NÃO PODERIA DEIXAR DE ACONTECER: AS POLÊMICAS DO SHOW DO SAFADÃO

Foto: Vanessa Andrade

Não consigo ficar quieto quando vejo uma polêmica se formar. Alguém disse que a festa da Doriva Produções teria sido fraca (pouca gente) e de imediato os amigos de Doriva contestaram, disseram que não, que ao contrário, a festa teria sido boa (público bom).

Como não ouço só boatos, li o que escreveu a jornalista Vanessa Andrade que é a assessora de comunicação da Doriva, ouvi algumas pessoas que participaram da festa atual e de outras do mesmo porte que a Doriva já promoveu. Tirei a conclusão que: Doriva é um guerreiro, cara que trabalha pra sustentar a sua família, tem boas intenções quando traz esses shows de artistas que estão no topo. Isto só demonstra o prazer que ele tem em ajudar a cidade (poderia levar esses shows pra outras cidades), porém, não estamos aqui pra criticar a festa e achar que foi ruim porque não atingiu o número de pessoas que estava sendo esperado, mas quem disse que a festa estava fraca de pessoas não mentiu, até porque, o Safadão é o artista de maior repercursão do país, tem carisma; atrai a turma jovem; e vende muito show, ficando sempre nas paradas.

Disseram que os produtores esperavam em torno de 8 a 13 mil pessoas, mas só tinham 4 mil.

Agora, não vejo mal nenhum em quem fala a verdade, podemos analisar que, Valença não é a cidade que consegue atrair muita gente com esses shows. Lembro quando Ivete esteve aqui em Valença e o público também ficou a desejar. Pra mim foi ótimo, pois não tinha ninguém pisando em meu pé, pude beber sem ficar no desespero para pegar um copo de cerveja, diga-se de passagem: foi o dia que mais bebi em minha vida.

A mim não importa se o produtor vai tomar prejuízo ou se vai ter lucro, vou no show que gosto, se tiver pouca gente garanto que no dia seguinte vou dizer -foi massa- se tiver muita gente digo: tava uma merda pisaram em meu pé, derramaram cerveja em minha roupa, e não pude ver o meu ídolo, pois estavam todos com as mãozinhas para cima segurando seus celulares pra filmarem o cara.

Tudo uma questão de opinião, tem que respeitar quem faz boas críticas e quem faz críticas ruins. O que o pessoal precisa é de parar com essa coisa de dizer que quem falou mal é um invejoso, não tem caráter, tá com inveja ou coisa parecida. E porque quem gostou da festa não fez um elogio logo em seguida, pra não dar brecha a quem vai fazer uma critica ruim?

Doriva precisa de críticas boas e ruins, e pelo que o conheço ele não se importa com elas, com certeza essas críticas lhe darão condições de melhorar seus próximos projetos.

A verdade é que, quando tem uma festa na cidade, e se é boa mesmo, a gente não cansa de ver diversas lives, centenas de fotos na mesma hora, e a satisfação de quem foi entrar nas redes sociais depois e sem dizer onde estavam, comentarem: ‘ai, tô acabado’ ‘nossa quando será a próxima?’, ‘meu Deus, beijei muito’, ‘o ruim de tudo é o final’, ‘aí que dor de cabeça!’.

O negócio é o seguinte: essas festas de Valença estão sempre acontecendo aos domingos, com certeza porque um show desses se fosse num sábado o valor seria o triplo, o que provavelmente daria o triplo de gente também.

Ninguém vai sair de sua cidade, num domingo para ver um show desse e ter que voltar no mesmo dia, pois segunda-feira vão trabalhar. A maioria dos que vão ver esses shows, vão com a intenção de dormir no local, aí sim, seria bom pra o município, pois geraria divisas para a cidade, com hotéis, retaurantes e bares lotados e faturando.

“Eu quando vou a uma festa em Santo Antonio de Jesus, vejo mais de duas mil pessoas de Valença por lá, mas é difícil a gente ver dez pessoas de lá, aqui”, comentou uma pessoa que foi ao show. Justamente por isso, porque os shows de lá são sempre nos finais de semana, aí o povo vai mais despreocupado e volta no dia seguinte.

Mesmo assim, Doriva ainda continua de parabéns porque, se não fosse ele a gente estaria isolados do mundo, porque depende muito de jogo de cintura para conseguir esses “pés” de shows que ele traz pra nós.

Sem comentários.

Deixe uma resposta