CGU APONTA IRREGULARIDADE, MAS JURISTAS DIVERGEM NAS OPINIÕES

CGU divulgou relatório de suposta irregularidade no transporte, os gestores envolvidos leram e não se abalaram

Ontem (22), uma matéria do site Metro1 chamou a atenção da classe política da cidade, onde a manchete fala de um superfaturamento de R$ 6 mi no serviço do transporte escolar.

Segundo o site a fiscalização da CGU envolve os governos de Jucélia e Ricardo, e foi feita entre os dias 15 e 19 de outubro do ano passado, o período dos gastos foi entre 2013 e 2017.

Busquei informações com quem entende do assunto e me disseram que a CGU deve estar equivocada com esse superfaturamento, pois comparada a muitos municípios do Brasil e da região, Valença é a cidade que paga a menor taxa por quilometragem na Bahia.

Numa outra opinião foi dito que, devido a terceirização dos serviços, que foi um acordo feito para ajudar aos pequenos motoristas da região, diminuiu-se a frota da empresa contratada, para dar oportunidades a essas pessoas que vivem e moram no município, “talvez a CGU tenha se apegado a esse detalhe e por falta de informações técnicas, acusou o município de superfaturamento, sem saber que existe esses acordos”, disse Doutor Fonseca, um dos sub-procuradores da prefeitura de Lauro de Freitas, município que também teve um caso parecido, e a CGU por fim, arquivou o processo.

Muitas pessoas comentaram na cidade, dizendo que o site divulgou a notícia para criar instabilidade com os pré-candidatos a prefeito, Jucélia e Ricardo. O Metro1 só fez passar a informação que foi dada pela CGU, informação essa que, qualquer órgão de comunicação ou pessoa pode ter acesso, é só ir ao site deles e pesquisar.

Um dos pontos positivos observado no relatório da CGU é que, eles não indetificaram desvios de recursos público: rotas e carros inexitentes. Portanto, talvez seja por isso que os gestores se dizem tranquilos.

Sem comentários.

Deixe uma resposta