Território quilombola em Maragogipe tem relatório técnico publicado

As 40 famílias do Território Quilombola Buri, localizado no município de Maragogipe, no Recôncavo baiano, têm muito a comemorar, pois, na terça-feira (7), foi publicado no Diário Oficial da União, o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID) da comunidade.

O relatório, produzido por técnicos da Superintendência Regional do Incra na Bahia, é o primeiro passo para a titulação coletiva das famílias remanescentes de quilombo do Buri. Com isso, os moradores do território de 377,5 hectares poderão ser contemplados com políticas públicas como eletrificação, saneamento básico e sistema de abastecimento de água, entre outras.

A antropóloga do Serviço de Regularização de Territórios Quilombola do Incra/BA, Elisa Cunha, conta que as famílias vivem numa situação precária e a regularização fundiária permitirá que elas tenham acesso a políticas que garantam autonomia. “Com isso, poderão dar continuidade com mais segurança às atividades de pesca, mariscagem e agricultura”, frisa.

Uma das líderes do Buri, a matriarca Zelzira Ferreira Lima, 70 anos, conhecida como “Dona Nini”, destaca, com alegria, que as famílias vão ficar muito contentes com a notícia. “Todos estavam perguntando sobre o documento e agora chega essa notícia. Precisamos muito de apoio. Confiamos em Deus e no Incra”, completa emocionada.

3 Respostas para Território quilombola em Maragogipe tem relatório técnico publicado

  1. BOLSONARO2018 novembro 8, 2017 às 12:35 pm #

    E eu me matando com três empregos, mal parando em casa para ficar com mulher e filhos para quitar meu terreninho… Aí o governo PT/PMDB (que já voltaram a fazer aliança) compra com nosso dinheiro NOVE hectares e dá de graça para alguém cujo um parente há duzentos anos atrás morava ali…. Brasileiro só quer levar vantagem em cima dos outros… E tem otário que aplaude…

  2. Leitor novembro 8, 2017 às 4:47 pm #

    O prefeito bicho preguiça e talarico pegador tá cada vez mais lascado, agora até a rádio já rompeu o contrato com a prefeitura, a partir de agora o rádio vai picar o pau nessa gestão fuleira, em que até ambulante manda, menos o prefeito. Ô prefeitinho fraco, fudido e lascado Valença tem, só tem ladrao naquela zorra, bando de preguiçoso, talaricos, ladões e aproveitadores.

  3. joao bem ti vi novembro 8, 2017 às 10:41 pm #

    O PT ao longo de sua existência foi criando alguns pelotões pra terem ao seu lado e consequentemente manter sobre seu controle os voto. Criou inicialmente uma aberração chamada MST. Esse Movimento não faz outra coisa a não ser inchar de tamanho e politicas de interesse do PT com dinheiro do contribuinte, inclusive. Formou mais de quinze mil sindicatos , pais a fora. Todos esses sindicatos não precisa nem dizer a quem serve. Agora a coqueluche do momento são esses quilombolas. Onde se vai hoje em dia existe um pseudo quilombo. Depois que o Lula criou aquele decreto inconstitucional da auto definiçao, ate a familia imperial de Orleans e Bragança pode ser considerada quilombola. E só se definir, ir a Fundação Palmares, onde certamente um ativista do movimento negro o espera e dai seguir com o certificado para incra. No incra encontra uma equipe de Antropólogos que quase na totalidade são defensores da causa. Dessa forma vai-se proliferando os quilombos.
    Na época da constituição de 88 quando se teve preocupação com politicas de estado para os remanescente de escravos (quilombolas) tinha em todo o pais cerca de 55 quilombos, pois bem, depois do decreto de auto definição criado de araque formou-se por todo pais cerca de 6500 certificações. As propriedade particulares que estiverem a frente desses interesses meus sentimentos.
    Aqui na regiao dois pseudos quilombo chamam atenção um esta situado no porto da batateira e o outro na Graciosa. Todos dois frutos da fantasia irresponsável de ONGS e lideranças politicas usadas para controlar os votos da população

Deixe uma resposta