Archive | março, 2019

RAIMUNDO COSTA ACREDITA QUE SÓ VIROU DEPUTADO FEDERAL PORQUE SEU PAI O MANDOU ESTUDAR, TIRANDO-O DE SER PESCADOR

O deputado Raimundo Costa acredita que não seria deputado federal se seguisse carreira de pescador

Por conta de uma homenagem ao “dia do piso salarial dos professores”, está circulando um vídeo do deputado federal Raimundo Costa, onde ele nos dá a impressão de ter dado um fora contra a classe dos pescadores.

Vindo de família de pescadores e trabalhando pela classe há décadas causa-nos estranheza seu pequeno discurso na Câmara de Deputados. Raimundo disse que estava alí, como deputado federal, por força da interpretação do seu pai, que dizia a ele para ir estudar quando ele se prontificava a ir pescar.

“Estou aqui por força da interpretação do meu pai, que quando eu ia pescar, ele dizia: ‘vá estudar, se você quer melhorar a minha família e ser melhor, deixa eu trabalhar aqui no esforço físico e você precisa exercitar seus neorônios para melhorar a qualidade de vida minha, da cidade, e quiçá, desse país'”, narrou as palavras do pai, o deputado.

Pode ser que o pai do deputado tenha se equivocado quando dizia isso, porque melhorar de vida não significa deixar de trabalhar como pescador. Nas entrelinhas, parece que ele queria dizer que a profissão de pescador não seria algo digno, é o que o deputado deixa transparecer.

Creio que seja uma honra para muita gente que exerce essa profissão de pescador com tanto orgulho, e por força da necessidade tenha até que ter os neorônios exercitados e em estado de total equilíbrio, ainda mais quando se pratica a força física juntamente com a força intelectual (pescador também usa estratégias para pescar).

Eu sou sorveteiro e não creio que eu tenha que ter outra profissão para melhorar de vida, posso melhorar com a mesma profissão, se é que, pra melhorar de vida seja necessário ter dinheiro com abundância.

Não creio que para se realizar financeiramente ou intelectualmente seja preciso virar deputado, prefeito, vereador, ou até mesmo presidente da república. Qualquer pessoa pode se realizar em qualquer profissão. Particularmente não acho a atividade de político melhor que qualquer outra profissão. Muitos se vangloriam, por achar que vencer é ter um orçamento de deputado federal na mão para se sentir poderoso.

Talvez não tenha sido isso que o deputado quis transmitir, mas deixou a entender assim.

Confira o vídeo abaixo:

Comentários { 15 }

OPINIÃO: Resiliência, você já aprendeu a usá-la?

*Por: Luiz Inácio Filho

Lembrava hoje na faculdade da máxima: “não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe” (Autor desconhecido).

Nós, servidores públicos de provimento efetivo, somos os verdadeiros guardiões do patrimônio público. Por força do concurso público, temos o dever de atender à população com imparcialidade, moralidade e sobretudo, responsabilidade. Na posição de guardiões desses bens, garantimos a continuidade dos serviços públicos durante todo o exercício e, a cada quatro anos, o detentor da preferência da maioria dos eleitores, que exerceram seu direito ao voto, enfim será finalmente escolhido. Dessa forma, pela escolha do povo, assumirá temporariamente a função de “gestor” daquele objeto do processo eleitoral, cujo mandato lhe foi confiado pelo povo e garantido pela legislação.

Malgrado a escolha agrade a determinados seguimentos ou desagrade a outros, os efetivos, estarão lá para garantir a transição dos atos inerentes aos processos de gestão em conformidade com o ordenamento jurídico vigente.

Os demais cargos: agentes políticos, comissionados e contratados, em sua maioria, devem obediência às determinações daqueles que lá os colocaram e, mesmo exercendo sua função com responsabilidade, pela necessidade e precariedade do vínculo de trabalho, sujeitam-se as mais diversas formas de desmandos.

Novamente, entre as lacunas produzidas pelo querer e poder do gestor, lá está o servidor efetivo, garantindo a continuidade do serviço público, pois, a qualquer momento, o agente político, comissionado ou contratado, poderá não mais exercer suas atividades laborativas, pela descontinuidade do vínculo de natureza política.

Exatamente nesse ponto, faz-se necessário tecer algumas considerações:

Aquele agente político, comissionado ou contratado que outrora perseguiu o servidor efetivo, com aquiescência do seu superior, agora volta a ser invisível, inanimado e descartável, verdadeiro “corpo estranho” ao universo da administração pública.

Novos atores assumem imediatamente os papeis dos descartados, afinal, a máquina pública não pode parar e, ninguém suporta por muito tempo o cheiro de nada em estado de putrefação.

Mais uma vez, os servidores efetivos, reconduzirão a máquina pública ao estágio necessário para a consolidação da nova transição, e mais uma, e mais uma, e mais quantas vezes se fizerem necessárias, sempre em consonância com a legislação.

Outrora quem mandava muito, agora não manda nada! Quem se achava extremamente indispensável, anunciando aos quatro ventos “só fico no cargo se for do meu jeito”, hoje nem tem mais o nome lembrado nos corredores, mas, aquele cuja a marca impressa durante o período laboral foi: trabalhar pouco, acordar tarde e a total ausência de compromisso com o serviço público, esse terá sempre seu lugar cativo na memória de todos como verdadeiro parasita, com significado livre grafado: “Indivíduo que vive a custa alheia por pura exploração ou preguiça”.

Assim, tão certo quanto, “a soma dos quadrados dos catetos e dos quadrados da hipotenusa”, o gestor de hoje que persegue e maltrata o servidor efetivo, saboreará do mesmo amargor no futuro, sem mandato, sem grupo e sem crédito, necessitará da ajuda desse mesmo servidor, que diante do ferimento recebido, decidirá se seguirá em frente,pela esquerda ou pela direita, em face das perseguições sofridas, mas, ainda assim ele continuará na estrutura e os passageiros serão outros, velhos conhecidos ou novos inquilinos.

*Luiz Inácio é funcionário público, formado em gestão pública, foi controlador do município na gestão de Jucélia Nascimento, no período de 2012 à 2016

Comentários { 3 }

O CIBORGUE DO RENOVA VALENÇA FOI DEMITIDO

A campanha que Ricardo Moura ganharia com 10 mil votos de frente, e acabou perdendo para Jucélia por 66 votos. Sinezinho seria o ciborgue para reforçar Ricardo

Enfim Ricardo Moura tomou coragem e fez um gol em favor dele, demitiu o Secretário de Administração, Sinezinho Cabral. Ricardo deu o prazo devido ao Secretário, esperou que ele pedisse demissão, mas o moço parece que não entendeu, e foi preciso que Ricardão tomasse a atitude de gestor e assinou a portaria da sua demissão.

Podemos dizer que Sinezinho é uma espécie de ciborgue, pois foi produzido nos laboratório do antigo grupo (que se dizia “apolítico”), Renova Valença, para ser o cara que iria ser melhor que o prefeito, iria fazer o prefeito um gerente da prefeitura e depois alocaria todos aqueles componentes do Renova dentro da prefeitura, caso Ricardo ganhasse. Mas pra isso era preciso que afastasse o blogueiro de perto dele.

Não deu outra, Ricardo Moura meteu o pé na bunda do blogueiro que lhe apoiava e falava mal dos almofadinhas, com isso, aceitou (uma imposição do grupo) Sinezinho como seu vice, pois ele também iria blindar Ricardão, pois tinha um processo na justiça e a influência de parentes no judiciário o salvaria.

Resultado: Ricardo perdeu a eleição para Jucélia por 66 votos de diferença, mas Sinezinho depois da derrota, correu pros braços dela, que depois viria a traí-la, e novamente, com o mesmo Ricardo Moura.

Sinezinho voltou para os braços de Ricardo, pois ele já tinha pesquisas que revelavam que Ricardo iria ganhar, porque Claudio Queiroz não queria abrir mão da merreca de R$ 300 mil reais para bancar aquela eleição, e Jucélia não conseguiria levar, porque dividia os votos com Jairo e Claudio.

E aí, deu Ricardo, com mais de 4 mil votos de frente para o segundo colocado. E Sinezinho voltou como secretário, mas não decolou, dizem que ele acordava tarde, trabalhava pouco e não sabia labutar com aquela carteira.

Ricardo precisava melhorar a sua performance, porque quer disputar a reeleição, começou forçando a saída do Secretário de Finanças, e agora demitiu Sinezinho.

Resta saber quais as próximas cabeças que irão rolar, claro, quem pensa que era só Sinezinho que atrapalha a política de Ricardo Moura, está muito enganado, tem muitos pesos mortos que precisam se enquadrar ou então vão jogar a campanha de Ricardão no mato.

Com isso, não estou afirmando que ele consiga se reeleger, porque tem muita coisa errada ainda, principalmente os compromissos, e isso nem Ricardo e tampouco seu grupo conseguem resolver fácil.

Comentários { 8 }

MÉDICOS CUBANOS DESERTORES QUE ACREDITARAM EM BOLSONARO, ESTÃO PASSANDO FOME

O programa Mais Médicos, criado por Dilma Rousseff, chegou a contar com quase 20 mil médicos, distribuídos em mais de 4 mil municípios e dando atendimento a 60 milhões de pessoas.

Em 2018, pouco depois da fraude eleitoral brasileira dar a vitória ao golpista e entreguista Jair Bolsonaro, o mesmo se pôs a ameaçar a validade dos diplomas dos médicos de Cuba e questionar o valor dos seus salários.

Bolsonaro tentou passar a imagem de que estava preocupado com os pacientes estarem sendo tratados por médicos supostamente “sem competência”, um absurdo pois a medicina cubana é considerada uma das melhores do mundo. (Leia mais aqui DCO)

Comentários { 5 }

ACE/CDL NÃO CONSEGUEM ESTIMULAR O COMÉRCIO

O auditório tem pouco mais que 30 pessoas, incluíndo os diretores

Tenho recebido os releases de notícias da ACE/CDL e noto que os assuntos das assembleias daquela entidade não refletem mais como muito importantes para eles.

Na quinta-feira (21), próxima passada, aconteceu a primeira Assembléia Geral do ano, e como a foto acima, mostra, quase não dá quorum, o auditório totalmente vazio, pouco mais que trinta associados juntamente com a diretoria participaram da assembléia.

O desânimo é tão grande que até a toalha da mesa composta pelos diretores está torta, por aí se vê como estão desorganizados. Será que não tem uma pessoa pra forrar uma mesa corretamente!?

É visível nos semblantes dos diretores a desmotivação, a sensação que dá é que o comércio enfraqueceu e eles não conseguem estimular o crescimento. Tudo isso acontece justamente quando está sendo criada uma nova entidade comercial na cidade, precisamente no Bairro da Bolívia.

Talvez seja reflexos do novo Brasil, onde nada se cria, nada se copia, nada se faz, tudo é a mesma coisa. Só não dá pra enganar.

RICARDO MOURA QUER APOIO PARA O SÃO JOÃO

Na semana passada o prefeito Ricardo Moura falou em fazer o São João em parceria com a a ssociação comercial, alheio aos problemas do município, Ricardo mal sabe os problemas da CDL. Aí vai ser um sem braço querendo se apoiar num capenga.

Tá sério, vamos levantar a cabeça, inventar algo novo, trazer palestrantes, dar cursos aos funcionários do comércio, somos taxados como o pior atendimento na Bahia. Vamos sair dos gabinetes, estimular os comerciantes, tirar essa idéia da cabeça de que ser diretor da CDL é só status.

Precisamos estimular o povo a comprar no comércio local, pois vocês são os primeiros a comprarem fora.

Comentários { 3 }

OPINIÃO: BOLSONARO AGORA É REFÉM DAQUILO QUE REPRESENTA, UMA ESPÉCIE DE PARADOXO POLÍTICO

Maurício sena

Qualquer proposta de reforma da previdência, independente do conteúdo, é polêmica por natureza. Bolsonaro sabe que se não oferecer parte do orçamento, poder e cargos no executivo aos “nobres” deputados sua reforma não avança, ou adere ao que chama de velha política ou essa mesma velha política irá engoli-lo. A sua resistência em negociar com o congresso tem muito mais relação com a manutenção da imagem construída em meio as fakes da campanha que propriamente com um suposto imperativo moral. Imprevisível saber até quando isso vai durar, com o intuito de mudar o polo do poder destruiu-se o caminho para o diálogo que nem sempre é pavimentado por patrimonialismo e chantagem, deixaram de cuidar da vaca com carrapato e deram um tiro na sua testa. Bolsonaro agora é refém daquilo que representa, uma espécie de paradoxo político, dessa forma, o estrago da sua passagem pode ser menor, mas com certeza todos já perdemos.

Comentários { 2 }

MARGARETE DISSE QUE NÃO DEU QUEIXA DE TÁCIO PARA ACUSÁ-LO DE FAKE

Após a publicação da nossa matéria sobre a suposta acusação da senhora Margarete Carvalho ao ex-vereador Tácio Lima, fui procurado por ela, que se justificou: “não dei queixa do ex-vereador para acusá-lo de administrador de fake, é verdade que dei queixa dele, mas o motivo da queixa ele conhecerá lá na delegacia de polícia”, concluiu a companheira do prefeito Ricardo Moura.

Comentários { 2 }

COMPANHEIRA DO PREFEITO RICARDO MOURA ACUSA EX-VEREADOR DE SER DONO DE PERFIL FAKE EM REDE SOCIAL

Ricardo Moura e a companheira atual, Margarete Carvalho

A nova companheira do prefeito Ricardo Moura, senhora Margarete Carvalho, deu queixa do ex-vereador Tácio Lima, acusando-o de ser criador do perfil fake, Felipe Neto, que faz denúncias e ofensas a políticos de Valença e está nas páginas do Facebook.

Segundo o ex-vereador, que conversou com a gente aqui do blog; a senhora Margareth Carvalho esteve em sua residência e acusou-o de ser o criador do fake de Felipe Neto, porque ele havia repassado um vídeo para um grupo de Whatasapp, gravado diretamente do seu computador da página desse perfil, e pelo fato de aparecer seu nome na sua time line, ela acredita ser ele o fake.

Tácio disse que ela foi embora dizendo que iria processá-lo, ao que ele respondeu que, ‘seria um direito dela’, e disse que logo em seguida ele recebeu a intimação da delegacia de Polícia de Valença (veja foto abaixo), com audiência marcada para dia 29/03, às 10:00.

O ex-vereador que é assessor do deputado José de Arimatéia, disse que irá aguardar a audiência para tomar suas providências, já que ele garante não ter nada a ver com o fake, apenas vê as publicações do perfil porque são públicas.

A senhora Margarete que passou a conviver com o prefeito após as eleições, tem hoje forte influência nas questões da prefeitura, interfere nas remoções de funcionários, secretários, e até mesmo nas questões políticas, por isso ela passou a ser alvo de fakes em redes sociais.

 

Comentários { 4 }