DENUNCIA DE LEITOR: Cartão postal de Valença pede socorro!

nsa I A Igreja Nossa Senhora do Amparo, foi construída em 1757 o templo dedicado a Nossa Senhora do Amparo, padroeira dos operários. No meado do século XIV, a capela foi reformada por Bernardino de Sena Madureira, que a transformou na igreja de Nossa Senhora do Amparo que por sua vez, é uma réplica da Igreja do Bonfim de Salvador. nsa II As imagens, os azulejos portugueses e as telas de autores desconhecidos representam a arte do século XVIII. Possui um relógio de 1882, ainda em funcionamento. A igreja está situada no topo da cidade, maior elevação existente com a mais bela vista de Valença e da Ilha de Tinharé, com destaque para o Morro de São Paulo.

nsa III Faz vergonha a situação atual que aquele templo se encontra. Paredes sujas pela ação do sol, dos ventos e das chuvas, iluminação semelhante a um presépio (uma lâmpada aqui, outra ali), lixo das festas que são realizadas na igreja, gramado do adro enorme, rampa de acesso a deficientes mal feita, sem contar a ausência de segurança que impede a presença dos visitantes. nsa IV Não queremos apontar dedos e condenar quem merece de fato, mais uma pergunta fica no ar: será que vocês gestores, seja prefeita, secretários, vereadores, sacerdotes, comissão de festa, devotos (as), deixam a sua residência neste estado? Nunca na história da cidade que se diz turística e religiosa, este monumento esteve neste profundo descaso. Ajuda? Há muitos séculos que sacolas passam, eventos são feitos, comícios eleitorais lá são encerrados e a cruel realidade predomina.

nsa V Pelegrini, você que é a voz daqueles que não podem falar vamos ver se quando chegar 8 de novembro de 2013, o Amparo vai estar de cara nova, agora com um detalhe que os responsáveis da gestão paroquial passada devolvam a comunidade os lustres que retiraram, os azulejos portugueses que “guardaram”, as imagens que foram registradas no IPAC de Nossa Senhora da Conceição e de Santa Efigênia que não são expostas publicamente e o principal, façam daquele patrimônio cultural um ambiente que tenha sempre manutenção permanente para que essas tristes imagens não se repitam. nsa VI Ha! Que saudade dos tempos que a CVI – Companhia Valença Industrial junto com todos os operários cuidavam com tanto zelo da casa da mãe maior dos valencianos, e não a indivíduos que chegam, saem, mandam, desmandam e viram sempre notícia.

nsa VII Pelegrini encarecidamente não divulgue o meu e-mail. Pois o fundamentalismo e a cegueira dos católicos de Valença podem querer me apedrejar igual a Maria Madalena.

13 Respostas para DENUNCIA DE LEITOR: Cartão postal de Valença pede socorro!

  1. Ivana Gomes julho 31, 2013 às 9:23 am #

    Esse relógio só funciona porque o mecânica Petrônio conserta quase que semanalmente sem ganha um tostão!!! Por pura devoção… E ninguém reconhece isso em Valença.

  2. mesak santos julho 31, 2013 às 12:39 pm #

    Para quem ñ sabe!
    O Ex prefeito Ramiro retirou algumas partes dos azulejos portugueses e recolocou imitacões no lugar. Para onde ele levou esse azulejo q ninguém sabe!
    Enquanto o outro relógio q falta, assim se diz que o Navio q saiu de Portugal trazendo ele afundou no meio do Oceano Atlântico com algumas imagens de santo q seria colocado em alguns altares da igreja…

  3. Dóres julho 31, 2013 às 4:39 pm #

    Quero parabenizar aqui quem escreveu sobre esse abandono, já havia leitores me solicitando que fizesse uma crônica sobre essa linda Igreja abandonada, e eu só ainda não o fiz por falta de tempo de passar lá para fotografar. Mas você que escreveu está de parabéns, é assim que se faz um município, que uma comunidade se comporta.
    MANDOU MUITO BEM.

  4. Confissão julho 31, 2013 às 6:35 pm #

    O novo pároco não tem nada haver com isso, tem poucos meses que chegou e não pode fazer ainda “certos milagres”. Mas o antecessor deveria dar satisfações a comunidade junto com os conselhos inoperantes que só estão no papel para constar. Somente o Pe. Normando era que fazia missa lá no Amparo, ele foi embora e acabou fechando as portas. Pena que só abre para casamentos e no tempo de festa.

  5. Eduardo Campos julho 31, 2013 às 6:50 pm #

    Amigo Pelegrini, não sou porta voz do grupo que hoje toma conta da Igreja, mas saiba que os 2 principais estão com problemas sérios de saúde!! Vale salientar que a estalão elétrica interna foi totalmente restaurada, coisa que nunca houve na história!! Sobre a informação de Mesak que existia 2 relógios não procede!! nessa era os mostradores que nunca, nunca foram colocados e que se funcionasse era por uma transmissão, que se vc´s olharem a primeira foto poderá notar um ferro sendo ligado de um lado para o outro!! e se olharem as imagens antigas nunca foi instalado!!! Outra coisa vale salientar que nessa gestão nunca ouve desvio de recursos e essa pintura e feita 2 vezes ao ano…

  6. Edson F. julho 31, 2013 às 8:22 pm #

    Sem contar os assaltos ali …

  7. Canto da sereia julho 31, 2013 às 9:41 pm #

    Onde estão então Sr. Eduardo Campos os 2 lustres que foram retirados da igreja e colocados outros? E onde estão as imagens de Nossa Senhora da Conceição e a de Santa Efigênia? Coloque numa mesinha e coloque na missa de domingo na matriz para veneração dos fiéis! Kd essas esculturas? Podemos ir mais longe, se algumas pessoas tem problemas de saúde mais um motivo melhor para prestarem contas ainda em vida de onde colocaram esses objetos que não são particulares e sim da comunidade. Depois que fecharem seus olhos, será que vão baixar em algum lugar para dizer onde guardaram? ENTREGUEM ESSES OBJETOS AO NOVO PÁROCO OU LEVE PELEGRINI PARA FOTOGRAFAR ONDE ESTÃO OS AZULEJOS PORTUGUESES QUE RETIRARAM, OS LUSTRES E AS ESCULTURAS. Para por um fim nessa história polêmica basta apenas apresentar esse material e esclarecer os fatos. Concorda?

  8. Donos & Donas julho 31, 2013 às 9:48 pm #

    Afinal quem é esse grupo? A instalação elétrica da igreja foi restaurada? É uma piada, como se restaura uma instalação elétrica, alguém pode me explicar? kkk Ou retira tudo e coloca novo ou vc sabe o que faz. Se mudou a instalação elétrica interna, mas um motivo que não se justifica a noite a igreja ficar toda escura, se não ascende a luz de fora ligue a de dentro pelo menos. Se a pintura é feita duas vezes no ano pq será? Só para quando tiver multidão para apreciar e dizer que está tudo bonito? Só varrem a casa quando chegam visita é? Se essa moda de restauração elétrica pega, deve ser por isso que a cidade vive as escuras. Vamos restaurar a claridade de Valença meu povo!

  9. Ca$ar pode! julho 31, 2013 às 9:50 pm #

    Quanto é um casamento no amparo? Não o sacramento do matrimônio, mas o aluguel do espaço. Será que com essas verbas não poderiam se investir em mais pinturas? Não que seja uma vez no mês, mais um trabalho baseado na MANUTENÇÃO.

  10. mesak santos julho 31, 2013 às 10:23 pm #

    Sobre o outro relógio o Eduardo Campos, ñ entendeu o q falei.
    Vou explicar novamente: O 2º relógio nunca chegou em terras brasileiras pq , o navio q o trazia naufragou no mar em caminho para o Brasil, segundo soube por pessoas mais velhas q trabalhavam na igreja.
    A minha infância foi toda na rua do Amparo e andava muito na igreja do Amparo, desde os tempos q tinha varias ossadas de esqueleto ao lado da igreja de pessoas importantes q morriam, Hj nem a tumba existe mais, dar para olhar pelas fotos…

  11. mesak santos julho 31, 2013 às 10:38 pm #

    Fala-se muito na história da igreja do Amparo e da Festa do Amparo de Valença,mas para melhor entendermos temos que recorrer a alguns fatos e aspectos históricos da desarticulada e cheias de meandros história do Brasil

    Nos domínios das terras que hoje chamamos de cidade de Valença, existiam duas nações indígenas que andavam sempre em pé de guerra, a Tupi e a nação Tapuia, onde os primeiros eram compostos dos índios Tupiniquins que eram mais dóceis e os Tupinambás que eram mais arredios e a outra nação chamada de Tapuia eram compostas dos índios Aymorés/Botocudos/Gueréns
    Tais índios foram pacificados em 1750 pelos Padres Italianos comandados pelo Frei Bernardino de Milão , onde foi organizado uma capela na aldeia Una , atual região do Amparo, vivendo lá cerca de 450 índios Geréns
    Em 1754 na região do povoado Una ,depois povoado do Amparo nasce a capela muito modesta de Nossa Senhora do Amparo, onde neste momento os índios Gueréns foram deslocados a uma légua para a aldeia de São Fidelis devido as quizilas com os moradores português no Amparo. Segudno Padre Joaquim Pereira da freguesia de Nossa Senhora do Rosário de Cairu, já possuía em 1557 , um capela, cinqüenta casas e 450 almas(Habitantes)
    É nesse cenário que surge a capela simples, formado de Caixa da Nave da igreja frontal, capela Mor e sacristia, sem a torres laterais sendo terminada somente no ano de 1780
    Quando Valença é elevada a Vila Nova Valença do Sagrado Coração de Jesus em 1799, então seria elevado a Padroeiro de nossa terra O sagrado Coração de Jesus que seria o titulo da Igreja da Matriz, constuida em 1801, pelo fato da determinação da igreja que o Santo da Freguesia é que seria o padroeiro da Vila ou Cidade, contudo isto não aconteceu em Valença pela fé já enraizada no povo de Valença que continuou a considerar e adorar Nossa Senhora do Amparo como padroeira de Valença e depois dos Operários.

    Todavia em 1813 o padre Sebastião Santa Barbara diz que a capela de Nossa Senhora do Amparo “está decentemente ornada e com necessário para a decente celebração do santo oficio da missa”.Tal capela foi reformada pelo capitão Mor Bernardino de Sena e Madureira, proprietário da mansão que ainda hoje funciona a Câmara Municipal de Valença, que colocou relógio importado da Europa na torre esquerda que badalava de uma e uma hora, podendo ser ouvido por toda Valença. Sendo visitada a igreja pelo Imperador D.Pedro II que afirmou “muito bem situada, igrejinha reparada com pintura por Bernardino Madureira.Vê -se daí(da igreja) o Farol do Morro de São Paulo e a vila de Cairu bem longe” e fez ainda uma critica a igreja do Amparo afirmando:” A igrejinha é bonita assim não fosse o teto tão baixo, foi a primeira igreja da Vila de Valença e o vigário já se viu cercado pelo Gentio.

    Após a restauração feita pelo capitão Mor a Igreja de Nossa Senhora do Amparo de Valença ficou assim constituída (fonte IPAC): Planta retangular, com caixa e nave, capela Mor, duas sacristias e dois corredores laterais, telhado com duas águas,fachada mais larga que alta, dividia em três partes por pilastras coríntias, portanto Romanas, Corpo central coroado por frontão recortado e revestido por azulejos brancos e torres laterais uma de cada lado terminadas por cúpulas, em meia laranja, revestidas por azulejos azuis e brancos europeus. Tendo cinco portas superpostas frontalmente por igual numero de janelas que vazam a fachada.O interior é muito rico em detalhes, com cinco altares neoclássicos em talha branca e dourada.Possuindo diversas imagens como as de Nossa Senhora do Amparo, Santa Efigencia,São Joaquim,Nossa Senhora desatadora dos Nós, São Roque, Nossa Senhora da Conceição,Nossa Senhora da Boa Morte, alem de varias telas em óleo de autores desconhecidos como a do Batismo de Jesus,O anjo do Senhor que anuncia o Espirito Santo a Maria,pinturas dos apóstolos João, Mateus,marcos e Lucas simbolizando os quatro evangelios canônicos.

  12. Taiza julho 31, 2013 às 10:57 pm #

    O novo pároco não gosta nem de celebrar missa quanto mais cuidar da igreja. Ele vive mandando irmão Alessandro celebrar a missa que por sinal é péssima. Tem duas semanas que não tem a missa da saúde porque o pároco está cansado.

    Que saudade do Padre Normando!!!!

    Como Papa Francisco disse: os fieis estão saindo da igreja porque os Padres querem se comunicar como se fosse carta e nao querem ter contato com a população , como está a atual igreja Matriz hoje.

  13. Taiza é parente do Tarzan? agosto 1, 2013 às 11:58 pm #

    Para o seu governo querida o Ir. Alessandro não preside missa, faz celebração e pelo visto, vc está indo para a matriz não por sua fé e sim pelo padre. Precisa se confessar moça, que coisa feia acusar o novo pároco e dizer que ele está cansado? Ele deve realmente está cansado de sua heresia e ignorância. Se está com saudade do Pe. Normando ligue para ele ou vá na artfoto e imprima uma foto dele e fique rezando. Os verdadeiros cansados do assunto em pauta é toda população que vê a sua identidade indo embora de forma passiva. Um povo sem história é um povo sem identidade. Dê a Deus o que é de Deus e a César o que é de César. O novo pároco está fazendo uma revitalização na matriz, colocou os lustres no lugar, promoveu com muita dignidade e espiritualidade a festa do padroeiro e é humano, sabe ouvir e falar, jamais mandar. Os verdadeiros mandões são aqueles que o antecederam no cargo que hoje ele ocupa. Fique ligada!

Deixe um comentário