AS INDICAÇÕES E AS CARAS DOS VEREADORES

image

Toda semana o site da câmara publica as indicações realizadas pelos vereadores. E como é de praxe nosso blog lê, ri, e analisa. Vamos começar pelas indicações do vereador Gama, que pede ao poder executivo a construção de duas pontes de concreto armado e mais quatro sanitários públicos na feira-livre e de quebra a reforma da lavanderia comunitária do Jambeiro. Esse vereador passa o tempo todo elogiando o prefeito, diz que nem ele quando foi prefeito numa roça por ai, que foi tão bom quanto o prefeito Ramiro. As indicações que ele fez na câmara desde que começou o ano não foram atendidas nem uma. Anda dizendo que se o prefeito não fizer ou construir que ele faz. Coisa de analfabeto político!

O vereador Barreto pediu reposição de lâmpadas em alguns bairros, licitação do transporte coletivo Valença X Guaibim, pavimentação de uma avenida e conserto da BA 001.

O vereador Bertolino solicitou a operação tapa-buraco, limpeza de ruas, e recuperação de uma avenida, justamente a que liga a emissora de rádio Valença FM até a igreja Batista. Parece até que é pra gozar com nossa cara. Onde que o prefeito que não faz nada pra quem gosta vai fazer em benefício de um desafeto dele? Virou piada essa câmara.

O vereador Raimundo Costa fez um reforço na indicação do vereador Gama, pediu a reforma da lavanderia do Jambeiro.

A vereadora Diana só fez parabenizar. Sinal de que está satisfeita com os desmandos do prefeito.

Jorge Góes pediu calçamentos, atendimento médico para PFS, recuperação de escolas, iluminação de ruas e da orla. Aguarde sentado que o prefeito vai atender.

Já o vereador Jairo pediu recuperação de sanitários de PSF, iluminação para o Guaibim, que o CEGER volte a fazer fraldas descartáveis para pessoas carentes. Pediu a Santa Casa para se explicar sobre o fechamento da portaria, o que fez uma gestante entrar pelo pronto socorro para dar luz. Falou também sobre o cartel do gás de cozinha.

Reginaldo pediu a recuperação da fonte luminosa na Praça da República.

Como diz seu “Peru”: “Bobinhos.”

Comentários { 0 }

VEREADOR JAIRO DENUNCIA CARTEL DO GÁS DE COZINHA

image

O Vereador Jairo na sessão da câmara do dia 29 de setembro de 2009 denunciou um possível cartel do gás de cozinha aqui em Valença, dizendo que todas as revendedoras do produto têm o mesmo preço, R$37,00.

Eu quero reforçar a denuncia do vereador Jairo, e dizer que isso sempre existiu aqui em Valença, não só cartel do gás de cozinha, mas também da Gasolina, do Pão etc. E se formos apurar, terá outras coisas mais. Não é a toa que o prefeito Ramiro tem tanto medo quando as empresas de fora chegam aqui, tremem com a concorrência. Comerciantes que aprenderam a viver explorando o povo. Não têm criatividade, vivem em um mundinho, não saíram pra conhecer as coisas fora.

O povo paga caro pela estupidez de comerciantes medíocres, não conseguimos economizar porque os ladrões invisíveis estão soltos pela cidade toda. Agora nisso eles são muito bons, são uns espertalhões. Bandidos de luxo.

Comentários { 0 }

PASTORES ELEAQUIM E JOSAFÁ

image

Quem visitou nossa sorveteria essa semana, acompanhado do Pastor Josafá (Lírio do Vale) foi o Pastor Eleaquim Acioli. Esse pastor comandou o “Templo Calvário do Senhor” na cidade de Itapetinga, final dos anos 1970 e início dos anos 1980. Disse que está morando aqui em Valença.

Lembro-me ainda jovem, quando “ele” com os seus seguidores pregavam na Alameda Rui Barbosa no centro de Itapetinga. Muitas pessoas curiosas paravam para ouvi-lo. O Pastor tinha fama de recuperar jovens drogados para o trabalho do Senhor, o que era visto e confirmado por todos da cidade.

Hoje ao lado do Pastor Josafá, da Igreja “Lírio dos Vales”, que já foi seu discípulo. Promete fazer um grande trabalho espiritual na comunidade de Valença. Que sejam bem-vindos os servos de Deus!

Comentários { 11 }

RAMIRO DISSE QUE DESBANCOU JAIRO E BARRETO NA AUDIÊNCIA PÚBLICA

image

O prefeito Ramiro Campelo disse na garagem das lanchas (Marina Guanabara), domingo pela manhã, que havia desbancado os dois vereadores de oposição a ele na Audiência Pública. Falou que o vereador Barreto matou de uma só tacada, quando ele frisava sobre as contas superfaturadas da prefeitura: “Eu disse a ele que não tinha o direito de sair acusando ninguém, desde quando ele mesmo não olhava para os erros que cometia, lembrei das duas nomeações feitas por ele para duas parentas suas no DETRAN.Sem ao menos consultar ao presidente do seu partido.” Falou Ramiro.

Perguntaram como foi que desbancou ao vereador Jairo e ele respondeu: “Aquele nem mesmo por lá apareceu, ficou com medo.” Concluiu com gaiatice o prefeito.

Com a palavra os vereadores Jairo e Barreto.

Comentários { 9 }

SORRIR, TEM QUE TER MOTIVOS

entrevista do fogueteiro 006 Aumentou o salário dos assessorer de vereador.

fogueteiro de ramiro 001Tem uns foguetinhos pra soltar.

sorrindo 009  Só eu catando latinha.

sorrindo 002Minha mamãe!

sorrindo 005  Estou no blog do Pelegrini.

sorrindo 012Como sou querido!

sorrindo 015Agora sou articulador de Wagner.

sorrindo 016Tomando sorvete do Pelegrini, fico feliz.

sorrindo 020Meu primeiro picolé.sorrindo 022Sorvete bom é aqui.

sorrindo 021Pelé, pelé, pelé, pelé Pelegrini… Gingle de Ricardão para minha campanha… hehehehe

sorrindo 010Sou feio, tenho que rir.

sorrindo 013Tô lôra!

sorrindo 014Je t’ aime Valença!

sorrindo 019 Toca Castanhola Dona Ana!sorrindo 023Ala Jovem do PMD

sorrindo 024  Eu tava la no churrasco dos pintores.

sorrindo 018Eu já sou uma piada.

Comentários { 4 }

Pelo menos 17 milhões de eleitores já venderam voto, diz Datafolha

 

Redação CORREIO

Pesquisa Datafolha divulgada na edição deste domingo (4) do jornal “Folha de S. Paulo” revela que cerca de 17 milhões de eleitores admitem já ter trocado voto por emprego, dinheiro ou presente. A pesquisa ouviu 2.122 pessoas em 150 municípios. Ela indica que, entre os entrevistados que admitiram ter vendido seu voto, 10% o fizeram em troca de emprego ou favor, 6% em troca de dinheiro e 5% em troca de presente.

O estudo revela, ainda, que 12% dos entrevistados dizem estar dispostos a mudar seu voto por dinheiro, 79% acreditam que os brasileiros vendem voto e 33% concordam com a ideia de que não é possível fazer política sem um pouco de corrupção. Além disso, 92% dos entrevistados disseram acreditar que existe corrupção no Congresso Nacional e nos partidos políticos. Para 88%, há corrupção na Presidência da República e nos ministérios.

Propina
A pesquisa mostra ainda que 94% dos entrevistados consideram errado oferecer propina, e 94% concordam ser repreensível vender voto. No Brasil, 13% ouviram pedido de propina, e 36% destes pagaram; 5% ofereceram propina a funcionário público; 4% pagaram para serem atendidos antes em serviço público de saúde; 2% compraram carteira de motorista; 1%, diploma.

Entre os entrevistados, 83% admitiram ao menos uma prática ilegítima ao responder a pesquisa (7% reconheceram a prática de 11 ou mais ações ilegítimas, admissão considerada ‘pesada’; 28% dizem ter praticado de 5 a 10 ações; 49% tiveram uma conduta ‘leve’, com até quatro irregularidades).

Pirataria
A pesquisa mostra que 31% dos entrevistados colaram em provas ou concursos (49% entre os jovens); 27% receberam troco a mais e não devolveram; 26% admitiram passar o sinal vermelho; 14% assumiram parar carro em fila dupla. Dos entrevistados, 68% compraram produtos piratas; 30% compraram contrabando; 27% baixaram música da internet sem pagar; 18% compraram de cambistas; 15% baixaram filme da internet sem pagar.

Mais ricos
São os mais ricos e mais estudados os que têm as maiores taxas de infrações (97% dos que ganham mais de dez mínimos assumem ter cometido infrações e 93% daqueles que têm ensino superior também), sendo que 17% dos mais ricos assumem frequência pesada de irregularidades (11 ou mais atos). Entre os mais pobres, 76% assumem infrações; dos que têm só o ensino fundamental, 74% afirmam o mesmo. Apesar disso, 74% dizem que sempre respeitam as leis, mesmo se perderem oportunidades. E 56% afirmam que a maioria tentaria tirar proveito de si, caso tivesse chance.

Comentários { 1 }

PERDEMOS MERCEDES SOSA

 

image“Todo poeta é um profeta…”

Comentários { 2 }

Denúncias e intervenções levam Judiciário baiano a crise histórica

 

Pleno do TJ da Bahia tem sido marcado por críticas dos desembargadores à atuação do CNJ

Pleno do TJ da Bahia tem sido marcado por críticas dos desembargadores à atuação do CNJ

Poucos meses antes de completar 400 anos, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), o mais antigo das Américas, mergulhou numa crise. Na lista de problemas recentes que abatem a instituição estão o comércio de sentenças supostamente comandado por um desembargador afastado semana passada. Tudo isso recai sobre a instituição em período pré-eleitoral, que caminha para ser em clima disputado e não tão sereno como foi o último, que elegeu a atual presidente Silvia Zarif por unanimidade.

Desde agosto do ano passado, o TJ-Bahia virou alvo de escândalos de corrupção, além de intervenções administrativas e inspeções promovidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Silvia Zarif admitiu que existe crise na instituição, mas ressaltou que esse é um problema de todo o País. “O Judiciário brasileiro vive uma crise, mas ela é geral, não particular nossa. Talvez nossa pelos anos  de intervenção do administrativo”,  explicou a  magistrada. Para o juiz Ricardo Cunha Chimenti, corregedor do CNJ, a Justiça da Bahia vive um momento de depuração. “Este é um momento de grandes mudanças, de depuração e de um recomeço”, analisou.
O inferno astral começou em agosto do ano passado, quando o MP Estadual e a Secretaria da Segurança Pública do Estado deflagraram a Operação Janus. Promotores e policiais denunciaram um esquema de venda de sentença judicial, com a suspeita de participação de magistrados. Depois de absolvidas pelo TJ-BA, as juízas Janete Fadul de Oliveira e Maria de Fátima Carvalho foram afastadas pelo CNJ, um ano depois, por graves indícios  de participação na Janus.
Antes mesmo que os escândalos de venda de sentença da Janus saíssem das manchetes dos jornais, uma nova denúncia de comercialização de decisões judiciais explodia no TJ-BA. Em setembro de 2008, a desembargadora Silvia Zarif levou ao tribunal pleno, a mais alta corte do Estado, um CD que continha uma gravação,  supostamente do filho do desembargador Rubem Dário Peregrino Cunha, negociando uma sentença do pai por R$ 400 mil. Após um ano, completados no mês passado, o desembargador também acabou afastado do cargo pelo CNJ e processado administrativa e criminalmente.

Em outubro de 2008, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ingressou com uma ação no CNJ contra o chamado turnão do Judiciário, implantado pelo TJ-BA, que previa o funcionamento das varas apenas no período da tarde. Quando já se dava por certa a vitória da OAB no CNJ, o tribunal voltou atrás e assinou  um  acordo para as varas passarem a funcionar o dia inteiro.

Ainda em outubro, TJ-BA sofre outro golpe. Na ocasião, O CNJ realiza uma inspeção e o  relatório revela mazelas da  instituição, campeã de processos atrasados do País, com mais de 80 mil ações nas prateleiras, com excesso de prazos. Foram constatadas outras 42 irregularidades durante a inspeção.  O CNJ determina em outubro de 2008 a privatização dos cartórios extrajudiciais da Bahia, único tribunal do País em que as unidades cartoriais ainda eram estatizadas.
Tapetes persas – Fechando o ano de 2008, o CNJ suspendeu a licitação do TJ-BA para a compra de tapetes persas no valor de R$ 21 mil. O conselho considerou que o certame atingia o princípio da moralidade, já que os tapetes não eram objeto de primeira necessidade, enquanto faltavam até computadores para juízes.

O calvário da Justiça baiana continuou este ano, quando o TJ-BA comemora seus 400 anos de fundação. O Instituto Pedro Ribeiro de Administração do Judiciário (Ipraj), autarquia criada em 1984 para gerir o TJ-BA, foi extinto por determinação do CNJ, depois de ser considerado inconstitucional. A gota d’água para o fechamento do Ipraj, em agosto de 2009, foi a transferência de R$ 30 milhões de seu orçamento para a Secretaria da Fazenda, transação classificada como  ilegal.

Marcelo Brandão, do A TARDE

Fernando Vivas / Agência A TARDE

Comentários { 0 }