!

    Aqui deixo minhas congratulações.
    Agradecendo a sua democracia.
    Abraços.

  • abril 30, 2011 em 8:22 am
    Permalink

    Profª Alessandra, eu também tenho meus erros e reconheço, libero o seu comentário por ser democrático, mas convenhamos: pra mim não é fácil ter um comentário desse no meu blog.

    Espero que os meus amigos entendam.

  • abril 30, 2011 em 10:55 am
    Permalink

    Raílton, acredito que uma medida mais drástica deveria ser tomada – A Câmara de Vereadores de Cairu deve cortar toda e qualquer publicidade com o Enbolando na Orla, aquele jornaleco marron e também deveria processar o autor do texto. Creio que assim ele passaria a ter mais responsabilidade com as porcarias que escreve.

  • abril 30, 2011 em 10:56 am
    Permalink

    ETIFICAÇÃO – EMBOLANDO NA ORLA

  • abril 30, 2011 em 10:58 am
    Permalink

    Processa Rodrigo e toda a sua trup Raílton, faz eles chorarem por onde mais temem – no bolso!

  • abril 30, 2011 em 11:19 am
    Permalink

    Profº Alessandra.

    Sei quanto é difícil conviver com esta língua brasileira que é cheia de neologismos, principalmente que o nosso dialeto é rico de palavras estrangeiras, que no final forma a nossa tão propagada língua brasileira que nunca foi e nem é portuguesa. Em 2003 encontrei um advogado estabelecido numa metrópole como São Paulo, levei uma notificação judicial escrita por ele cheia de erros de ortografia, porem, não os corrigir, por que se a Senhora ou Senhor observar, no seu próprio texto tem erros de ortografia.
    Pior do que conviver com erros de ortografia é conviver com uma Professora, que sempre quer corrigir os outros e nunca se corrigem. Eu sou da Capital convivo em Valença, aprendi a amar esta cidade e seu povo conheço o
    Rio de Janeiro, cuja cidade fala a língua do favelês cheia de gíria que alguns na Bahia também falam, mas, nem por isso desfaço de nenhum carioca por que o povo brasileiro não tem língua própria. Creio que se a Senhora analisar friamente minhas palavras vai observar que tenho razão e não se ofenderá.

    Nunca devemos humilhar os humildes, por que os exaltados serão humilhados e os humilhados serão exaltados.

  • abril 30, 2011 em 12:41 pm
    Permalink

    Bira,
    Faço minhas as sua palavras, estava com essa resposta p/ dar ao ler este arrogante artigo, Professora desculpe, mas interpreto o seu “discurso” como triste, abismada, pois a realidade que nós (brasileiros) vivemos, parece ser diferente da sua,faça jus a sua indignação e sua profissão, DOE SEU TEMPO E INDIGNAÇÃO E FAÇA VALER SUA VONTADE….

  • abril 30, 2011 em 12:42 pm
    Permalink

    QUERIDA PROFESSORA ALESSANDRA A SENHORA COMO EDUCADORA DEVERIA TER MAIS RESPEITO E SE RETRATAR, E NÃO CHAMAR OS MORADORES DE VALENÇA DE ANALFABETOS, MUITO MIM ADMIRA VIM DE UMA EDUCADORA.

  • abril 30, 2011 em 12:43 pm
    Permalink

    VALEU BIRA DO SINDMOTO.

  • abril 30, 2011 em 12:53 pm
    Permalink

    BARBAROS TUPINIQUINS DOS RINCÕES VALENCIANOS
    O REI DO FACTOIDE – Matéria Blog do Pelegrini

    Caríssima Professora Alessandra (Valenciana radicada no Rio de Janeiro), aqui é terra do nunca! Nunca na história dessa cidade se viu que nada aqui vai pra frente, pois ao que parece, a cidade só gosta do arcaico, alem do mais, combate qualquer tentativa inovadora! Aqui analfabetos se intitulam “jornalistas” e qualquer carro velho de som (fusca, variant, pic up velha, ou uma folha de papel com o nome de Jornal, sem nenhum registro, (daqueles que se coloca debaixo das portas a meia noite e nos balcões dos bancos, etc.), é tido como parte integrante da imprensa. Que imprensa, en?
    Em qualquer órgão de imprensa no mundo civilizado, quando alguém escreve errado (errata), ou publica notícias inescrupulosas, de imediato se vem a público no próprio órgão noticioso que cometeu a garfe e se explica ou se desculpa, mas aqui o erro é virtude e combatê-lo é crime! Imagina que cultura aqui é “curtura”, que bicicleta se chama bicicreta, que dezenove se chama dizanove, que ônibus se chama ondibus, que kombi é chamada no plural de kombis, que Itabuna é chamada de Itabunas, que Ilhéus é chamada de ilheu, que Camamu é chamada de Camamum, alem do fato de que quando alguém vai viajar, sempre eles perguntam: “E aí, você vai sempre a tal lugar?” As vezes é a primeira vez que eu estou indo, como é que eu vou sempre? Rsrsrsrsrs… É a velha história da cidade que barbearia é barbaria e onde na praça principal da cidade está escrito no jardim: “Não pise na grama, se não souber ler, pergunte ao jardineiro”, fora os erros de concordância nominal, verbal e tantos outros que eles nem sabem o que são! O pior é que temos que ter muito cuidado, porque quando alguém chega pra morar aqui, corre o grande risco de chegar alfabetizado e ficar contaminado com a “curtura daqui”, que teimosamente insiste em ser propagada até na imprensa própria como sendo a certa, e a nossa, a errada. Aqui é a terra que o certo é errado e o errado é certo!
    Devo destacar com profícuo orgulho que como em toda regra há exerções, temos ainda por aqui alguns poucos valores, “monstros sagrados”, dignos da nossa inescrutável e indizível admiração, portadores de fabulosa cultura, preciosidades, tesouros em vasos de barros, mortais notabilizadamente “imortais”, cujo legado me inspira ao inconformismo com o indigesto conceito contracultura do analfabetismo cultural in loco, deste rincão assolado pela falta de volição que o mantém estatizado e estagnado, fixando em prováveis e possíveis vultos, a filosofia da curta memória que internaliza a paralisia cerebral, impedindo o ser pensante de pensar, como ante cultura do penso, logo existo! Até quando teremos, não sabemos, mas se os tempos da ciência se antecipassem e possível fosse, bendita seria a clonagem de mentes pensantes, criativas e criadoras de seres mortais como Dr. Mustafá Rosemberg de Souza, Dr. Alfredo, Moacir Saraiva, Profª Macária Andrade, Arakem Vaz Galvão, Dr. Marinalvo Teixeira, dentre outros poucos imperceptíveis notáveis, camuflados em seus esconderijos inimagináveis, que aqui se notabilizam pelos esforços aplicados, na perspectiva de despertar os gênios adormecidos que ainda não sabem a força que tem interiorizado e tão próximos de si, como aquele homem mendigo, que por mais de quarenta anos, assentado numa esquina de sua cidade, pediu esmolas… Quando ele morreu, a prefeitura resolveu fazer uma praça naquele lugar e durante as escavações, encontrou no local onde ele ficou pedindo esmola durante aqueles longos anos, uma mina de ouro. Talvez essa praça sejam as Faculdades que com tanta dificuldade tem se instalado por aqui, com muita perspectiva de sucesso, na tentativa de fomentar valores internos ainda não revelados.
    Ainda bem que encontrei um lugar nesse Blog do Pelegrini, um dos melhores, onde posso postar alguns comentários, mesmo admitindo humildemente que sou humano e que não devo errar, esforço-me pra produzir com afinco e extrema dedicação as melhores expressões do que produz a minha inteligência cognitiva, seja na forma coloquial ou escrita, passando assim com extrema clareza o que pretendo expressar, e acima de tudo assinando a matéria, fato raro por aqui, já que muitos se escondem no anonimato ou na forma de pseudônimos.
    Pobre terra involutiva que personifica e encarna a idéia daqueles macacos que tampam os olhos porque não querem ver, tampam os ouvidos porque não querem ouvir, tampam as bocas porque são mudos, fato esse que fingem outra realidade!
    Até quando continuarão essas asperezas xucras das bárbaras índoles tupiniquins no âmago da alma valençana, que aqui se chama de valenciana, em pleno século 21?
    Cultura é sobrevivência, portanto, viva o povo que adquire conhecimento.

    Josafá Souza Costa
    Teólogo, Pastor, Psicanalista Clínico e Doutor Honoris Causa em Educação Religiosa.

  • abril 30, 2011 em 1:50 pm
    Permalink

    Não vim para explicar e sim para confundir estão raiva de um tiro na cabeca, Todos que depois eu vou para o enterro chorar.contnuei os comentarios depois eu vou dá um premio ao melhores.

  • abril 30, 2011 em 2:37 pm
    Permalink

    Professora Alessandra, a senhora ganhou um forte aliado, esse Pastor eu conheço muito bem, seus sermões são ricos e cheios de eloquência. Só que tem um detalhe, ele é natural de Itapetinga – Bahia e foi Professor de Pelegrini que nasceu na mesma cidade.

    Abraços.

  • abril 30, 2011 em 2:58 pm
    Permalink

    Caro Rudney, obrigado pela consideração, mas quando eu era criança pequena em Itapetinga, Pelegrini já morava em Valença. kkkkkkk
    Abraços

  • abril 30, 2011 em 3:06 pm
    Permalink

    Você calado ainda está errado!

  • abril 30, 2011 em 3:09 pm
    Permalink

    Paulo Freire, um educador respeitado mundialmente sempre disse que não existe analfabeto e entre Paulo Freire e Alessandra, a professora valenciana radicada no Rio, sem dúvida, fico com FREIRE.

  • abril 30, 2011 em 3:11 pm
    Permalink

    Alessandra, o meu PRINCESSA é assim mesmo, com dois SS, pra contrastar com a sua arrogância professoral.

  • abril 30, 2011 em 3:15 pm
    Permalink

    RODRIGO MÁRIO, seja homem e se assuma – SAI LOGO DESSE ARMÁRIO e se porte como um homem, que assume as m#r#@s que faz. Assuma sua mentiras e factóides da sua “fuleira” imprensa marron, pois vc é o MAIOR REPRESENTANTE DO ABUTRE MARROM

  • abril 30, 2011 em 3:17 pm
    Permalink

    sai pra lá fedorento, sai pra lá abutre.

  • abril 30, 2011 em 3:19 pm
    Permalink

    Raílton, está aberta a campanha – PROCESSO JÁ EM RORÔ DE CANÔ. Adeptos, mobilizem-se e pressionem a Câmara de Cairu.

  • abril 30, 2011 em 3:21 pm
    Permalink

    O que é isso Pastor? Eu sou um jovem de apenas 52 anos… Rsrsrsrs!

  • abril 30, 2011 em 3:44 pm
    Permalink

    Preguntas Nas idiomas di Rodrigo.
    1- Porque vosse nao plumbica un dissionario de rolandes proz peçoal ti intender i ler seo jornal ?

    2- Essi seu purtugues vem de ondi mesmu? li um livru chamado precunsseito linguiztico que nosso purtugues sufreu variassões de um istado pru outro e tamém di acordu cum os colonizadoris di cada rejiao.Cual sua upiniaum?

    3-Podi nus ixoplicar qual a infruencia di sua linguagi?

    Dipoix qui eli respunder traduço pra tomomundo.

  • abril 30, 2011 em 7:45 pm
    Permalink

    Palmas a professora deve esta sozinha neste frio , para o pastor ex-secretario de ação social um homem culto rico e fiel que ora Deus ,a poeta,que coisa linda suas palavras mim comoveu, ao assesor que esta mostando trabalho coitado voçes mim deram uma ideia vou fazer voçes sabia, que eu teenho outro jornal o MASSAPE voçes escolher uma de voçes para ser a Mulher Maravilha do mes pode ser um pastor uma professora, um assessor de comunicaão de uma camara um poeta, So saber quando presidente da camara esta doando´para igreja do pastor porque de graça todo este amor é que não , E outra voçes se lembra de Zagalo eu lhe dito a mesm VOÇES VÃO TEM QUE MIM ENGOLI MEU NEME É RODRIGO MARIO O GOSTOSO

  • abril 30, 2011 em 8:11 pm
    Permalink

    AGORA VOU RADICALIZAR! CADÊ A LIBERDADE DE IMPRENSA. Todos que criticam Rodrigo Mário deram cordas a sua forma de ser. Foi ele mesmo Railton que fez este estardalhaço todo?

    Eu acredito que a língua portuguesa é uma das expressões mais fortes de colonialismo do saber, uma forma de dominação étinica e um massacre aos nossos povos e nossas mais de mil linguas que eram faladas antes da invasão portuguesa no Brasil. Com a palavra Milton Santos: Por uma outra Globalização. Tem 10 videos de 10minutos cada no Yotube, produzidos pela ANCINE. Nietzsche afirma que:” A Humildade é sinônimo de opressão” não vou ser humilde há formas educadas de corrigir uma pessoa ainda não alfabetizada. E todos nós somos ainda não alfabetizados em alguma forma de saber. Mas analfabeto é porra!

  • abril 30, 2011 em 10:00 pm
    Permalink

    Ilustríssimo
    Pr. Josafá

    Volto a me expressar por consideração ao Blog do Pelegrini e às suas colocações.
    Não imaginava que fosse causar tanta celeuma.
    Mas não me espantei com alguns comentários, pois sabia que quando a ferida é tocada, dói a alma, e as pessoas com certeza querem expressar, mesmo na sua ignorância.

    Pois bem, o que vem a ser uma pessoa ignorante?

    É um analfabeto? Que não sabe ler nem escrever? Não!

    Um humilhado? Só se deixam humilhar as pessoas que se julgam humildes.

    Um excrachado?

    Um ser exdrúxulo?

    Pura ignorância, e mais uma vez falta de “CULTURA” porque de curtura o Brasil inteiro vive cheio.
    Não estou me referindo a cultura das regiões, mas sim o “SABER”.
    Não estou discutindo girias, modo de pensar, ou de agir.
    Isso pouco importa.
    Me refiro às postagens que andam pela rede MUNDIAL!
    Cariocas, baianos, paulistanos, pernambucanos.. não interessa a região, somos seres humanos, imperfeitos em nossa natureza.

    Afirmo com veemência…
    Valença precisa gritar! não podemos nos conformar com tanta estupidez! com tantos fanfarrões! com tanta inoperância! Injunções!

    Sabe .. caro Pastor e Pelegrini, no meu cotidiano ignoro muitas coisas, pois quando não as conheço, me vejo também no mesmo patamar dos “ignorantes”, mas pelo simples fato de ignorá-las, ou seja, não conhecê-las.Mas tenho comigo, uma coisa muito séria que falta a alguns em Valença, que é senso crítico, sei que voces me entendem.
    O que faço? procuro me atualizar e aprender, porque a vida é um eterno aprendizado.
    Ao ler esses blogs vejo a grande violência que impera na cidade, mas devo deixar aqui REGISTRADO, que nenhum ladrão, pode nos roubar,SABEDORIA, CULTURA, APRENDIZADO, são essas e outras coisas que essa “minoria” Valençana desconhece.
    Observo que em Valença se fala muito de “neologismos”, nota-se que existem muitos neógrafos pela cidade, mas, na verdade não têm capacidade, para novas ortografias.
    Imaginem.. se tivessem?
    Não estou generalizando, passei muito tempo em Valença, e a base que obtive na cidade, me trouxe até o RJ, conquistando o cargo que exerço hoje. (Professora Titular de Universidade Pública). Devo isso em parte aos (professores)que tive em Valença.
    Que comigo à época conquistaram uma vaga em uma das maiores e mais conceituadas universidades do Brasil, a UFRJ.

    O que diria o mestre Paulo Freire,fiquei muito lisonjeada ao ser comparada a ele.

    A minha volição sempre foi a lingua portuguesa, realmente, cheia de linguagens culta, coloquial, popular…

    Não é necessária nenhuma reparação, pois, o que ficou nítido, é que as pessoas que se indignaram, são justamente aquelas que fazem parte, das edições, redações, postagens e etc. Verdadeiros DESASTRES gramaticais.

    Falam em ARROGÂNCIA!

    Coitado.. confunde CORAGEM com ARROGÂNCIA.

    Fiquei muito feliz em saber que o pastor conheceu Araken Galvão, o mestre das palavras…, da escrita.
    É dessas pessoas e tantas outras que me referi na minha postagem anterior.

    Desde já agradeço a liberdade de expressão.
    Com certeza o meu intuito foi alcançado.

    Professora Alessandra Vera Lins

  • maio 1, 2011 em 1:43 am
    Permalink

    Caro Rodrigo Mário, é tão fácil dizer q o Pr. está sendo comprado por politico quando vc tem um jornaleco que depende de puxar-sacos dos mesmos, pensas tu que somos todos iguais? Iguais a vc? afinal de contas sabemos que vc depende disso para que estes jornalecos que vc cria(se é que podemos chamar dessas besteiras e bosteiras de criações, tá mais eh p falta de imaginação e falta do que fazer, pois, mente vazia éh oficina do diabo) estejam nas mãos da população, na minha visão ti falta o estudo, por causa das tantas palavras escritas exuberantemente erradas, ou erronias. Porque vc nao estuda?
    Não se alfabetiza e faz um bom curso de jornalismo, só assim terás o título de que és jornalista, reporter, ou até mesmo imprensa.
    É notório que se observados, Igreja e Pastor não necessita de se vender há políticos, ou há qualquer outro “poder terreno” … pois, já recebemos o valor estimavél e único sobre nossas vidas, que foi quando o Supremo Poder Celestial, nosso Deus Criador, nos comprou com o seu único Filho, a quem nos deu seu puro e precioso Sangue!

    Penso eu, que se tenho a mente de Cristo saberei detectar, avaliar, e enchergar a realidade em que a Cidade de valença vive, e se para reevindicar-mos direitos de cidadania temos q abrir as nossas bocas e protestar-mos, assim faremos.

    Aqui expresso o meu restrito apoio a todos que participaram da Campanha pela Paz e pela Vida acontecida em nossa Cidade na última Quarta Feira(27.04.2011)
    E ressalto ao Pr. Josafá, o único Pr. Evangélico que teve coragem e determinaçao, pela dignidade que tens, e éh isto que muitos valençanos infelizmente perderam ao se venderem para a politicagem.
    Continue na sua árdua missão Pr., pelo trabalho rico que tens feito na área social e muito carente de nossa Cidade…..

    Ao nosso Amigo Pelegrine, mus sinceros votos de parabéns pela criação deste Blog, ferramenta usada para expressar-mos nossas idéias, indignações, opniões e unir-mos forças por uma Valença Melhor….

    att
    Tainá

    Valença – 01.05.2011

  • maio 1, 2011 em 7:50 am
    Permalink

    O mundo estaria lotado de intelectuais se eles tivessem tempo de se reproduzir.que governa o Brsil não são os barbaros mas os ilustres ou seja os intelectuais

  • maio 1, 2011 em 7:56 am
    Permalink

    O mundo estaria lotado de intelectuais se eles tivessem tempo de se reproduzir e bem melhor.quem governa o Brsil não são os barbaros mas os ilustres ou seja os intelectuais ilustrissimo

  • maio 1, 2011 em 8:01 am
    Permalink

    O mundo estaria lotado de intelectuais se eles tivessem tempo de se reproduzir e .quem governa o Brsil não são os barbaros mas os ilustres ou seja os intelectuais esses que fazem a miseria desse pais lustrissimos doutores da letra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *