ENTENDEM DE POLÍTICA, DIZEM QUE “BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO”, MAS SÓ OS BANDIDOS DOS OUTROS

Pela primeira vez em minha vida, nesses mais de quarenta anos tentando entender, e envolvido indiretamente na vida política como estou, vejo o brasileiro se envolvendo mais com essa ciência, porém de forma equivocada.

Lembro que quando comecei, aos 14 anos, a participar do mundo da política, era uma coisa muito perigosa, estávamos em pleno regime militar, o presidente era o general Médici. Pra vocês terem uma idéia: se a gente quisesse ouvir uma música de Vandré, era preciso que alguém ficasse na porta de casa para observar se não estava vindo alguém, e depois pudesse nos flagrar ouvindo algumas canções consideradas subversivas, à época da ditadura.

Participei de movimentos estudantis, cheguei a ser membro de uma entidade estudantil em Itapetinga, Centro dos Estudantes de Itapetinga (CEITA), constava como Secretário de Patrimônio. Dentre muitas conquistas dessa entidade, conseguimos a Casa do Estudante em Salvador, onde estudantes pobres poderiam ir morar e estudar na capital. Mas éramos todos com vontade de ser politizados, fazíamos o possível para não decepcionar a quem nos orientava.

Tive o privilégio de votar no primeiro deputado estadual do PCB na Bahia, Luis Nova. Conheci muitos políticos da luta pela resistência à ditadura, assim como Haroldo Lima, também deputado, só que federal. Era uma época em que o Brasil vivia sob regime de repressão. Até que o abençoado do João Baptista de Oliveira Figueiredo, deu a anistia aos refugiados políticos.

Depois de mais de duas décadas, enfim, fomos buscar a tão sonhada democracia. Tivemos várias decepções, assim como: ver FHC, José Serra, Aloysio Nunes… e outros mais que eram refugiados políticos, abraçarem a causa que tanto lutaram para derrubar. Pior de todos é o Aloysio Nunes, que chegou a ser do PCB, partido que vivia na clandestinidade por ser proibido de existir, e no fim virou um dos piores fascistas da história do Brasil.

Mas não foi difícil dominar a todos eles. Lula virou presidente e transformou o país, depois que achávamos que iríamos defrutar dessa conquista (que era a democracia), vieram eles que tanto lutaram por essa conquista e destruiram nossos quase quinze anos de democracia no Brasil.

Hoje, quando vejo alguns jovens participarem da política, me dá até medo de debater com eles, a maioria são reacionários, demonstram que não leêm a história e passam a destilar ódio em redes sociais, como se a saída fosse ofender, difamar ou humilhar pessoas. Acreditam muitos que, a saída do país é acabar com a violência impondo violência. Se acostumaram a receber informações inverídicas, tipo as que nos colocam como pessoas indefesas e que nunca podemos nos defender, achando que a saída é revidar com a mesma arma.

Quantos não ficam violentos em redes, fazendo um debate de ódio, porém quando estão no mano a mano a conversa é outra, malmente encaram o interlocutor. Pra mim, não passam de covardes oportunistas. Então, como esses pretendentes a ter um porte de arma vão se comportar portando uma coisa dessas? Será que acredita ele que o bandido irá atacá-lo com uma faca ou canivete, para lhes dar oportunidade de sacar seu revólver e se defender? Será que pensam que o bandido dará as costas depois do assalto? Ou será que vão pensar que o bandido não irá atacá-lo por saber que ele porta uma arma?

Todos loucos e imbecís, do jeito que o mundo está, qual vai ser o bandido que vai gravar na testa que é um bandido? Hoje, até policiais que passaram pela academia, com grande experiência perdem para os bandidos, piorou os bostinhas que pensam que será resolvido o problema do país depois que os chamados “homens de bem” passarem a portar arma.

De uma coisa tenho certeza, Bolsonaro nunca será presidente do Brasil, e se por um acaso chegasse a essa proeza, ele nunca teria condições de aprovar uma lei dessas. Será que a sociedade iria cair numa desgraça dessas? Nunca!

Conheço um jovem que tem um tio presidiário e esse jovem diz que vai apoiar Bolsonaro, ele não sabe que eu sei que ele tem um tio no presídio e que cumpre pena por assalto a banco, perguntei a ele porque ele apoia o Bolsonaro, e ele respondeu: “porque ele vai acabar com a violência”, quis saber como ele acha que acabará a violência e de pronto ele respondeu: “bandido bom é bandido morto”, disse a ele: que tal começar matando os bandidos do presídio? Ele retrucou: “ah não, tem muita gente lá que não merece morrer assim”.

Quando o país revelar que nenhum de nós pode atirar aquela pedra que Jota Cristo pediu que atirassem naquela senhora, talvez eles mudem de opinião. Mas dizem que, quanto mais lobo, mais pele de cordeiro aparece…

9 Respostas para ENTENDEM DE POLÍTICA, DIZEM QUE “BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO”, MAS SÓ OS BANDIDOS DOS OUTROS

  1. Salomão Março 17, 2018 às 3:02 pm #

    Acho muito bonito a defesa dos direitos humanos ,da vida humana,etc.É um dever de todo ser humano defender o direito dos seus semelhantes.É a maxima de cristo:Façais com os outros o que querem que façam convosco.E ponto final.
    O oposto da beleza que me referi acima é a apropriação oportunista que se faz com a bandeira dos direitos humanos.É asqueroso defender que bandido bom é bandido morto.Pior ainda é ter que aturar “intelectuais” defendendo a liberdade,etc,ao tempo que moram em condominios fechados,usam seguranças particulares,e todo aparato privado de segurança disponivel.
    Outra coisa é a capacidade que os “intelectuais ” tem em transformar tudo em politica.Morre-se um travesti envolvido em trafico de drogas e isso e assassinato homofobico.Morre-se uma mulher e é feminicidio.Morre algum criminoso numa favela e isso transforma-se em “execução contra a comunidade negra e pobre”.
    Seria muito engraçado se nao fosse tragico,´´e o fato dos ditos intelectuais não apresentarem propostas concretas para a violencia,culpa do asqueroso oportunismo politico,

  2. Salomão Março 17, 2018 às 3:11 pm #

    Pelegrini,vc é contra(eu tambem sou) a maxima “bandido bom é bandido morto”;pois ali(no bandido existe uma vida humana);vc é a favor ou contra o aborto(a vida intrauterina é uma vida humana).
    Vc é a favor de mais interferencia do estado na vida do cidadão;o estado pode interferir na autonomia de alguem ter uma arma ou de alguem querer ou nao usar drogas…
    A lei deve tratar os iguais de forma igual e os desiguais de forma desigual.Em termo de lei penal,é justo tratar com a mesma lei um bandido de alta periculosidade(incluam-se os de paleto) e o camarada que rouba para matar a fome.Um alto traficante pode receber o mesmo tratamento legal de um motorista que culposamente matou alguem.

  3. Salomão Março 17, 2018 às 3:12 pm #

    Hoje tenho trinta e oito anos e cada dia mais pessimista em relação ao ser humano….

  4. pelegrini Março 17, 2018 às 3:44 pm #

    Infelizmente aqui no Brasil o crime é seguir carreira, todo mundo tem um bandido próximo, geralmente são aqueles que não gostam de trabalhar, e mas adoram vida boa. Com ceerteza devemos tratar os bandidos de maneiras diferentes, os mais perversos terão penas mais severas.

  5. salomao Março 17, 2018 às 8:38 pm #

    Pois eh,muito sensato sua opniao
    “Geralmente sao aqueles que nao gostam de trabalhar ,mas adoram a vida boa”.SIntetiza bastante a situação atual.Muitos querem tenis nike,relogio rolex,etc.,e nenhum governo,por mais justo que seja pode prover isso a seus cidadãos ,Repito :nenhum.Ai o que sobra para aqueles que não querem trabalhar para ter (pergunta).
    Sei que ha exceções .Por exemplo,a historia de como nem da rocinha entrou na criminalidade é muito comovente(uma parada envolvendo sua filha).São exceções.
    O Brasil dos tempos de lula e dilma conseguiu diminuir bastante as desigualdades sociais,no entanto,não houve uma diminuição proporcional na violencia.Prova que “o buraco é mais embaixo” ,e apenas as desigualdades não a explicam.

  6. Vitorio Leao Março 17, 2018 às 10:54 pm #

    Quanta baboseira…agora uma coisa ficou marcada nesse texto de conteúdo bem fraquinho, o blogueiro acaba de afirmar, já não era novidade para ninguém, que ele e os “companheiros” militantes da esquerda passam por uma espécie de lavagem cerebral quando disse “(…) Mas éramos todos com vontade de ser politizados, fazíamos o possível para não decepcionar a quem nos orientava. (…)”.

  7. Edson F. Março 19, 2018 às 3:03 pm #

    “Tive o privilégio de votar no primeiro deputado estadual do PCB na Bahia, Luis Nova. Conheci muitos políticos da luta pela resistência à ditadura, assim como Haroldo Lima, também deputado, só que federal. Era uma época em que o Brasil vivia sob regime de repressão. Até que o abençoado do João Baptista de Oliveira Figueiredo, deu a anistia aos refugiados políticos.”

    José Pedral Sampaio. Lembra dele? Ex prefeito de Vit da Conquista que foi cassado pelo golpe.

    E o ex-prefeito de Feira de Santana Chico Pinto? Cassado também logo após o golpe.

    Pelegrini, e Valença e o golpe? Sabe se teve algum ato aí? Não lembro na história do município ter alguma coisa nesse período de 64 a 79 (anistia).

  8. plinio.cardoso filho Março 19, 2018 às 4:52 pm #

    Pele: Isso foi em uma era quando estava sendo governada por uma ordem Ética totalmente diferente das que estamos hoje vivenciando pois se não fosse assim jamais o Figueredo presidente na época deixaria acontecer o que com o decorrer dos tempos vem acontecendo; e quanto ao governo do seu partido o pessoal que comandou não estavam no momento atentos para as mudanças do século e acabaram caindo em tentações pois se os mesmos fossem capaz pra tal cargo que receberam no momento agora não estariam passando o vexames que os mesmos estão passando de presidente aos demais tudo farinha do mesmo saco particularmente eu queria que o pessoal do verdadeiro P.T. estivessem no governo e agora nesse momento que te escrevo eu já com a minha cabeça tranquila para as eleições próximas e não estar vivendo esse furdúncio causado por incompetência de um partido que vendeu gatos por lebres me desculpe mas é isto ai.

  9. Salomão Março 20, 2018 às 5:24 pm #

    Plinio ,os tempos eram outros.As pessoas eram outras.Vc,pessoa que viveu naquela ,ha menos que seja uma mumia falante,é uma outra pessoa….
    Querer considerar os quadros ,passado e presente ,de forma estanque é uma visão reducioinista e carece de suporte racional e lógico.
    O que realmente o Figueredo não deixaria acontecer(pergunta).A violencia(não esqueça que o Brasil anterior ao regime militar não era um pais violento.O nascimento do CV ,e outros fatos se dão no periodo militar),a corrupção(os quadros de ministros ,etc,era formado por civis,estando os militares apenas no comando.Portanto ,não da pra dizer que os militares não eram corruptos,mas que a corrupção nao era tao exarcebada na epoca.Tambem ,não se havia mecanismos efetivos de controle).Responde ai o que
    Figueredo não deixaria acontecer.
    Plinio não sei se vc é militar e se for,pensa um pouco fora da casinha e não pensa em causa propria.`´E so um “toque “.

Deixe uma resposta