DEPUTADO HILDÉCIO MEIRELES, PROPONENTE DA MAIOR AUDIÊNCIA PÚBLICA JÁ VISTA EM VALENÇA

Sensação de dever cumprido. Com esse sentimento o deputado estadual Hildécio Meireles findou a audiência pública realizada pelas comissões de Agricultura e Política Rural e de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, a qual preside, na manhã desta quinta-feira (25), na Cidade de Valença, que debateu sobre o “fortalecimento da cadeia produtiva do cravo da índia e seus efeitos”.

Segundo explicou Meireles, um dos principais itens reivindicados pelos agricultores familiares da região do Baixo Sul, foi assegurado pelo presidente do IBGE na Bahia, Artur Ferreira, que é o registro da produção do cravo-da-índia no banco de dados do instituto para o mês de julho do próximo ano. E não parou por aí. Aliado a isso, o superintendente federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento na Bahia, Osanah Rodrigues Setúval, se comprometeu pelo reconhecimento e zoneamento da produção do cultivo pelo Ministério da Agricultura.

“Estas importantes medidas, sem dúvida, proporcionarão melhores condições para o crescimento do cultivo e comercialização, a exemplo de abertura de linha de crédito, dentre outros incentivadores”, comemorou, enfatizando que resta entregar apenas à secretaria estadual de Agricultura a ‘Carta do Cravo’ como reforço.

“Afinal, a nossa luta é mais do que legítima, pois apesar de o cravo da índia ser uma cultura nativa da parte oriental do planeta, encontra-se presente em quase todos os 14  municípios do Território do Baixo Sul, mas que hoje vem sofrendo um grande impacto na produção e carece de políticas públicas para voltar a expandir o cultivo,a comercialização, que mesmo em crise produz 4 mil toneladas/ano, mas já atingiu índices de 14 mil toneladas ano. Estima-se ainda que estejam interligados a cadeia produtiva do Cravo um contingente de 50 mil pessoas entre a sua produção, colheita e comercialização”, destacou.

Compuseram a mesa, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Angelo Coronel, os deputados Heber Santana, Sidelvan Nóbrega, Samuel Júmior, Marquinho Viana, Maria Del Carmen, Mirela Macedo; Juvenal Maynart, diretor geral da Ceplac; Luís Bauduíno, representante do Ministério da Agricultura; os prefeitos de Toelândia, Lazaro Oliveira; de  Presidente Tancredo Neves , Antônio do Bó; e os vices de Valença, Humberto Malheiros, de Gandu,  Jojó e de Ituberá, Neto Baé e o presidente da FEPESBA, Raimundo Costa e o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Marcus Vinicius Nascimento. Cerca de 550 pessoas marcaram presença.

Comentários { 0 }

Nesta quinta, Valença será palco de debate sobre o “fortalecimento da cadeia produtiva do cravo da índia”

Nesta quinta-feira (25), a cidade de Valença será palco de debate sobre o “fortalecimento da cadeia produtiva do cravo da índia e seus efeitos”. Trata-se de audiência pública promovida pelas comissões de Agricultura e Política Rural e de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, da Assembleia Legislativa da Bahia, proposta pelo deputado estadual, Hildécio Meireles. O ato está marcado para às 9h, na sede da Segunda Igreja Batista, situada à Avenida ACM, nº 180, Bairro São Félix. Foram convidados o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, o diretor geral da Ceplac, Juvenal Maynart Cunha,  o presidente do IBGE, Paulo Rabello Castro, o secretário estadual de agricultura Vitor Bonfim, o presidente da Assembleia Legislativa, Angelo Coronel, dentre outras autoridades.

Conforme explica Hildécio Meireles, que preside o colegiado de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, o objetivo do encontro é promover o reconhecimento e zoneamento da produção do cravo da índia pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, bem como o seu registro no banco de dados do IBGE e, consequentemente, proporcionar melhores condições para o crescimento do cultivo e comercialização, a exemplo de abertura de linha de crédito, dentre outros incentivadores.  Ele explica ainda que a escolha do local se deu porque o cravo da índia, cultura que embora nativa da parte oriental do planeta, encontra-se presente em quase todos os 14  municípios do Território do Baixo Sul.

“Na  região encontrou clima propício para o seu desenvolvimento, e por décadas representa uma importante atividade econômica para os agricultores familiares da região, porém vem sofrendo com uma grande mortalidade de suas árvores, o que vem impactando muito a produção local, ocasionando uma situação bastante crítica para os seus produtores. Para se ter idéia,  a produção atual é estimada em 4 mil toneladas/ano, mas já atingiu índices de 14 mil toneladas ano. Estima-se ainda que estejam interligados a cadeia produtiva do Cravo um contingente de 50 mil pessoas entre a sua produção, colheita e comercialização”, destacou.

O parlamentar complementa ainda que somado a esses fatores, “a  inexistência de um pacote tecnológico que assegure o desenvolvimento sustentável e a enorme dificuldade para se ter acesso a crédito de financiamento e de fomento, perante os bancos oficiais, também vem trazendo grandes prejuízos a esta cultura que muito representa para a economia da região. E o maior objetivo é mudar esse cenário”.

·         O QUE?

·         Audiência Pública conjunta das comissões de Agricultura e de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo, proposta pelo deputado Hildécio Meireles.

·         TEMA:

·         “Fortalecimento da Cadeia Produtiva do Cravo da Índia e seus efeitos”.

·         QUANDO E ONDE?

·         Valença, sede da 2ª Igreja Batista de Valença, às 09h00

·         OBJETIVO:

·         Promover o reconhecimento  e zoneamento  da produção do Cravo pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, bem como o  seu registro no banco de dados o IBGE”.

·         AUTORIDADES CONVIDADAS:

·         Deputados Estaduais;

·         Deputados Federais;

·         Ministro de Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

·         Diretor Geral da CEPLAC;

·         Presidente do IBGE;

·         Superintendente Regional da Caixa Econômica;

·         Superintendente Regional do Banco do Brasil;

·         Superintendente Regional do Banco do Nordeste;

·         Secretário Estadual de Agricultura da Bahia;

·         Presidentes e representantes de produtores rurais de Cravo da Índia;

·         Produtores rurais.

Comentários { 1 }

Tem Teatro Gratuito Nessa Sexta no C C Olívia Barradas

Após retubante estreia em abril, atendendo a pedidos, o espetáculo teatral Há Vagas Para Rapazes de Fino Trato sobe mais uma vez ao palco do Centro de Cultura em mais uma apresentação gratuita, nesta sexta, 26, às 20h.

A peça se desenvolve a partir do encontro entre Paco e Tonho, dois rapazes sem qualquer afinidade aparente, que passam a dividir um mesmo quarto de pensão em Salvador. Tonho é o moço sonhador que deixa a sua Valença para realizar seus sonhos na capital; Paco é o soteropolitano porra-louca, desencantado e perturbador. Num jogo de estranhamento versus sedução, dominação vs. cumplicidade, esperança vs. desengano, os personagens se envolvem numa trama tensa que ora os polariza, ora os aproxima.

Livremente inspirado em Dois Perdidos Numa Noite Suja, de Plínio Marcos, Há Vagas para Rapazes de Fino Trato resgata e dá novos contornos psicológicos à dupla criada pelo dramaturgo, vivida nesta montagem por Adriano Pereira (Amares) e Everton Bacélla (Sentença). O espetáculo é dirigido por Juliano Britto e o texto assinado por Cadu Oliveira. A iluminação é de Suelma Maria Suelma Costa e e a sonoplastia feita por Ronaldo Soares.

Montado pela primeira vez em 2011, tendo no elenco Adriano Pereira e Cadu Oliveira, além da trilha assinada por Matheus Magyver, o espetáculo fez temporada em Valença no Cine Teatro Vitória, Centro de Cultura Olívia Barradas e Casa de Cultura Maria Claudia Rodrigues. Participou também de mostras teatrais em Santo Amaro e Gandu. Nesta nova montagem Everton Bacélla substitui Cadu Oliveira e a trilha é assinada por Ronaldo Soares.

Serviço

HÁ VAGAS PARA RAPAZES DE FINO TRATO

LOCAL: C C Olívia Barradas

DATA: 26/05 às 20h (GRATUITO)

Comentários { 2 }

Valença: Justiça Eleitoral convoca eleitores para o recadastramento biométrico

A convocação está sendo feita por meio da 31ª Zona Eleitoral e é válida também para eleitores do município de Cairu; o cidadão que não fizer o procedimento dentro do prazo terá o título cancelado

A Justiça Eleitoral, por meio da 31ª Zona Eleitoral, convoca os eleitores de Valença e Cairu para a realização do recadastramento biométrico obrigatório, que deverá ser concluído até o dia 31 de janeiro de 2018.

O procedimento é dividido em cinco etapas: coleta das digitais de todos os dedos das mãos, registro fotográfico, assinatura digital, revisão dos dados cadastrais e reimpressão de novo título.

O recadastramento biométrico deve ser realizado no Fórum Eleitoral de Valença (Rua Guido Araújo Magalhães, S/N, Novo Horizonte). O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30. Informações podem ser obtidas por meio do número (75) 3641- 3061.

Somados, os dois municípios possuem 76.197 eleitores. Desses, apenas 7.980 (10,47%) já podem votar com a identificação biométrica. Isso significa que 68.217 cidadãos ainda precisam ser recadastrados. Os dados são da Seção de Cadastro Eleitoral do TRE-BA.

Obrigatoriedade

Estão obrigados a fazer o recadastramento todos os eleitores, inclusive aqueles cujo voto é facultativo (analfabetos; eleitores com idade entre 16 e 18 anos; os maiores de 70 anos de idade). O cidadão que não fizer o procedimento terá o título cancelado.

Consequências

A Justiça Eleitoral chama a atenção para as implicações geradas pelo cancelamento do título. Entre os transtornos, previstos pelo artigo de número 7 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965), a impossibilidade de recebimento de benefícios sociais, a exemplo do  Bolsa Família. Por isso e, no intuito de evitar prejuízos ao cidadão, o TRE-BA alerta para que os eleitores compareçam, o quanto antes, aos cartórios e postos de atendimento e realizem o procedimento.

 

Prejuízos que podem afetar a vida dos eleitores em situação não-regular com a Justiça Eleitoral (Art. 7º do Código Eleitoral)
Não poder se inscrever em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles.
Não receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição.
Não obter passaporte ou carteira de identidade.
Não renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo.
Não obter certidão de quitação eleitoral, conforme disciplina a Res.-TSE nº 21.823/2004.
Não praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda.
Não obter qualquer documento nas repartições diplomáticas a que estiver subordinado.
Não obter empréstimos nem celebrar contratos com o Poder Público.
Não participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal ou dos municípios, ou das respectivas autarquias.

Eleitores com pendências

Os eleitores que possuem débitos com a Justiça Eleitoral deverão, antes de comparecer ao cartório, emitir boleto para pagamento de multa (Guias de Recolhimento da União). A emissão é feita por meio do site do TRE-BA. Para ter acesso, basta clicar no banner “consulta de débitos e impressão de GRU” ou, através do menu principal, seguir o caminho: Eleitor > Débitos do Eleitor.

Feitos a impressão do boleto e o pagamento da pendência em banco indicado, o eleitor deverá, no momento do atendimento em cartório eleitoral, apresentar comprovante de pagamento. A comprovação da quitação eleitoral é imprescindível para a realização do recadastramento biométrico.

 

Veja os documentos necessários para fazer o recadastramento biométrico
 – Documento oficial de identificação com foto (Ex.: original e cópia de RG, CNH, Carteira Profissional, Passaporte, Carteira de Reservista ou Certificado de Alistamento Militar);
– Comprovante de residência atual original e cópia (emitido há, no máximo, três meses), no nome do eleitor ou de um parente, devendo comprovar o parentesco;
 – Documento comprobatório de alterações de dados pessoais, se houver (Ex.: original e cópia da certidão de casamento, certidão de casamento com homologação de separação ou sentença judicial etc.);
 – Se for tirar o 1º título eleitoral, necessita-se ainda da original e cópia do comprovante de quitação do serviço militar (para homens com idade entre 18 e 45 anos).
ATENÇÃO
– A CNH (Carteira Nacional de Habilitação) não é válida como documento de identificação para o alistamento eleitoral (1º título de eleitor) por não conter nacionalidade/naturalidade, assim como o Passaporte, por não conter a filiação.
– O eleitor que tiver o título eleitoral anterior deve levá-lo na hora de fazer o recadastramento biométrico.
OBS.: além dos originais, os documentos pessoais e comprovantes de residência devem ser acompanhados das respectivas cópias.

Informações:

Cartório Eleitoral
31ª Zona Eleitoral – Valença e Cairu
Comentários { 0 }

TANCREDO NEVES REVIRA MAIS UMA VEZ NO TÚMULO: ÁUDIO REVELA QUE AEROPORTO DE CLÁUDIO ERA MESMO DE AÉCIO

247 – As gravações da Polícia Federal trazem mais uma confirmação humilhante para o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG); de acordo com os grampos, o aeroporto de Cláudio (MG), construído com dinheiro público na sua gestão, servia para atendê-lo e a chave ficava com seu segurança; a informação veio em uma conversa interceptada de Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, o mesmo indicado pelo tucano para receber R$ 2 milhões, solicitados pelo tucano ao empresário Joesley Batista, da JBS; o aeroporto de Cláudio foi construído em uma área que pertencia a um tio-avô de Aécio; a obra foi concluída em 2010, a um custo de R$ 13,9 milhões; a pista fica próxima a uma fazenda da família.

Comentários { 1 }

SÓ O GOVERNO FEDERAL JÁ REPASSOU R$ 56 MILHÕES DE REAIS PARA A PREFEITURA DE VALENÇA E ATÉ O MOMENTO NÃO DEU PARA FAZER O CANAL DO CAMINHO DO MEIO

Uma obra que não custurá mais que R$ 10 mil reais, continua lá, cercada por cones e fitinhas amarela e preta. Nem sei como estão conseguindo essas fitas, se não for do DETRAN…

No mínimo uma vergonha, sem contar com os R$ 9 mi deixados pela gestão anterior, o governo federal já repassou para os cofres da prefeitura o equivalente a quase R$ 47 mi de reais, e ainda não fizeram nada na cidade. Fico me perguntando: pra onde foi tanto dinheiro, que não puderam fazer uma obrazinmha que não chega a custar R$ 10 mil reais? Como essa do Caminho do Meio. Estou falando desses repasses do governo federal, mas tem outros recursos, como IPTU etc…

Quem quiser que diga que a cidade está avançando, quem quiser que diga que tem pouco tempo, mas o que se vê é incompetência mesmo, descaso total, muita garganta e política para tentar encobrir os erros. Como pode em quase cinco meses de governo sequer ter concluído uma obra, começaram a estrada do Orobó e já pararam, a ponte da rodiviária completa três meses em 27 de Maio e as outras estradas vicinais continuam largadas, pois não deram manutenção.

Depois vem pra cá com a boca cheia de ódio, falar que a imprensa era comprada pela gestão anterior, essa é a justificativa de quem não tem competência para fazer nada, de quem passou o resto da vida fazendo política.

Comentários { 2 }

Casa do Empresário participa do lançamento do São João de Valença

Na noite de quinta-feira (18/05), a Casa do Empresário, representada pelo presidente da SINCOMVAL, Antônio Machado e seus diretores: Jeremias Peixoto, Dilton Gonçalves e Reinaldo Mercês, participou do lançamento oficial do São João 2017 da cidade de Valença.

Com muito forró e animação, todos foram recepcionados pela quadrilha junina Esfarrapados, que fez sua apresentação mostrando as manifestações culturais valencianas. Na oportunidade o prefeito Ricardo Moura, a secretária de Promoção Social, Margarete Moura e o empresário Eduardo Dantas, da Itaipava, falaram da importância da festa de São João para economia da cidade. O presidente da SINCOMVAL, Antônio Machado, se diz feliz pela continuidade dos festejos juninos em nossa cidade, uma luta antiga das entidades e que vem se concretizando nos últimos anos.

O lançamento contou com a presença dos cantores Daniel Vieira, Ylan Michel (Banda Pirilampo) e Daisy Soares (Banda A Patroa), de alguns artistas locais, que também vão animar a festa de São João, além de autoridades, imprensa e comunidade. Nos próximos dias, serão divulgadas as bandas que a Bahiatursa estará patrocinando para completar a grade da festa.

Comentários { 5 }

LANÇAMENTO DO SÃO JOÃO DE VALENÇA, TÃO SINGELO COMO SERÁ A FESTA

Poucas pessoas compareceram no evento de lançamento do São João, clube totalmente vazio

Sem muita comoção e sem muito interesse dos convidados, a prefeitura de Valença fez o lançamento oficial do São João na quinta-feira (18), no clube Associação Atlética de Valença, no Centro da cidade. Autoridades, artistas, produtores culturais e alguns profissionais da imprensa estiveram presente.

A prefeitura terá dentre os patrocinadores, a Cervejaria Itaipava, CDL e da Bahiatursa (Governo do Estado), através do diretor Diogo Medrado.

O São João desse ano será uma festa singela, teremos apenas um nome de peso, a cantora Naiara, que faz sucesso com a música “cinquenta reais”, as demais atrações são da localidade e cidades vizinhas.

Não será fácil concorrer com as cidades de Cruz das Almas e Santo Antonio de Jesus que já tem tradição e faz contratos de grandes nomes da música brasileira, espera-se um esvaziamento total da cidade, mas de qualquer forma será melhor para quem não gosta de festa muito movimentada.

Quem estiver preparado para curtir um São João light, é só esperar. De qualquer forma, vale a intenção.

Comentários { 0 }