UNEB FAZ CAMINHADA PELA EDUCAÇÃO.

image No dia 18 de março, estudantes da Universidade do Estado da Bahia – UNEB foram às ruas de Valença em passeata reivindicar concurso público para professores, uma melhor infra-estrutura para o prédio, melhorias no acervo bibliográfico e conseqüentemente uma melhor qualidade na educação. Participaram da “Marcha pela Educação” o diretor do Campus XV Paulo José Gonçalves de Souza, os funcionários do referido Campus, professores e representantes da sociedade civil. É importante enfatizar que a UNEB encontra-se em uma situação bastante complicada, além da falta de professores que ocasiona o atraso na formação dos estudantes, o Campus sofre com inadequação no quadro de funcionários para atender a demanda, enquanto isso o governo abre concurso para Regime Especial de Direito Administrativo – REDA, deixando de efetivar concurso público.

A caminhada percorreu as ruas de Valença, interrompeu o tráfego, mas ainda assim, foi muito bem recebida pela população que aplaudia a todo tempo, confirmando a insatisfação mediante o ensino publico em nosso Estado.

“Se quisermos uma educação verdadeiramente pública e de qualidade devemos entrar nessa luta”

C. Carvalho.

5 Respostas para UNEB FAZ CAMINHADA PELA EDUCAÇÃO.

  1. Eurides março 19, 2009 às 11:23 am #

    Amigo Pelegrini, pude ver a tal da caminhada pela educação, agora diga quem estavam lá? Isso mesmo, os petistas de carteirinha, aqueles que se voce falar mal de Lula e Jaques Wagner, eles querem lhe bater. Deveriam tomar vergonha na cara e cobrarem direto do governo do estado.

    É essa a moral que voces tem com eles é?

    Viva a democracia!

    Abraço amigo Pelegrini.

  2. Mariza fagundes março 19, 2009 às 7:37 pm #

    Gente pasmem!!! essa CRIATURA ai , com certeza não é estudante dessa INSTITUIÇÂO.
    Eu sou meu bem, faço pedagogia no campus XVII, falta tudo até papael higiênico que é o básico do básico, Tem mais se vc fosse estaria sim na LUTA e não tentando apagar o Movimento Estudantil, não defendemos politicas partidarias, fazemos sim Politica Educacional, vc sabe o que é???
    Acho q não, fazer uma … coisa dessa numa pagina tão importante como essa, seu cerebro de minhoca, será que tem????
    Fico triste, afinal ainda existe pessoas mediocres a esse ponto.
    LUTE companheiros a CONQUISTA com certeza virá.
    Mariza – campus XVII – Bom Jesus da Lapa – Bahia

  3. FACOM março 20, 2009 às 12:21 am #

    Gente, kd a turma do blog(comentaristas como Lucas, Alex, Kadu e Elson) que estudam na UNEB para se manifestarem? Gostaríamos muito de ouvir as suas opiniões!

    Pessoal, mandamos um email muito sério para o amigo Pelegrini denuncianado um projeto de inundação do Brasil. Quem tiver interesse, passe na sorveteria e solicite a ele, ok?

    Pelegrini, abraços!

  4. Saionara Ribeiro março 20, 2009 às 1:10 am #

    Saudações a todos,

    Gostaria de aqui deixar resgistradas algumas considerações acerca do Movimento Professores Já, quero principiar informando que não tenho por fito fazer nem a crítica vazia, nem o elogio descabido, afinal, tais posições só podem ter como origem ou um espirito obtuso ou uma mente bajuladora.
    Bem, sou estudante do sétimo semestre do Bacharelado em Direito da Universidade do Estado da Bahia e, como tal,logicamente partidária e ativista do movimento em questão já que, inegavelmente, na qualidade de estudante deste Campus, conheço a realidade sobre a qual aqui venho versar.
    Temos um quadro desesperador em nossa unidade, a biblioteca não dispõe de um acervo que possa minimamente atender as necessidades dos acadêmicos, temos apenas dois professores efetivos, no caso específico de Direito, realidade não menos delicada que a enfrentada pelo curso de Pedagogia, temos graves problemas com relação ao quadro de servidores, sofremos todos com a “cultura do REDA ” que vem lançando, a muito tempo, para horizontes distantes a possibilidade de efetivação de funcionários.
    Estes são apenas alguns dos problemas com os quais o corpo desta Universidade tem sofrido, a união dos estudantes e as ações advindas dessa união convergem exclusivamente numa única direção: sanar essa doença estrural que faz padecer a UNEB, patrimônio do povo bahiano e pontualmente do Campus VX, patrimônio da comunidade valenciana, toda parabenização é mais que devida aos estudantes deste bacharelado e ao Diretório Acadêmico de Direito que cumpriu e cumpre a sua função, a sua razão de ser.
    Aguerrido, valente, propositivo, este diretório bem como muitos estudantes de Pedagogia, são merecedores de respeito, de todo respeito e congratulção. Muito além de falar, eles estão fazendo.
    Lí um comentário que falava sobre os”petistas de carteirinha” que estavam na passeata realizada ontem e a completa censura que a escritora em questão tinha ante este fato. Até então, sem fazer qualquer consideração de mérito, não me pus a pensar, nem com desacordo nem com acordo, sobre a presença dos “petistas de carteirinha”, até porque, aguardava que algumas linhas abaixo encontrar-se-ia o relato, desta autora, sobre sua participação no movimento, alguma coisa que marcasse a legitimidade de sua crítica, alguma coisa que norteasse a sua postura opositora frente a política adotada por este partido, no caso o PT ou pelos militantes que lá estavam a conclamar a sociedade mesmo estando atrelados a tal grupo político, esperava que uma crítica tão marcadamente “politizada” se fizesse fundamentar numa ação, concreta e visível, uma alternativa a esta postura, qualquer coisa que mostrasse, a nos leitores, a mente crítica e produtiva que naquele momento denunciava a contradição, entretanto, o comentário chegou a seu e fim e nada mais pode ser lido além de um debochado brado de ” Viva a Democracia”.
    Neste ponto, me pus a refletir…cheguei a uma conclusão, esta, diga-se de passagem, única possivel: Inútil !
    Comentários como estes são ridículos e completamente inúteis !
    Bom seria se quem os fizesse gastasse o tempo empregado na construção desta “denúncia” em coisas minimamente mais úteis, criticar sem nada propor, sem nada fazer é coisa dispensável, como bem nos ensina a sabedoria popular ” muito ajuda quem não atrapalha”; eu sou absolutamente contrária a este governo a que estamos submetidos, contrária a postura hipócrita do Partido dos Trabalhadores e, por extensão, a este governador e sua “política de governo”, com mais precisão ainda, digo-vos que hoje me vejo forçosamente contrária não só a esta postura político-partidária e seu “plano de governo”, mas a todas as outras que temos como alternativa de liderança partidaria já que, recorrendo mais uma vez aos adágios papulares, são todos ” farinha do mesmo saco”.
    A questão é que nas manifestações do povo, manifestações que nascem sem a mácula desta ou daquela bandeira partidária, se mostra o espirito puro da organização em busca do bem coletivo, a luta social na sua faceta mais essencial,e é justamente aí que aqueles que se posicionam de forma contrária podemos mostrar a sua indignação, o seu incorformismo e seu desejo de lutar pelas mudanças, aliás, estes já são os campos de lutas.
    Vergonhoso, muito vergonhoso, ridículo ! Critique, isso vale, aponte, mas não se guarde comoda e anonimamente no trono mofo de quem só é capaz disso fazer, mas, se você realmente perceber esta sua limitação, conduza essa sua “qualidade” a algo menos prejudicial a sociedade, não sei bem o que poderia ser, creio que só posso dizer para a senhora um “vá procurar o que fazer “.
    O movimento luta por professores no Campus, luta por causa nobre, justa e indefectível, quem quiser criticar, por favor, o faça, porém, tenha a mínima hombridade de o fazer de forma construtiva, propositiva, se assim não o for, deixo aqui, por extensão, o meu conselho: “vá procurar o que fazer “.

    Atenciosamente,
    Saionara Ribeiro.

    Membro da comissão de Comunicação do Movimento Professores Já, Representante do Diretório Acadêmico de Direito na cadeira de Ensino Pesquisa e Extensão.

  5. Heraldo da Silva março 20, 2009 às 9:43 am #

    Olá Pelegrini,

    Estou lendo seu blog todos os dias, quero participar dessa promoção ok?

Deixe um comentário