Parlamentares criam calendário irrelevante de homenagens

 

image

Fã de Raul Seixas, o deputado Álvaro Gomes criou o Dia do Rock, comemorado no dia da morte do cantor

Sistema de transporte precário, segurança pública ineficiente, rede hospitalar aquém das necessidades de uma população cada vez maior. Os problemas se acumulam no Brasil, e a classe política usa seu tempo para criar dias em homenagem às coisas mais estranhas e esdrúxulas. O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) apresentou projeto para criação do Dia do Macarrão. O deputado Lincoln Portela (PR-MG), talvez um insone, propôs 6 de abril, o Dia do Sono. As razões? É que nesse dia não se comemora nada.

Há também o Dia Nacional do Cadáver Desconhecido, esse já instituído (25 de setembro), e outras “homenagens” do gênero em níveis federal, estadual e municipal. Em São Paulo, 27 de julho é o dia do gatebol. Não se trata de algum esporte felino, trata-se de jogo onde os atletas tentam fazer passar uma bola (com o auxílio de um taco) sob três arcos. No Espírito Santo, 1° de agosto é o dia da desfiadeira de siri, enquanto em Belo Horizonte no 27 de agosto quem faz a festa são os cultores da luta de braço.

Recentemente, a Transparência Brasil, ONG que acompanha a atividade política no País, divulgou levantamento dos trabalhos da Câmara Municipal de São Paulo (que tem orçamento anual girando em torno de R$ 310 milhões) entre 2005 e 2008, constatando que dos 3.021 projetos apresentados na Casa, 832 foram aprovados, dos quais 206 eram relacionados a algum tema de relevância para a cidade. Ou seja: 91% da atividade legislativa é irrelevante para a capital paulista. Os edis gastam a maior parte do tempo e dinheiro público com a concessão de medalhas, títulos de cidadão, batismo de ruas e logradouros, além dos indefectíveis dias de alguma coisa.

A Bahia e Salvador não ficam atrás e ostentam projetos do mesmo calibre. Numa disputa musical, a Assembleia Legislativa criou o dia da salsa e o dia do rock.  A Câmara, o do samba e o do reggae.

Bases – A Verdade é que cada deputado estadual acaba tendo de criar datas que agradem às suas bases eleitorais, como é o caso do dia estadual de luta da categoria dos químicos, petroquímicos e petroleiros, proposto pelo deputado Álvaro Gomes (PCdoB).

Fonte: A tarde on line/Biaggio Talento e Regina Bochicchio, do A TARDE

2 Respostas para Parlamentares criam calendário irrelevante de homenagens

  1. Omega Red setembro 28, 2009 às 2:08 pm #

    POLÍTICA LIVRE: “LÍDER DO GOVERNO DIZ QUE PESQUISA DA FIRJAN MOSTRA QUE GOVERNO PAULO SOUTO FOI “DESASTROSO”

    E FOI MESMO!
    “O líder do governo, Waldenor Pereira (PT), comentou a pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) analisando dados oficiais de todo o país e que apontou queda no desenvolvimento na Bahia nos anos de 2005 e 2006, durante a gestão do ex-governador Paulo Souto (DEM).
    “O estudo revela que o governo de Paulo Souto (DEM) foi um desastre para o estado da Bahia.
    Piorou a situação da saúde, da educação e do emprego e renda, três principais áreas do desenvolvimento humano, levando o estado da 18ª para a 22ª posição no país, de 2005 para 2006, ficando à frente apenas dos Estados do Amapá, Pará, Piauí, Maranhão e Alagoas”, atacou o petista.
    “Essa pesquisa joga por terra todo o esforço da oposição para caracterizar o governo Paulo Souto como competente”, alfinetou o líder do governo.”
    Politica Livre
    (O dissimulado deveria, mesmo falando embolado, comentar isso em Mario Kérstez…)
    Antonio do Carmo
    Postado por Antonio do Carmo às 6:33:00 PM

  2. Omega 3 setembro 28, 2009 às 4:45 pm #

    Dá-lhe Luquinhas! E viva ao cortar e colar!

Deixe uma resposta