O QUINTO (DOS INFERNOS) PODER.

image

Criamos o estado e os poderes do estado, em toda nossa vida quando estudamos na escola as matérias de EMC (Educação Moral e Cívica) no primário e OSPB (Organização Social e Política Brasileira) no ginásio, aprendemos sobre os três poderes, e em seguida apareceu a expressão quarto poder. Segundo a Wikipédia: “O quarto poder é uma expressão criada para qualificar, de modo livre, o poder da mídia ou do jornalismo em alusão aos outros três poderes típicos do Estado democrático (Legislativo, Executivo e Judiciário)”.

Pasmem meus amigos! Recentemente ouvi a expressão; “quinto poder”, vindo de uma moça que mora no bairro da Bolívia aqui em Valença, na porta de uma amiga que havia convidado para ir a igreja, ela retrucou dizendo: “não posso, hoje vai haver tiroteio lá no meu bairro, e o “quinto poder” pediu para que não saíssemos as ruas depois das 19;00 horas. O expressão “quinto poder” pra pegar, basta sair da boca de um político ou pessoa influente da mídia.

Será uma vergonha para os outros três poderes, terem como vizinho o quinto poder? Ai só mesmo o quarto poder agindo pra estimular os três poderes a matarem o quinto. Na verdade, isto seria um aborto involuntário!

9 thoughts on “O QUINTO (DOS INFERNOS) PODER.

  • abril 3, 2009 em 1:13 pm
    Permalink

    Pelé,

    na verdade hoje, no Brasil, temos o Legislativo, o Judiciário e o dito 4 Poder (Imprensa),totalmente submissos e subordinados ao Executivo.

    Apesar da situação catastrófica de nosso país, tanto social como moral, 99% da mídia brasileira, se mantém fiél e prestativa ao Planalto.

    Deve valer a pena falar bem do Presidente e de seus asseclas.

    O Legislativo e o Judiciário… acho melhor nem falar nada.

    Agora então, surge o 5 Poder!!

    Porque será?? O Bolsa Família é tão eficaz!!! O Governo Lula melhorou tanto a vida das classes menos favorecidas!!!

    Não submisso a política populista e eleitoreira do PT, o 5 Poder nos mostra a verdade nua e crua da situação em nosso pais.

    Daqui a pouco Brasilia pode começar a financiar também estas quadrilhas afinal,será que são tão diferentes assim do MST, dos Mensaleiros ou dos Petralhas em geral?

    Abraços.

  • abril 3, 2009 em 2:12 pm
    Permalink

    O quinto poder há anos está constituído. O que parece é que só foi nesse governo em que os males e as chagas apareceram. Políticas de falta de controle da natalidade, educação de má qualidade e a ausência do estado são as grandes causadoras deste mal.A violência de hoje é fruto da incompetência de ontem. Os marginais de hoje não são frutos deste governo somente, são desse e de outros.Precisamos de uma vez por todas reformar nossas leis e torná-las mais duras. Me critiquem se quiserem, me crucifiquem mas é por isso que sou a favor do aborto e da pena de morte, antes um aborto do que seu filho morto.

  • abril 3, 2009 em 7:38 pm
    Permalink

    Dizem os estudiosos que a República é composta por três poderes independentes: executivo, legislativo e judiciário. Quem cria a regra não é o mesmo que a aplica e quem avalia não é o mesmo que executa. Se os poderes não forem independentes ocorrerá a dominação. Se eles não trabalharem em conjunto ocorrerá o desastre, e é o que já está acontecendo A VIOLÊNCIA domina o mundo, dentro da nossa própria casa já corremos riscos.. de assaltos, bala perdida.. imagine nas ruas.. A população do nosso país , já grita socorro de tanto medo de sair as ruas!!

    Não existem dúvidas sobre o acerto da separação destes três poderes, porém a prática já acrescentou um quarto: a imprensa. Se não houver uma avaliação livre dos poderes, não existirá segurança de que não seremos dominados, a imprensa surge então como uma garantia de que a dominação do quinto poder não vencerá.

    O que você espera do futuro?

  • abril 4, 2009 em 5:11 am
    Permalink

    Temos o quinto poder em Valença (coordenado pelos tráficantes) e muito em breve teremos o sexto,o PODER DAS MILÍCIAS!

  • abril 4, 2009 em 5:02 pm
    Permalink

    Os Três poderes e sua cria, a família está crescendo !

    Esta violência que nos alarma e impressiona, em verdade, não nos surpreende.
    De fato nos assusta, nos incomoda quando nos sentimos ameaçados; porque, quando ela está lá no ” reino tão tão distante ” não causa assim tanto furor, mas, quando ela está aqui na minha rua, ou na rua da minha mãe, do namorado da amiga da mãe da tia do avô de sei lá quem, que é meu parente, aí sim, aí ela nos faz fazer e deixar de fazer uma série de coisas, aí, ai ai..” É pobrema negão”, afinal, como sair na hora, já marcada, do “tiroteio ” das 20h ? É violência, mas é organizada, Pô !
    Poderia-se, quem sabe, chamar os membros dessa “atividade” e propor junto a eles, paradas programadas no intervalo da novela ou, melhor ainda, entregar a eles as rotas específicas, definindo no mapa da cidade as zonas de risco e suas horas de sítio, respeitando, em horas de paz anunciada, a hora do Big Brother e demás horários fundamentais da nossa programação local, tudo acordado direitinho “pra” não ter erro, seria um bom projeto: um trio elétrico, meia dúzia de santinhos, umas três nádegas balançando freneticamente por meia horinha e pronto ! Apoio garantido ! Mas aí, por hora, é só especulação, teria-se que fazer um planejamento muito maior, chamar outros “setores” ao debate, isso daria muito trabalho.
    Mas, apesar de tudo, verdade seja dita, ainda que se lançe este projeto (em seu formato inédito), ou nada se faça, a situação não muda, de todo modo, não causa qualquer surpresa.
    Que se poderia esperar de uma sociedade planejadamente injusta? Uma musical e feliz sociedade, desigual na medida exata da manutenção desta desigualdade, mas temos feriados e temos micaretas e temos carnaval !
    A violência nacional, sejamos justos, não é tão feia assim, vem sempre muito bem embalada, bem vendida, apresentada por gente muito distinta, ou alguém vai duvidar do talento de profissionais como o senhor Duda Mendonça ? Ou da capacidade administrativa do Senhor Marcos Valério, ou do bom gosto do dono do “castelinho”? Ou,ou, ou, ou, etc… isso não !
    Estes “feios e maltrapilhos” da foto acima só fazem o serviço, o “patrão” é outro…
    Podemos questionar nossa memória, a memória do nosso Ilústre Presidente, os graus do seus óculos, vá lá; as marolinhas que ele anda vendo não correnpondem bem ao cenário atual, mas para por aí, não se questione mais nada, nada além disso !
    A violência que está aí é cercada de todas as luzes necessárias para ofuscar a lucidez de quem ousar ser “politicamente incorreto”, de quem cometer o sacrilégio de questionar ou, ainda pior(!), duvidar da boa vontade do nossos dígnos representantes, do nosso tão honrado Poder legislativo, nesse último caso, Deus se apiede da alma desse ímpio pecador !
    Não desfaçamos ou pouco façamos de nossos ilústres representantes, seus ternos e verbos escolhidos a dedo merecem, é claro, todo nosso reconhecimento, ainda que sejamos ante a tão sagazes seres, singelos cordeirinhos dóceis sempre dispostos a obedecê-los e legitimá-los. É, meus senhores, será essa a nossa fatia daquele tão falado “bolo”?
    O coro da ” boa fé “, constantemente a ecoar, se fará presente aqui, agora! É uma democracia meus senhores, não podemos silenciar, nem num mero texto a fala imortal que vem do além:
    – Ah ! Criticar é fácil…
    – Ah ! Isso é coisa do governo passado, são 500 anos de irresponsabilidade e exploração…
    – As bolsas do governo estão matando a fome de quem não tinha nada para comer…
    – Temos que deixar o bolo crescer para depois dividir…
    – Vamos cortar na própria carne…
    – Isso é conversa de burguê…
    – Blá, blá, blá….
    – Blá, blá, blá….
    – Tererê…tererê…
    No final das contas, a organizado do Estado se volta, primariamente, sobre o poder que o legitima enquanto tal, aquele que, teoricamente, elevaria a voz coletiva de forma a fazê-la reverberar por toda extensão territorial desta nossa linda nação verde e amarela, é o Poder Legislativo a “alma mater” do Estado Democrático de Direito, é ela, esta tal “alminha” que, também teoricamente, está próxima ao povo, aquela que se propõe a apresentar aos olhos do Estado a forma como este deve se portar, as normas resguardas pelo Poder Judiciário são paridas por estas doces barrigas: os nossos políticos.
    Lembro-me agora de uma campanha promovida pelo Estado para incentivar a participação da população nas eleições, em meio aquele falatório todo, uma frase se destacava: “Seu voto é uma arma”, hoje, bem pensando, concordo plenamente, mas temo que ao concordar com tal afirmativa, que uma outra se forme, será o povo suicida?
    Diante deste questionamento, me resguardo na reflexão. Mas, se o pior se revelar, se a afirmativa for verdadeira, me negarei a aceitá-la, e fazendo eco junto a dígna e homogênea militancia partidária nacional, me porei a balançar a bandeirinha pálida e caduca do ” nunca deixe de sonhar”. Nesse caso, so me restará seguir o exemplo de um grande estadista(?) e continuar a viver repetindo aos quatro cantos um chocho ” Ah! eu não sabia ” !

    Saionara Ribeiro.
    Graduanda em Direito pela UNEB, Campus XV, VII Semestre.

  • abril 5, 2009 em 9:20 am
    Permalink

    Alex Paixão, eu não vou critica-lo, nem crucificá-lo, até porque você não é bandido, muito menos Jesus Cristo… Mas fico reflexivo… Você é um jovem e não tem esperanças, não luta e acredita em um mundo mais justo… Você faz Pedagogia e é a favor do extermínio da vida humana através do aborto e da pena de morte… É triste ver uma pessoa “formando-se” em Educação que não acredita na EDUCAÇÃO como um caminho possível e real de ser seguido para minimizar ou resolver os problemas do Brasil e da Humanidade… Reveja seus posicionamentos e repense sobre esses aspectos por mim elencados.

  • abril 5, 2009 em 9:27 am
    Permalink

    Alex Paixão, a “pena de morte” no Brasil é de uma temeridade infinita… Com a nossa Justiça, você acha que alguém rico sofrerá essa pena? Acho muito temeroso também essa visão desesperançosa de um jovem e ainda por cima, Pedagogo… Se não me engano, a definição de Pedagogo na Grécia antiga era de CONDUTOR para a ESCOLA, que naquela época, era sinônimo de uma espaço de VIDA!

  • abril 5, 2009 em 9:32 am
    Permalink

    Alex Paixão – aborto e pena de morte como solução para nossos problemas de probreza e violência? Você surtou? Bebeu? Delirou? E ainda vem me dizer que é estudante de educação! Argumente, se tiver condições, por favor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *