ZÉ DA HORA FALA SOBRE SEGURANÇA.

 

Ultimas imagens 021

O ex-vereador Zé da hora fez um comentário sobre segurança, que eu fiz questão de postar como o principal post:

Caros Leitores,
Venho atentamente acompanhando a questão da segurança pública em nosso Município. Tenho assistido pronunciamentos daquí, dalí e de tantos. Só que até aquí não ví ninguém afirmar que a Violência é um fenômeno multicausal. Portanto não existe uma solução mágica. Em nenhum lugar imaginamos que, se fizer isto, vai resolver o problema. Entendo necessário que haja um investimento grande na polícia, um investimento na formação, na inteligência, na informação para qualificar a ação da polícia, vejo também, a necessidade de um incremento das ações da sociedade civil com projetos sociais em locais com indice de alta vunerabilidade, projetos focados e principalmente com um público bastante afetado, que é o público jovem. Vejo, também, a necessidade efetiva do envolvimento da Prefeitura neste processo.
Em geral pensa-se que segurança pública é papel exclusivamente do Estado. As parcerias com as organizações sociais da sociedade civíl também podem contribuir.
Posso afirmar que quando a Prefeitura de um Município trabalha junto com Estado e o governo federal, a gente consegue resultados mais substancias para a redução da criminalidade. Portanto uma série de coisas compõem este conjunto que reduz os homicídios, latrocinios, sequestros, furtos etc etc.
Essas parcerias não são só importantes, eu diria, mas determinantes. Assim, quero mais uma vez afirmar; não entender a questão da segurança do ponto de vista da repressão, que fica na mão da polícia, do sistema penitenciário e, aí sim, do governo do estado sem que haja nossa contrapartida. E isto nada mais é do que trabalhar na qualificação da repressão, mas investindo muito em prevenção. Se não, vamos ficar sempre nas políticas que chamo de enxugar gelo: sempre tratando o caso, mas sem conseguir resolver. É preciso tratar da questão antes de ela começar. Por isso processos de prevenção são fundamentais. E aí entra o papel da Prefeitura Municipal e das organizações sociais.
É importante que a ação social, a educação e saúde do município atue na base, a industria e comércio no meio e o emprego na ponta.
Portanto mesmo sendo esse meu pensamento, a questão não é fechada e estamos abertos a novos questionamentos e troca de ideias.

Zé da Hora

9 Respostas para ZÉ DA HORA FALA SOBRE SEGURANÇA.

  1. Elena abril 27, 2009 às 5:27 am #

    Não sei se o sr. não tem lido o blog, mas inúmeras vezes apontamos que a violência é multefatorial e que é muito simplista analisarmos só por um ângulo. Além do que não precisa ser especialista para chegarmos a essa conclusão. Sem falar que a violência é processual… Ela vem em ondas… E muitas delas, são consequências da falta de ações da gestão passada, o que é recorrente nesse país… Vem uma grande onda e os que gostam de ver o sol com peneira, acham que é só uma marolinha… O sr. que foi vereador na última gestão, pode apontar ações efetivas – projetos de lei – sobre esse tópico? Desculpe minha ousadia, mas analisar como o sr fez – com bases sociológicas a questão da violência é muito fácil… Todas as revistas semanais brasileiras o fazem, incluindo especialistas do primeiro time, até pós-Doutores para ilustrar. Não só a Veja, Isto É, Carta Capital, Época, Caros Amigos, mas também os grandes jornais de circulação como o JB, o Estadão, A Folha e até o Globo… Eu e minha turma, que possuimos minimamente intimidade com as letras, também poderemos filosofar sobre essa questão tão complexa… Palavras, palavras e palavras… Mas o que eu lhe peço são ações efetivas, ou pelo menos, projetos! Ficarei imensamente feliz se o sr elencar quais os seus projetos como vereador que buscaram minimizar esse aspecto tão nefasto da violência!

  2. Elena abril 27, 2009 às 5:33 am #

    Correção de digitação: MULTIFATORIAL e não multefatorial como foi escrito na primeira linha do meu texto. POSSUÍMOS e não possuimos. Desculpem os erros!

  3. Lina abril 27, 2009 às 6:58 am #

    Já falamos aqui sobre a gestalt – EDUCAÇÃO-SAÚDE-TRABALHO SEGURANÇA PÚBLICA-ÉTICA, que pode ser fomentada pela base religiosa para minimizar a questão da violência. A sociedade civil e suas instituições formais ou informais são a SOCIEDADE… Não são à parte. Repressão é só um viés e creia, não é o mais importante. A base está na educação e no trabalho, na saúde de qualidade… Mas isso, meu caro Zé da Hora, tem sido exaustivamente discutido nesse blog… Qualquer pesquisa básica vc verá nossos posicionamentos… O que precisamos é de um PROJETO COLETIVO, com o Governo Federal- Estadual e Municipal, assim como houve na Colômbia! O resto, são falácias enfeitadas de lírios e jasmins!

  4. Nana abril 27, 2009 às 8:02 am #

    Zé da Hora, acompanho esse blog desde o início e nunca vi uma postagem sua… Fico contente pela sua participação, porém triste, porque vejo que não lê nossos comentários… O nosso debate gira basicamente em torno da necessidade de se pensar de forma sistêmica, processual e diversas vezes pontuamos literalmente a questão da educação, da saúde, do trabalho, de políticas públicas e da violência, dentre outros… Quando vc afirma que nunca viu ninguém afirmar aqui no blog que a violência é um fenômeno multicasual, convidu-o a ir ao post escrito por Pelegrini sobre o Vereador Gama… A companheira Mille afirma isso com todas as letras na segunda frase… É só conferir! Além de todos os nossos comentários mais embasados, sim pq tem também os comentários brincantes também, neh? Mas valeu… Adoramos pensar e elocubrar sobre política e seus desdobramentos sociais!

    Pelegrini, que babado é esse de fechar a Pestalozzi? É verdade? Ramiro endoideceu de vez?

  5. Luis abril 27, 2009 às 8:17 am #

    Eu tenho menos de 20 anos e não acredito mais nas nossas instituições e olha que sou um cara otimista… Brigo o tempo todo pra está errado… Zé da Hora, me diga, com a Justiça corrupta que nós temos, como Gilmar Mendes “avacalhando” com o Supremo, os Ministros e Desembargadores vendendo a mãe na feira por dois tostões, o que ainda tem mais jeito nesse país? Só nos resta as palavras, então vamos usá-las e denunciar esses corruptos filhos de chocadeiras… Lula cria milhares de cargos comissionados para seus afilhados, é o rei das MPs, Wagner só REDA… Quem tem um pouco de massa cinzenta só resta mesmo pensar… Bradar… Não creio na luta armada, sou um pacifista… E luta armada com quem? Qual o jovem hoje que tem o mínimo de ideologia? Rara excessões, estão todos “viajando” no fumo colombiano ou enlouquecidos com o modelo norteamericano de ganhar dinheiro passando por cima de tudo e de todos….

    E se essa história que inundou o blog for mesmo verdadeira – Ramiro fechou a Escola Pestalozzi, terei que rever meus conceitos, pois só mesmo pegando nas armas… Se Ramiro fechou a Escola Pestalozzi, só bala… De borracha, pra dar um susto nesse energúmeno e ver se ele acorda pra vida!

  6. tião pavarot abril 27, 2009 às 8:28 am #

    VIVA AS SECRÉTARIAS DO LAR Santa Zita (27 de Abril)

    Santa Zita, nasceu no ano 1218, em Monsagrati, numa aldeia próximo a Lucca, na Itália. Filha de camponeses tementes a Deus. Sua mãe, apesar de ser uma mulher muito sofrida e totalmente analfabeta, fazia questão que Zita estudasse e para isso a incentivava dizendo que Deus teria muito orgulho dela se pusese afinco em seu estudo.

    Era uma criança muito carinhosa e cada segundo livre que tinha corria para um canto isolado para rezar. Foi-lhe confiado o encargo de distribuir as esmolas cada sexta-feira. E dar do seu pouco, da sua comida, das suas roupas, daquilo que possuía.

    Como era muito pobre, foi trabalhar como domestica aos 12 anos de idade na casa de uma rica família. Perguntava-se sempre: “Isto agrada ao Senhor”? ou ” Isto desagrada a Jesus”? Seu nome era Fatinelli e ele morava ao lado da Igreja local. Para Zita seu emprego era um presente divino e ela agradecia a Deus todos os dias orando logo pela manhã, quando todos da casa ainda dormiam. Também aproveitava as manhãs para ir à missa e retornava apressada para servir aos seus amos sempre de forma discreta e muito amável.

    Dizem que um dia foi surpreendida enquanto socorria os necessitados. Mas no seu avental o que era alimento se converteu em flores. Foi domestica por 60 anos. Morreu no dia 27 de abril de 1278, tendo toda a família Fatinelli a quem serviu toda a vida ajoelhada a seus pés.

    Foi proclamada padroeira das empregadas domésticas do mundo inteiro pelo papa Pio XII.

  7. ligado nas noticias abril 27, 2009 às 1:02 pm #

    falar de segurança,é conseguir tirar o aloprado do prefeito da prefeitura. vamos juntos ZÉ DA HORA, ajude a manter a moral que vc tem com o povo. lute com a população pra limpar a sujeira que se encontra na prefeitura. com certeza quem está ligado quer ZÉ DA HORA como nosso deputado.

  8. Mille abril 28, 2009 às 4:36 am #

    Caro Tião Pavarot, como poderemos viver sem vc e suas preciosas informações sobre sua base religiosa? Vc é um querido e olha que nesse comentário não vai nenhuma paquera, viu? Nas suas pesquisas será que vc não encontra uma SANTA CAMILLE? Adoraria ter uma santa com meu nome…

    Meu nome é em homenagem a grande artista Camille Claudel, uma mulher talentossísima e forte… Uma mulher que desafiou seu tempo e pagou um preço alto por isso!

    Pesquisei na origem dos nomes e Camille significa – Uma pessoa competente, que executa suas tarefas com amor. Com grande senso de observação e justiça, sempre sabe ver os dois lados da situação.

    Eu dostei… Parece um pouco comigo, embora em determinados momentos seja muito passional.

  9. José da Hora maio 1, 2009 às 6:54 pm #

    Helena, Lina e Nana

    Convido vocês a dar uma olhadinha no final ou melhor na útima linha do meu comentário.
    Acredito que vocês não vem acompanhando minha participação no blog do pelé. Vejam com êle como recuperar meus escritos no blog.
    De qualquer forma o texto foi e é uma provocação, acredito,tanto o do Blog do Pelegrini como o meu comentário ao do blog.
    -Realmente não basta teorias é preciso agir. -Vamos juntos nesta luta já que não basta escrever.
    Qauantos aos meus projetos quando vereador é só se dirigir à Secretaria da Câmara e solicitar cópia deles. -A Câmara tem todo interesse em sua divulgação.

Deixe uma resposta