MARCELO BORGES TEVE 63 VOTOS E NÃO CONSEGUIU ELEGER NINGUÉM DO SEU PARTIDO

E Marcelo Borges, hein!? Não conseguiu eleger nem ele mesmo no seu partido. Com uma votação vergonhosa de 63 votos Marcelo sentiu que seu trabalho à frente da Secretaria de Meio Ambiente em Valença não surtiu efeito nenhum. Também pudera, depois de perseguir Ramiro o tempo todo depois foi abraçar o chacal.

Muita gente apostava que Marcelo teria uma votação expressiva, o que aconteceu foi ao contrário. O que Marcelo sabe fazer mesmo é barulho. Todo mundo sabe que durante seu período à frente da Secretaria de Meio-Ambiente ele travou a obra de Ramiro Campelo, brigou e disse que enquanto ele permanecesse à frente da pasta que Ramiro não construiria. E ele cumpriu com o que disse. Em seguida, Ramiro que teria ajudado a eleger Ricardo Moura, pediu a cabeça de Marcelo e retomou sua obra na área de proteção ambiental.

Na campanha, Ramiro que já faz pesquisas em toda eleição pra ver qual o candidato está na frente, descobriu que era Jairo e ofereceu apoio a ele. E Marcelo Borges foi o primeiro a postar sobre a chegada do “Tio”, dizendo que “quem ganha com isso é Valença”.

Por isso não se elegeu, não sabe o que quer, quando Ramiro ameaçava o meio ambiente ele atacava o empresário, mas quando o chacal foi apoiar o candidato dele, elogiou. Ah, rola bosta!

4 Respostas para MARCELO BORGES TEVE 63 VOTOS E NÃO CONSEGUIU ELEGER NINGUÉM DO SEU PARTIDO

  1. Fi dê Lão novembro 18, 2020 às 2:34 pm #

    E onde estavam os vereadores para vetar esse projeto que envolve o meio ambiente?

    Cadê esse povo? São tão responsáveis como esse secretário e o prefeito.

  2. Eleitor novembro 18, 2020 às 4:27 pm #

    Na minha opinião foi pouco para Marcelo Borges, ele que não vá fazer suas prótese.rsrsrsrrsr…..

  3. Ramiro Gogoboy novembro 18, 2020 às 7:57 pm #

    Marcelo não é má pessoa, só aposta errado. Marcelo acabou se tornando uma figura folclórica na política Valenciana e não foi por ser excêntrico, mas pela forma como ele idolatra seus líderes no momento. Foi assim com Martiniano, com Nelson Pelegrino, Maria Del Carmen, Ricardo Moura e agora Jairo. A devoção a figura do seu “lider do momento” é quase que um ritual religioso. Posta, fala bem marca tira foto, aparece, se vacilar pega até na binga para balançar o pingo do mijo. Se não fosse assim, desse jeito, tipo menino maluquinho, teria tudo para ser um grande nome. Acabou se tornando vítima dos próprios excessos.

  4. pelegrini novembro 19, 2020 às 7:43 am #

    Uma balançadinha eu não sei se ele topa, mas ganhou o nome seu Batista por isso mesmo.

Deixe uma resposta