PARA QUE O MAL DE SANTA MARIA NÃO SE REPITA AQUI EM VALENÇA

image Depois desse incêndio na boate de Santa Maria no Rio Grande do Sul, fica o alerta para a prefeitura que quer obrigar as igrejas e casas noturnas que fazem barulho na cidade, a fazer revestimento acústico. É preciso precaução e cuidados a partir de agora, ambientes que são frequentados por muita gente precisam não só de revestimentos acústicos, mas também de portas de emergências, ficou provado isso em Santa Maria.

16 Respostas para PARA QUE O MAL DE SANTA MARIA NÃO SE REPITA AQUI EM VALENÇA

  1. Luana janeiro 29, 2013 às 4:27 pm #

    Pelegrini, gostaria de ver a marca e slogan da nova gestão Prefeitura e Valença mais de perto porque fizeram umas faixas pequenas que nem dá pra ver direito. Vi que se trata de uma campanha para pagamento do IPTU, mas ficou muito minúscula a parte que se refere a isso. Essa é a crítica. No mais, achei singela, clara, objetiva, que fala por si.

    Sai o quebra-cabeça azul e vermelho sem sentido, bem a cara do ex-gestor, que apesar de se encaixar não tinha nada a ver com nada e era fria, sem apelo nenhum e não me dizia nada de positivo. Entra a mão no coração ou coração na mão, que pra mim simbolizou sensibilidade, o cuidado, o sentimento e o zelo.

    Gostei na marca e dela pode se extrair muitas campanhas que incentivem a atitude cidadã, o cuidado com a cidade, a prevenção de doenças, o combate ao desperdício, etc. Já puxa várias idéias.

    “É hora de cuidar de Valença” encaixa com o momento atual, que é de expectativa e curiosidade pelo que estar por vir.

    A frase “Nossa Terra. Nosso Orgulho” remete ao resgate por essa relação com a nossa cidade que deve ser reconstruída, pois está abalada com tantos desgostos.

    Parabéns a quem criou. De muito bom gosto. Só ressaltaria mais as cores, que pra mim deveria ser mais fortes ou uma mistura com um tom mais intenso, para não ficar sem vigor.

    Luana Figueiredo – Publicitária

  2. Pr. Josafá Souza Costa janeiro 29, 2013 às 5:22 pm #

    A Igreja Batista Lírio dos Vales em seus dois templos tem porta principal e porta de emergência com amplo espaço pra evaquação e todos os anos eu tenho o cuidado de ir à Prefeitura buscar o alvará de funcionamento.
    Quanto ao tal revestimento acústico, foi exatamente esse a causa do fogo em Santa Maria-RS.

  3. Pr. Josafá Souza Costa janeiro 29, 2013 às 5:25 pm #

    Faltou dizer que também temos em nossa Igreja, nos dois templos os Extintores de incêndio classe A, B, C., contra todo tipo de indêncio, fixado em lugar visível e de faço acesso, próximo ao púlpito, local da ministração, também com rampa de acesso aos portadores de necessidades especiais PNE.

  4. Valenciano janeiro 29, 2013 às 8:50 pm #

    Esse pastor Josafá é um brincalhão… Claro que ele e todos os brasileiros já ouviram falar em isolamento acústico que não propaga chamas. Mas tenta manipular a opinião pública como se todos nós fossemos analfabetos…

  5. Valenciano janeiro 29, 2013 às 8:55 pm #

    Pastor cuidado com as palavras quando diz que as portas da Igreja Lírio dos Vales são bem amplas. Sempre ouvi, de evangélicos, comentários bem desagradáveis a respeito de locais com portas amplas. O senhor bem deve saver…

  6. Chicó janeiro 29, 2013 às 10:37 pm #

    Boa noite!

    Achei interessante a ánalise da publicitária(eis ASCOM de um orgão publico), ao que mim parece ela ta querendo uma boquinha na prefeitura de Valença(perdeu o cargo), cuidado prefeita ela fez campanha para o candidato do TIO(aquele que deixou um rombo nos cofres da prefeitura).

  7. Mary janeiro 29, 2013 às 10:51 pm #

    É verdede, Valenciano.
    Agora se valer de um acidente ( o da Kiss) pra justificar não querer fazer o isolamento acústico para beneficiar os frequentadores das igrejas e também o vizinhos dela, essa é demais…

  8. Chicó janeiro 29, 2013 às 11:03 pm #

    Tenho acompanhado os comentários do PASTOR e vou emitir minha opinião!

    Primeiro pastor os itens que Sr. cita ter em seus templos, nada mais é que obrigação de espaços que reunem pessoas, não é uma bondade do lider de sua igreja(que não sei quem é, e nem mim interessa).

    Quanto aos comentários da postagem anterior a respeito da tal lei, achei meio sem nexo, pois alguem indicou que deveria controlar o barulho dos tiros(absurdo, como se alguém conseguisse prever quando e onde vai acontecer), outros mandando controlar o som de carro(como se os carros fossem fixo e possivél de ser localizado).
    Não conheço o teor da tal proposta de lei na íntegra, mas sei que a mesma propõe que os espaços fixos que faz barulho em excesso deve fazer tratamento acustíco, afim de propocionar aos vizinho destes circo dos horrores mais conforto em suas residências. agora fica a pergunta QUE MAL HÁ NISSO? Se algumas igrejas sente-se incomodadas com isso é uma declaração clara que fazem barulho e pertubam o silencios de alguns.Todos tem direito de praticar sua fé independente da religião e aindo acredito que a religião tem um papel fundamental na formação do indivíduo e para a sociedade, agora este papel tem que ter regras, vejo algumas igrejas fazer seus cultos sem esta barulheira(Testmunha de Jéova, Espiritas, Congregaçã o Cristã e mais algumas que agora não mim recordo)nempor isso estes religiosos estão mais longe ou perto de deus.
    Agora devemos levar em consideração que esta lei regulamenta todos os espaços (bar. restaurante, igrejas, casa de show e etc) e não as igrejas.

    Acho toda esta discurção coisa de quem só pensa em si ou nos seus interesses, sem considerar o quanto o outro sofre.
    A para as igrejas que sente prejudicada solicitem ajuda de uma igreja que funciona no caminho do meio(acho que é Assembleia de Deus), ele deixaram o templo deles adequado para os cultos com ar e acho que tratamento acustico!

  9. Pr. Josafá Souza Costa janeiro 29, 2013 às 11:20 pm #

    Caro Valenciano, suas palavras não condizem com a verdade dos fatos que esbocei, você está blefando.
    Quem afirmou que o isolamento acústico da tragédia era do que propaga chamas foram os notíciários, fato inconteste pela tragédia ocasionada.
    Quanto às portas abertas, ai sim, você distorceu o que eu falei.
    Mas pelo jeito você é um que se desgarrou por estas ditas portas; volta enquanto há tempo.
    Outra coisa, pare se ficar batendo nos outros escondido atrás de codinome. Mostra sua cara como eu faço!

  10. Pr. Josafá Souza Costa janeiro 29, 2013 às 11:23 pm #

    Nossas reivindicações foram tão justas e embasadas na lei maior, que a Prefeita Jucélia retirou o projeto de lei que causou o barulho.
    Agora comentem o que vocês quiserem.

  11. DIABINHA janeiro 30, 2013 às 8:46 am #

    SE ELA TAMBÉM FAZ PARTE DE BARULHO.FALO LOGO.POR ISSO QUE ELA EXTINGUIU,ESSA LEI ,QUE A IGREJA DELA IA TER QUE FICAR CALADINHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!

  12. Luana janeiro 30, 2013 às 9:40 am #

    Olha, eu não quero nem preciso (Graças a Deus) de boquinha nenhuma, não sou desse tipo, até porque o meu partido orientou que o governo municipal atual não faz parte da base aliada (o PTN é oposição ao Governo Wagner) e o PT não faz parte da gestão de Jucélia, então estamos observando e analisado, somos olhos críticos da população e como tal estaremos em todos os debates.

    Não vamos atrapalhar, pelo contrário, ajudar no que está em nosso alcance nos espaços de poder que ocupamos. Elogiar e criticar na medidade certa de nosso posicionamento de quem está fora da gestão, mas torce por Valença. Apesar de minha postura clara como militante e dirigente do PT, distante da administração atual, Jucélia é a prefeita de minha cidade, dela depende muita coisa que afeta diretamente a minha vida e eu tenho tudo a ver com Valença. Me meto onde não sou chamada porque gosto de pensar na boa expectativa que está no ar. Sou adepta do otimismo perseverante.

    Não sei se você entende esse tipo de desprendimento. Deve ser difícil de compreender mesmo.

    Quanto a minha situação profissional, não se preocupe, continuo onde sempre estive desde 2008. Continuo ASCOM e coordenadora da DIREC-05 / Valença.

    Sabe, quando a gente faz um comentário, assina com o próprio nome e não ofende ninguém, não deveria incomodar as pessoas, mas parece que tem gente que se incomoda apenas com a existências de outras. Fazer o que né?

  13. Pr. Josafá Souza Costa janeiro 30, 2013 às 2:28 pm #

    Caro amigo comentarista CHICÓ; é muito fácil um órgão de governo seja qual instancia for, se apropriar da autoridade pra baixar leis autoritárias sem discutir com a sociedade. Se você realmente leu os meus comentários, viu que em todos os momentos eu e o seguimento evangélico questionamos o direito de culto, fato que seria abruptamente interrompido (aqui em Valença, porque nós iriamos às instâncias superiores denunciar o abuso de poder dos infratores).
    As informações que prestei, foram para que saibam todos que não estamos fora das normas desse municipio quanto ao funcionamento de nossas igrejas, não apenas para esnobar nossas ações (fato que vocês interpretam tudo errado).
    Quanto à questão da lei que impõe severas restrições e adequações, saiba que quem impõe gastos na vida alheia, deve pagar a conta. Se você quiser pagar, aceitaremos de bom grado amigo! Nós não somos e nem estamos fora da lei, tanto é que essa lei não existe ainda, é apenas um projeto de lei tentando nos impor o que não tem fundamento.

  14. ROBSON janeiro 30, 2013 às 8:31 pm #

    Será que nesse comentario acima o nobre pastor está admitindo que seu culto perturba a paz e tranquilidade alheia? pois de forma alguma esta lei impediria os cultos, é só fazer o culto nos limites permitidos em Lei e não perturbar a paz alheia

    o seu direito termina quando começa os dos outros caro pastor então não insista em querer impor sua religião aos outros.

  15. ju janeiro 31, 2013 às 10:37 am #

    Esse pastor é uma figura. Ele e suas ovelhas tem o direito de culto, e eu da minha parte tenho a obrigação de suportar esse direito ao qual não corresponde nenhum dever. É evidente que não, a lei não diz isso. Não existem direitos absolutos, nem o direito a vida é absoluto na Constituição.
    O direito de culto é garantido pela Carta Magna, contudo está atrelado a outras normas que podem e devem ser cumpridas. Eu tenho liberdade de expressão pastor, então posso fazer uma música e tocar na porta da sua casa a noite toda porque a Constituição me garante? É evidente que não.
    É lamentável que mais uma vez pelegrine distorça as coisas, o que aconteceu em Sta. Maria não tem nada a ver com as igrejas de valença, até pq ao que consta ainda não começaram a tocar fogos dentro dessas, embora os cultos estejam cada vez mais pirotécnicos em todos os aspectos.
    Só mais uma coisa pastor, essa história de vereadores e prefeita ficarem discutindo projetos de lei com alguns segmentos – e não com a sociedade em geral, a favor do controle – é uma praxe eleitoreira, não é uma obrigação legal. No momento em que o Sr. escolhe sua prefeita e seu vereador, estes passam a ser as pessoas legitimamente eleitas para a função de representar-lhe no legislativo e executivo, presume-se que o Sr. leu e acatou os projetos e propostas destes durante a campanha, não havendo portanto agora não há do que reclamar. Se não leu ou não votou, mesmo assim deve se submeter a vontade da maioria.
    Sou a favor da liberdade de culto, mas sou de igual maneira favorável a liberdade de crença, e desta forma não acredito que as pessoas sejam obrigadas a comungar das crenças alheias, por isso me ponho a favor do controle de ruídos. As igrejas podem e devem funcionar, mas como todos os estabelecimentos devem adequar-se.
    As coisas acontecem no Brasil por isso pelegrine, pq as pessoas brigam para não cumprir a lei, e ainda encontram eco em alguns. Em Sta. Maria as normas foram descumpridas – e lá as pessoas tinham na constituição o direito ao trabalho e a livre iniciativa, mas existem outras regras que devem ser cumpridas para tal -, o resultado foi aquele. Duvido que exista uma única pessoa que more próxima a uma igreja, e aí não coloco só as evangélicas não, que não esteja a favor do controle sonoro.

  16. Pr. Josafá Souza Costa fevereiro 2, 2013 às 12:26 am #

    JU, não falei que não me submeto às regras, alías, já informei que estou dentro das regras. O que discutimos não foi a questão de adequação, e sim a forma ditatorial que nos foi imposta uma lei sei discuti-la.
    Eu sei que tenho direitos, agora imagina 22% desse seguimento? Será que não merecemos respeito? É porisso que o Brasil vai na contramão da história, porque o povo aceita o que lhes é imposto.
    A máxima de Max é que só existe dois tipos de gente no mundo, um que impõe e o outro que aceita as imposições.
    Deixo pra você refletir o pensamento filosófico famoso: PENSO, LOGO EXISTO!
    Passar bem JU.
    God Blesses You.

Deixe uma resposta