OS PAUS QUE KAROL ELLER TOMOU NÃO FORAM HOMOFÓBICOS

No site do Globo foi noticiado que, após ouvir os depoimentos de funcionários do quiosque da orla da Barra onde a youtuber Karol Eller foi agredida no último domingo, a delegada Adriana Belém, responsável pelo caso, voltou atrás em sua avaliação de que a agressão foi “um caso típico de homofobia”.

Em entrevista à ÉPOCA nesta quinta-feira (19), a titular da 16ª DP afirmou que o acusado, Alexandre dos Silva, de 42 anos, não será mais investigado pelo crime de injúria por preconceito, mas por lesão corporal.

Belém também disse que cogita indiciar a youtuber e sua namorada, a policial civil Suellen Silva dos Santos, por denunciação caluniosa.

Antes disso, no entanto, Karol e Suellen serão novamente convocadas a depor.

De acordo com a delegada, as versões apresentadas pelos funcionários do quiosque coincidem com a descrição feita pelo acusado sobre o episódio. Eles confirmaram que Karol Eller manuseou uma arma, que chegou a colocar na cintura.

Os empregados do quiosque também confirmaram que a youtuber iniciou a briga e parecia estar alterada quando tomou a iniciativa de confrontar o acusado pelo espancamento.

“Existem dois crimes sendo apurados, a lesão corporal e a injúria por preconceito. Mas este segundo já ficou descartado pelas testemunhas do quiosque e pelas imagens das câmeras de segurança do local”, disse Adriana Belém.

2 Respostas para OS PAUS QUE KAROL ELLER TOMOU NÃO FORAM HOMOFÓBICOS

  1. salomao dezembro 20, 2019 às 7:52 pm #

    Vc que e um militante de esquerda radical ,postou essa noticia de um veiculo burgues,conservador e outras coisitas mais
    Não entendi nadakkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    ou um amigo Edson tem certa força com vc ,e tu deu o braço a torcerkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Esse ano eleitoral promete aqui no Blog
    kkkkkkkkkkkkkkk

  2. Edson F. dezembro 22, 2019 às 2:39 pm #

    Salomão, eu sempre confronto o Pele com fatos ou com a História verdadeira. Isto está acima de militância, radicalismo ou qualquer outro comportamento. A verdade ñ é minha, esta pertence aos fatos e fatos históricos que na sua maioria ñ estão nos livros escolares.

Deixe uma resposta