Archive | janeiro, 2011

3 TONELADAS DE REMÉDIOS VENCIDOS INCINERADOS NO BAIXO SUL

 CATA OVO Tem um vereador que está desconfiado de um certo prefeito do Baixo Sul, que já incinerou 4 toneladas de remédio há algum tempo atrás por estar vencido e recentemente incinerou mais 3 toneladas de uma só vez.

O vereador está desconfiado que esse prefeito, crápula, compra o remédio com data quase vencido para fazer esquema de roubo. O remédio com data quase vencido tem um preço mais em conta e com certeza o laboratório emite a nota com valor real e em seguida para justificar a canalhice o safado incinera o medicamento.

Quem acertar quem é esse prefeito vou dar um picolé, mas por favor não cite o nome do pilantra no blog para evitar processos. O vereador ainda não tem provas concretas, está em fase de investigação.  

Comentários { 3 }

O ELEFANTE BRANCO DE CAMAMU

caixa Li no blog Diário de um Comunista o comentário de um anônimo que pergunta ao nosso amigo, André Maron, porque eu não noticiei sobre a inauguração da agência da Caixa Econômica em Camamu no dia 27 de dezembro passado. Eis a íntegra do comentário:

Anônimo disse…

André,
Não entendi pq Pelegrini não colocou essa noticia no blog dele, será por que ele só de Cairu ? Mas garanto que se fosse alguma noticia bomba da adm da Prefeita Ioná Queiroz ele teria colocado.
Mas enfim estou muito feliz com essa mais nova conquista para cidade de Camamu.

Meu amigo Anônimo, não divulguei sobre a inauguração da agência da Caixa em Camamu porque não vi como um grande feito da administração. A agência da Caixa deve ter chegado a Camamu através da prefeita, que deve ter lutado para isso. Se fosse depender da instituição financeira jamais eles instalariam uma agência por ali porque o comércio de Camamu é fraco. A administração pública não tem uma política voltado para apoiar e valorizar o comércio local. Se a prefeita Ioná fortalecesse esse lado a agência da Caixa entraria por lá naturalmente, sem precisar ser solicitada.

Aqui em Valença vamos receber uma agência do Banco Itaú, isto são méritos do comércio forte que hoje temos por aqui. O prefeito Ramiro ou qualquer outro político jamais conseguiriam arrastar um banco privado para a cidade. As próprias instituições financeiras se encarregam de pesquisar e levar suas unidades onde lhes atraem.

Não precisamos de agências bancarias para fazer parte do cenário da cidade, com seus luminosos poderosos e lojas bonitas.

Exemplo disso é o Banco do Nordeste aqui em Valença (um “elefante branco”), que veio como uma a grande conquista. Está lá, paradão, emprestando 100 reais a um, 50 a outro. Precisamos de um banco forte que tenha recursos, mesmo que suas taxas de juros sejam altas, mas que invista no comércio pra crescer.

Por fim, meu caro Anônimo, vamos ver se aparece alguém por lá (na agência da Caixa) e consegue convencer o gerente daquela unidade a emprestar algum dinheiro para abrir um comércio ou qualquer outro empreendimento. Vamos contar os investimentos da Caixa em Camamu, você será o encarregado de nos informar. Fique tranquilo, não precisa dizer seu nome. Saiba que eu sou um fã dessa gente de Camamu, elogio sempre que posso esse povo. Já denominei vocês de, Grandes Guerreiros.

Feliz Ano Novo, Anônimo!     

Comentários { 8 }

MESMO ENFRENTANDO CONSTRANGIMENTOS O POVO AINDA VAI AO GUAIBIM

Fico impressionado como as pessoas valorizam tanto o Guaibim e não dão um retorno a altura a toda aquela gente. Fui ontem até lá só pra ver o movimento, realmente, não acho que aquele povo mereça tanto descaso. Para iniciar, tinha um engarrafamento que ia da última ponte até o cemitério. Quando as pessoas conseguem chegar até o seu destino não encontram estacionamento. Pessoas disputam ruas com veículos. Em alguns trechos onde não existem engarrafamento eles passam com uma velocidade um pouco acima do normal. Tinham muitos policiais no local, mas era impossível organizar ou conter algo com um movimento daqueles. 

Ouvi um trio elétrico tocando ali próximo do antigo gaivota, mas não tive como me aproximar do local. As atrações eram desconhecidas, se não me engano a banda que tocava naquele momento era “Caramba na Cara” um cover de Chiclete com Banana, daqui da cidade. Logo mais adiante, tinham muitos carros de som desses do som alto estourando os tímpanos e de gosto duvidoso. Mas as pessoas pareciam se divertir mesmo assim.

As barracas estavam lotadas, não tinham mais espaço para atender ninguém. O serviço não é dos melhores, contamos com meia dúzia de barracas boas, mesmo assim o povo consome. Se tinha banheiro público eu não vi, mas as portas dos banheiros das barracas eu vi cheias e federontas pois é impossível para seus proprietários mantê-las limpas.

Acredito que o Guaibim ontem tinha por volta de umas vinte a trinta mil pessoas só circulando nas ruas, fora as que estavam comemorando em casa sem ter coragem de enfrentar a multidão que também era muita gente.

Deus proteja aquele povo todo, porque se depender do poder público estamos ferrados, pois eu soube que nem posto de saúde funciona por lá.     

Comentários { 10 }