Marcos Medrado quer a cabeça de diretor da Agerba

image

O diretor de Qualidade e Serviços (DQS) da Agerba, Gildásio Rocha, pode estar com seus dias contados na autarquia. O deputado federal Marcos Medrado (PDT), que controla a agência e é responsável pela indicação de todos os cargos comissionados, está tramando a queda de Gildásio, que na prática ocupa a principal diretoria da agência – a DQS responde pela política de transportes, envolvendo atividades como regulação e fiscalização do transporte intermunicipal de passageiros, implantação do sistema complementar, além da fiscalização do sistema ferry-boat, explorado pela TWB.
A determinação de Medrado para o diretor-executivo da Agerba, Renato José, seu afilhado, é no sentido de que Gildásio Rocha seja isolado de todas as decisões da diretoria. Internamente, Medrado quer desgatar Gildásio junto aos servidores – os técnicos da área de transportes, por exemplo, que normalmente despacham com o diretor da DQS, estão sendo cobrados por Renato José a se entenderem exclusivamente com ele ou com o seu chefe de gabinete, Rondon do Vale. Rondon já foi diretor do DQS da Agerba no governo de Paulo Souto e conhece bem a área de Gildásio.
Gildásio Rocha foi indicado para Diretor de Qualidade e Serviços da Agerba pelo deputado estadual Roberto Carlos (PDT). Marcos Medrado fez de tudo para evitar a indicação, mas não conseguiu. Agora, Medrado está buscando respaldo até de deputados do PT, segundo informações seguras chegadas ao Jornal da Mídia, para derrubar Gildásio. Fala-se até em se oferecer outro cargo a ele em algum órgão comandado pelo PDT, como a CBPM de Alexandre Brust, por exemplo.
O enfrentamento a Gildásio passa até pela censura. O diretor da DQS da Agerba não pode, por exemplo, conceder entrevistas à imprensa. A orientação dos marqueteiros contratados por Medrado é para que nenhum servidor da área de "marketing" ou "comunicação" forneça a repórteres e jornalistas os telefones de Gildásio Rocha.
A gravíssima situação da Agerba do deputado federal Marcos Medrado já merece há muito tempo uma posição firme do governador Jaques Wagner. Os escândalos e as denúncias de favorecimento são cada vez mais frequentes. Agora mesmo o Jornal da Mídia está recebendo a denúncia de funcionários da Agerba revoltados com uma estranha negociação envolvendo a Agerba e a Sudesb com o objetivo de passar para a TWB o Centro Náutico da Bahia, local de embarque e desembarque das lanchinhas para Mar Grande.
A pressão em cima dos servidores é grande no sentido de que o processo seja imediatamente fechado, com parecer jurídico favorável para os mandantes da Agerba.
O estranho, aliás, muito estranho, é que não faz parte das atribuições da Agerba administrar nem ser dona de terminais. As atribuições da agência estão sendo desvirtuadas. Em vez de fiscalizar os serviços públicos concedidos pelo Estado e defender os interesses do cidadão, a Agerba está se transformando em um balcão de negócios.
Outras informações indicam que o Centro Náutico será entregue a uma outra empresa, que também vem de fora. O JM, com a responsabilidade que tem de só informar depois de checar as informações, está apurando as denúncias que tem recebido.
Mas o governador Wagner precisa tomar medidas sérias contra a Agerba e contra a TWB. Tem gente defendendo e fazendo o jogo de um lado ou do outro dentro do governo. Isto é óbvio. E tem adversário de Wagner de boca aberta esperando o mar pegar fogo.

Fonte:http://www.jornaldamidia.com.br/Alo_Bahia/Maio2010-1.shtml#872710605133032

Sem comentários.

Deixe uma resposta