OPINIÃO: “Não é coincidência que concomitantemente a lava jato o Brasil tenha sucumbido as pressões externas sobre o pré-sal”

Por Maurício sena

Uma característica da democracia dos EUA é a imposição por parte das suas instituições e organizações sociais que, após algumas décadas, sejam revelados os áudios e documentos sobre a atuação dos seus governos, inclusive no que diz respeito a interferência sobre a soberania e autodeterminação de outras nações. Muito do que se sabe sobre os bastidores do Golpe de 64 é proveniente dessas revelações. Não se conhece o nível das informações que são tornadas públicas e as que ainda são mantidas em sigilo, mas, certamente, são suficientes para tornar inquestionável a intervenção estadunidense no destino do povo brasileiro. Insisto no tema porque até bem pouco tempo essa interferência era apenas mais uma teoria da conspiração fruto de mentes paranoicas.

Novas informações vieram a público, memorando de ex-diretor da CIA ajuda a contar mais um capítulo da nossa trajetória. Documento desmente a versão que sempre foi reservada à Geisel que o elevava ao status de General que, junto com Golbery, desarticulou o regime que ele próprio ajudou a criar a partir de uma conspiração tramada ainda na era Vargas. Elio Gaspari vai ter que reescrever a sua Obra. Ordens de execuções sumárias de militantes políticos tornam Geisel tão sanguinário e criminoso quanto Médici e Costa e Silva. Nunca existiu “linha mole” na caserna que governou o Brasil por 21 anos!

O tempo além de ser um grande remédio é também esclarecedor. As formas de intervenção se sofisticaram e os interesses geopolíticos se tornaram cada vez mais privatizados, o que não quer dizer que os sucessivos governos norte americanos deixaram de intervir deliberadamente no cotidiano dos povos do mundo. Edward Snowden revelou um pouco de como ocorrem essas novas formas sofisticadas de intervenção. Bilhões de E-mails e interceptações telefônicas foram realizados pela NSA em todo planeta, inclusive e especialmente no Brasil. Do mais simples cidadão ao presidente da república, ninguém está completamente seguro quanto a violação da sua atuação e intimidade. Todas essas informações são filtradas, selecionadas e utilizadas de acordo com interesses específicos. É uma estrutura gigantesca!

A lava jato é um desses novos instrumentos. Tenho absoluta convicção, e aqui ela me é permitida, de que o núcleo principal que gestou essa operação é movido pela vontade voraz de se apropriar das riquezas brasileiras até o limite da inanição do nosso povo, assim como uma hiena consome uma carcaça mastigando até o último osso. Não é coincidência que concomitantemente a lava jato o Brasil tenha sucumbido as pressões externas sobre o pré-sal, perdido a Embraer, perdido a capacidade de realizar investimento público pelos próximos 20 anos, está a caminho de perder a Eletrobrás e o controle estratégico da geração de energia e a próxima pauta serão nossos aquíferos.

Obviamente que nada disso seria possível se os interesses geopolíticos expropriatórios não tivessem ao seu lado uma parte da classe política e da burguesia nacional, e principalmente instituições dominadas por um sentimento patrimonialista e antinacional. A forma combinada como tem sido a atuação dos membros da lava jato, que deveriam ter funções específicas, tem se mostrado cada vez mais evidente. Juízes, procuradores do ministério público e advogados responsáveis por negociações de delações milionárias não conseguem mais esconder as profundas relações que sempre possuíram. É um clube que pensa que o Brasil, ou melhor, o que restará dele, estará sempre a serviço de uma casta privilegiada, “meritocrática” e estúpida. O povo brasileiro precisa refletir sobre isso, um dia a verdade vem a tona!

8 Respostas para OPINIÃO: “Não é coincidência que concomitantemente a lava jato o Brasil tenha sucumbido as pressões externas sobre o pré-sal”

  1. Francisco Maio 11, 2018 às 3:25 pm #

    Cada dia que passa a loucura desse povo aumentando…

    A ditadura ja acabou há mais de 30 anos..

    Esse discurso embolorado, velho não engana mais a ninguém. Estamos em outro tempo, em um tempo em que se descortinou a mascara de muita gente de diversas raizes e opiniões.

    De 1985 pra ca, várias tendências tiveram o poder na mão e entre poucos e timidos avancos, o que fizeram de bem foi arrombar com o povo e se locupletar a custa pela saga infinita do poder.

    É chegado o tempo doa homens e das mulheres de bem tornarem-se PROTAGONISTAS DA POLITICA, assim sairemos do julgo pesado de sermos governados por ladrões e ficaremos livre dessa cantilena do sujo falando do esfarrapado…

    Na política o fim deve se revestir em ações voltadas para O QUE É O CERTO para o povo, para a SOCIEDADE, única finalidade de um Governo democrático e justo. Chega de Demagogia! Justiça pra todos!

  2. Vitorio Maio 12, 2018 às 12:54 am #

    Veja só, um burguês de classe média, metido a intelectual e defensor do povo, dos pobres e dos oprimidos…pergunte a ele onde mora? onde trabalha? Locais que frequenta?…esse chilique, esse faniquito todo só porque a Operação Lava Jato trancafiou em Curitiba o chefão da quadrilha!!!…os caras são tão aloprados que o articulista aqui tenta montar uma o relação entre o regime militar e a Lava Jato…cachaça da porra!!!…lembre então de falar dos assaltos à bancos, dos sequestros e dos assassinatos de militares promovidos pelos companheiros da chamada “guerrilha urbana”, da qual a topeira impichada Dilma foi aluna-integrante, inspirados no “Minimanual do Guerrilheiro Urbano formulada pelo assassino Carlos Marighella!!!

  3. Ricardo Hage Maio 12, 2018 às 7:56 pm #

    Excelente Maurício, ler o texto me traz dois sentimentos:
    1 que tenho amigos bem próximo com uma grandeza de lucidez política que me honra.
    2 o texto é de alto nível.

    Sds,
    Ricardo Hage

  4. pelegrini Maio 12, 2018 às 9:47 pm #

    Aqui absorvo grandes conhecimentos, não poderia deixar de responder ao senhor acima, depois de ver uma grande reflexão de Maurício ser constestada. Sei lá de quem se trata, mas merece uma resposta, mesmo que depois faça cara de nojo, comom todos eles fazem, o importante é saber que pra tudo, nesse país, existe resposta, e à altura.

    Desconhecer a importância de um povo revisitar a sua história é ignorância ou má fé. Nações civilizadas constroem o seu futuro reconhecendo seu passado, coisa que o estado brasileiro ainda não fez. Enquanto a legislação Brasileira protege a memória de seus ditadores e torturadores, a Alemanha já reconheceu a herança horrorosa que o nazismo deixou, até para que não se repita. O efeito colateral dessa proteção é que permite o surgimento de figuras patéticas como a de Bolsonaro, um adestrador de idiotas.
    São os fatos que sustentam a reflexão proposta no texto. Ao invés de rotular o diferente como louco que se neguem os fatos. Quem se beneficiou com o fim do regime de partilha do pré-sal? Quais interesses se satisfazem com as vendas da Embraer e da Eletrobras? Como se tornar uma nação forte e soberana sem poder fazer investimento público?
    Tudo que está acontecendo exige o mínimo de esforço intelectual para seu entendimento. Para mentes preguiçosas o pensamento autônomo pode até parecer um discurso embolorado. Os interesses que atravancam o Brasil continuam fresquinhos. Diante da “sanidade” colonizada que insiste na negação do passado como alicerce para construção do futuro, a “loucura” talvez possa ser uma virtude.

  5. Ricardo Hage Maio 12, 2018 às 11:02 pm #

    Pelegrini, faço de suas colocações as minhas.

    Sds,

    Ricardo Hage

  6. Vitorio Maio 13, 2018 às 1:30 am #

    Francisco, meu amigo, não é cachaça como eu disse, é hospício, rsrs!!!

  7. Mário Maio 14, 2018 às 3:10 pm #

    Ser contra a lava jato é ser a favor do crime, depois caso venha ser roubado ou assaltado não procure a polícia mas sim procure os bandidos que defendem vcs.

  8. jose tavares Maio 15, 2018 às 7:06 am #

    bolsonaro adestrador de idiotas
    lula encantador de burros

Deixe uma resposta