COM MENOS DE UM MÊS DE INAUGURADA, POLICLÍNICA JÁ TEVE SEU PRIMEIRO CASO DE NEGLIGÊNCIA

Primeiro caso de negligência pode ser um alerta para melhorar

Hoje fui procurado por uma paciente da Policlínica, a senhora Patrícia de Jesus dos Santos, que nos trouxe uma denúncia sobre o seu atendimento de um exame de raio-x da coluna e lombar. Segundo a paciente: ‘antes de fazer o exame, ela teria sido orientada por um profissional de saúde que deveria estar em jejum desde as 19:00h do dia anterior, domingo (22), até o horário do exame no dia seguinte, que aconteceria por volta das 9:30h de segunda-feira (23)’.

A paciente disse que ficou quase 24 horas em jejum por conta da demora em ser atendida. A senhora Patrícia disse que chegou à Policlínica por volta das 8:00h e que deveria fazer o exame às 9:30h, o que não aconteceu, e só às 17:30h é que ela conseguiu fazer o exame. Depois de esperar por oito horas para ser atendida, a paciente só foi se alimentar  e beber água às 18:30h da segunda-feira.

Entramos em contato com  a Policlínica, um médico nos atendeu, doutor Roberto, que pediu as informações da paciente e prometeu nos retornar contando o que poderia ter acontecido. Alegando que a segunda-feira teria sido o primeiro dia desse exame de raio-x, doutor Roberto nos retornou dizendo que houve uma intercorrência, mas que fora oferecido aos pacientes que voltassem outro dia, para que não precisassem esperar tanto.

Voltamos a entrar em contato com a paciente, dessa vez informando sobre o que eles nos disseram, sobre asugestão que deram aos pacientes para que voltassem outro dia, e ela confirmou nos dizendo que houve realmente uma proposta de que os pacientes voltassem outro dia, “só que eles avisaram às 17:00h, ao passo que ninguém concordou, pois já tínhamos esperado até aquele momento, e não seria justo atrasar o exame por mais algum tempo por causa de meia hora (o exame foi feito às 17:30h), depois de esperar tanto”, esclareceu a paciente.

Não deixa de ser um caso de negligência, porém, podemos dar um desconto pelo fato da Policlínica estar funcionando há pouco tempo. É um momento de reflexão para que os profisionais possam ficar atentos a esses e outros casos que porventura venham a acontecer novamente.

JEJUM PROLOGANDO PODE GERAR UM QUADRO DE HIPOGLICEMIA

Consultamos a nutricionista Nara Fereira de Queiroz para saber dela o que pode acontecer às pessoas que ficam nessas situações de jejum, e ela nos respondeu que: “um jejum prologado gera um quadro de hipoglicemia, um dos sinais pode ser a redução da glicose no cerébro. Nesta situação pode ocorrer confusão mental, alterações do nível de consciência, perturbações visuais, cansaço, fraqueza, sensão de desmaio e convulsões”,

Colocamos a situação, acima, para a nutricionista, e ela disse que: ‘caso ocorra um atraso na programação de quaisquer exames, a clínica deve ficar atenta ao quadro clínico do paciente em espera e deve também ter mecanismos estratégicos para contornar possíveis intercorrências’.

Será que existe algum protocolo clínico para esses casos? Há alguma orientação de verificação de HGT (glicemia capilar) após determinado período de espera prolongada e será que tem também alguma possibilidade de prescrição médica para glicose endovenosa em casos emergenciais?

3 Respostas para COM MENOS DE UM MÊS DE INAUGURADA, POLICLÍNICA JÁ TEVE SEU PRIMEIRO CASO DE NEGLIGÊNCIA

  1. Reginaldo julho 24, 2018 às 7:45 pm #

    Isso é um crime tec de raiox e só um operador não tem atribuição para mandar paciente ficar em jejum provavelmente é um exame de contraste que tem que ter a supervisão de um médico e ele que orienta o paciente se foi um auxiliar ou um tec recomendo esse pessoa que foi vítima de absurdo procurar a delegacia

  2. Reginaldo julho 24, 2018 às 7:54 pm #

    Isso é um crime tec de raiox e só um operador não tem atribuição para mandar paciente ficar em jejum nem outro profissional qualquer provavelmente é um exame de contraste que tem que ter a supervisão de um médico e ele que orienta o paciente se foi um auxiliar ou um tec ou outro profissional recomendo essa pessoa que foi vítima desse absurdo procurar a delegacia para que amanha nao seja outra pessoa que venha a passar por esse abuso descaso com o ser humano a saúde em nossa cidade e caso de polícia justiça

  3. valenciano julho 27, 2018 às 6:53 pm #

    Enquanto os profissionais da rede público de serviços em geral for escolhido a partir do quadro de puxa-sacos que os governantes têm aos seus pés se humilhando por emprego, essa situação nunca vai acabar. É o famoso indicado pelo QI, ou seja. Quem Indicou para o cargo…

Deixe uma resposta