RUI DÁ EXEMPLO DE REPUBLICANISMO E BOTA GRAMPINHO NO LUGAR DELE

Bahia. Ba – Sem citar nomes, o governador Rui Costa (PT) alfinetou o prefeito ACM Neto (DEM) – seu possível adversário na eleição de 2018 – e o presidente Michel Temer (PMDB), acusados de articular boicotes a investimentos federais na Bahia. Ambos negam a perseguição (ver aqui e aqui).

Recentemente, aliados do Palácio de Ondina apontaram bloqueio de um empréstimo de R$ 600 milhões do Banco do Brasil e o cancelamento de um convênio para a Cultura sem justificativa.

Ao argumentar que não adota a mesma postura, o petista citou um investimento de R$ 250 milhões anunciado esta semana em Jacobina, município do centro-norte do estado administrado por Luciano Pinheiro (DEM).

“Eu não replicarei as perseguições políticas que o Estado da Bahia está recebendo. Ontem, eu estava em Jacobina, e percebi o prefeito do DEM todo receoso de como seria tratado. Eu botei ele no meu carro e ele acompanhou todos os eventos, falou em todos os eventos”, exemplificou, nesta sexta-feira (22), durante a cerimônia de posse da nova secretária estadual de Desenvolvimento Urbano, Jusmari Oliveira, no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador.

No caso específico do financiamento, o governador anunciou ter movido uma ação contra o BB por descumprimento de contrato.

Rui também apostou em uma resposta da população nas urnas. “Podem estar fazendo isso com a Bahia, perseguindo os baianos, replicando um modelo velho, arcaico, que ninguém imaginava mais se repetir no Brasil, de maltratar o povo, para tentar ter vantagens eleitorais, mas quem acha que esse modelo ainda vai prevalecer em pleno século 21, eu tenho a convicção que o povo vai dar uma duríssima resposta no ano que vem, mostrando que não aceita a mesquinharia e não aceita esse tratamento ao povo baiano”, declarou.

“Para aumentar a dor de cotovelo deles, nós vamos continuar investindo e eles vão continuar se perguntando aos quatro cantos ‘como é que eles estão conseguindo apesar de a gente se esforçar tanto para perseguir, para estrangular’? A resposta é simples: trabalhando, coisa que gente do lado de lá nunca fez na vida”, continuou o governador.

O chefe do Executivo estadual ainda fez uma menção à corrida eleitoral baiana no ano que vem e desafiou seus oponentes: “Para me acompanhar, vai precisar caminhar muito mais rápido do que esse povo está acostumado a caminhar e acordar muito mais cedo do que esse povo está acostumado a acordar”.

Sem comentários.

Deixe uma resposta