“O QUE VEM DE CIMA É DEUS QUE MANDA”

 

imageComeçou a chover aqui em Valença por volta das 08h00min horas da noite de domingo, e só parou às 04h00min horas da tarde de segunda-feira.

Um amigo me ligou às 09h00 da manhã de segunda-feira e disse: -“Pelegrini, aproveite a chuva e atualize o seu blog, hoje é dia de chuva, e aqui em casa nós não estamos fazendo nada por enquanto, estão todos na cama”. Respondi: Não posso, o meu computador está desligado.

-E daí? Ligue a máquina e solte a inspiração.

-Não posso, meu computador está desligado, e está no quarto.

-Ótimo, então vá para o quarto, ligue a máquina e solte a inspiração.

-Não posso, porque ele está embaixo da cama.

-Pelo amor de Deus, o que esse computador está fazendo embaixo da cama?

-Protegido da chuva.

-E por um acaso ele ficava ao ar livre?

-Descobri hoje que ele ficava ao ar livre.

-Como, Pelegrini?

-Quando começou a chover. Notei uma goteira perto dele, e afastei para próximo do quarto, e acabou embaixo da cama.

-Então sua casa está cheia de goteiras?

-Também não é bem assim, lá fora no quintal molha menos.

- Pelegrini, não fique pensando que o privilégio de ter água de chuva dentro de casa é só seu não. Adivinha porque estamos na cama agora?

-Porque você não tem goteiras.

-Isso! Graças a Deus, no verão mandei fazer uma reforma aqui em casa e arrumei todo o telhado, não caiu uma gota de água sequer no chão. Mas graças ao nosso prefeito, que calça ruas sem fazer redes de esgotos, tem água vinda da rua para dentro de casa. Entendeu agora porque estamos na cama?

É como diz o povo: “O que vem de cima é Deus que manda”, e com certeza o que vem de baixo é coisa do diabo.

35 Respostas para “O QUE VEM DE CIMA É DEUS QUE MANDA”

  1. Azevedo maio 19, 2009 às 12:02 pm #

    Há algum tempo acompanho pela internet as notícias de uma terra querida chamada Valença, a qual não tenho mais fortes laços, a não ser familiares, em função de minha profissão fora do Estado da Bahia. Hoje descobri este Blog, excelente ferramenta de comunicação ao exercício da Democracia, porém num conflito de sentimentos, muitos deles tristes, em perceber que a Câmara Municipal de Valença e a Prefeitura desta cidade, encontram-se TOTALMENTE desgovernada e a cidade de Valença continua a sofrer com todo este descaso dos seus governantes.

    Assuntos sem relevância a cidade de Valença são levados ao debate pela Câmara. Fico a me questionar porque o Governo Federal não institui pré-requisitos, plano de carreira, para um indivíduo ocupar uma cadeira. Assim ficaria mais tranqüilo em saber que minha querida cidade não estaria nas mãos de analfabetos e incompetentes de carteirinha que não sabem o que significa TRABALHAR PARA O POVO.

    Pelegrini, parabéns pelo blog e postagens .. mas me responda ai, onde foram parar os dois únicos que prestavam? http://pelegrini.org/politica/343

    Abs,
    Azevedo

  2. pelegrini maio 19, 2009 às 12:47 pm #

    Meu caro Azevedo,

    Eu acho que os homens de bem estão querendo cair fora da política. Veja o caso de Dr. Genésio Assis (que eu considero um homem de mãos limpas), desistiu de concorrer a mais um mandato por se sentir enojado da política. Passou o tempo todo denunciando o tio e o sobrinho para o ministério público e nunca teve resultados da aplicação de uma só denuncia.
    Assim como os nossos amigos, Zé da Hora e Jairo (esse ultimo é o único na câmara fazendo oposição ao prefeito), que também denunciaram e denunciam até hoje e nunca tiveram resultados de suas denuncias.
    Então fica difícil de fazer coisas boas por uma cidade, onde os políticos são comprometidos com seus interesses, e não com os do povo.
    Zé da Hora está dando um tempo na pólítica e Jairo continua vereador.
    Obrigado por ler nosso blog,

    Abraço,
    Pelegrini.

  3. REPÓRTER VALENÇA maio 19, 2009 às 1:54 pm #

    VALENÇA (RV)-Em entrevista ao Jornal Rolando na Orla desta terça-feira, o vereador Myster Berttô reclamou da burocracia brasileira para que o Governo possa ajudar a população vítima de fenômenos dos esgôtos. O vereador considerou a demora uma vergonha para o país, e prometeu colocar o assunto em pauta com o presidente Lula, que chega a Valença nesta quarta-feira para acompanhar os estragos causados pela grande enchete provocada pelos esgôtos de Ramiro em Valença.

    “Esse país tem que mudar essa relação da burocracia em situações como essa. É uma vergonha a regra brasileira para tratar de situações de emergência”, disse Myster Berttô. Ele lembrou que só agora o Governo do Estado vai concluir licitações para atender os vereadores desabrigados pela enchente do ano passado. O vereador também citou o caso de Santa Catarina, visitada pelo presidente na enchente do fim do ano, e que só agora deve começar a licitar. E disse: Como aqueles pobres vereadores vão viver sem ganhar as suas pontinhas nas licitações?”

    “É algo inaceitável. Tem que aplicar bem o dinheiro? Tem. Tem que cuidar para que não se tenha desvio? Tem. Agora não se pode exagerar e deixar que o gestor público coma sozinho a verba. Essa é uma situação em que não se pode esperar”, acrescentou o vereador Mystewr Berttô, que ainda pedirá ao presidente Lula ajuda para a construção de barragens nos esgôtos da cidade, recuperação de rodovias, aumento de verba para as diárias da câmara, e a construção de um novo presídio para políticos, além de um reformatório de sanidade mental para prefeitos do Baixo-Sul.

    Hoje, o secretário de ação social (o do dia), enviou ofício ao Governo Federal solicitando 15 mil cestas de alimentos, onde distribuirá mil cestas para os desabrigados e o restante para os vereadores, mas frisou que as mesmas devem chegar a tempo dos vereadores não morrerem de fome. A ajuda só será mais célere agora, segundo ele, porque serão aproveitadas mil cestas que devem ser usadas durante o período da estiagem, e venderemos os restantes para os mercadinhos da cidade, no sentido de angariar fundos para cobrir despesas da câmara de vereadores.

    Myster Berttô ainda disse: “O presidente Lula fica pra depois, em primeiro lugar o polvo”.

    REPÓRTER VALENÇA DIRETO PARA O BLOG DO PELEGRINI.

  4. Gino maio 19, 2009 às 2:44 pm #

    Os dois únicos que prestavam? Eles queriam a gorda fatia da prefeitura e como não havia mais espaço, resolveram se retirar, alegando falta de motivação.

    Particularmente acho “que os dois únicos que prestavam” queriam a GORDURA TRANS, sabe aquela bem gostosa? Risos!

  5. Luís Carlos Franca maio 19, 2009 às 2:52 pm #

    Muito interessante essa postagem, muito interessante! Já li que os prefeitos não fazem redes de esgotos porque é o tipo de obra que não aparece e consequentemente, não dá voto… Mas com esse seu post, muito bem ilustrado pelo diálogo com seu amigo, creio que o prefeito de Valença vai rever seus conceitos.

  6. Leo maio 19, 2009 às 2:54 pm #

    Como vai o consumo de chocolate quente nessa chuva? Não tem um videozinho não? Ou quem sabe uma fotinha de uma bela xícara fumegante para ilustrar essa delícia?!

  7. Mário maio 19, 2009 às 3:15 pm #

    Essa mania dos prefeitos brasileiros não fazerem rede de esgotos é muito séria… Por isso o nosso país fica cada vez mais favelizado e maquiado para turista ver! Não sou o Bóris, mas que ISSO É UMA VERGONHA, é!

  8. Oliveira maio 19, 2009 às 4:01 pm #

    Azevedo, estou pensando em sugerir ao Marollinha vários pré-requisitos para se ocupar uma vaga na política, tais como: Bom caráter, responsabilidade no gerenciamento do dinheiro público, honestidade, comprometimento com a educação e saúde, captação de empresas para todas as regiões do país e consequentemente, criação de empregos, extinção de contratos no setor público (ABAIXO O REDA), EXTINÇÃO da modalidade de cargos comissionados serem ocupados por pessoas sem concurso público no país, ALÉM de nível superior em Gestão Pública e Relações Públicas (as duas, as duas), pós-graduação (ESPECIALIZAÇÃO) em Física Quântica (o gestor do novo milênio precisa ter abertura de pensamento) e Pilates (a boa “postura” é fundamental)… As duas, viu? Mestrado em Mecânica dos Solos ( como essa escassez, investir em agricultura é essencial) e Psicologia Analítica (Jung é “o cara”)… As duas, as duas, ok? Para o doutorado, após extenuante pesquisa, chegamos à conclusão que um bom gestor tem que ser DOUTOR em Engenharia Aquática, pois TEM que entender de ÁGUA e sua preservação. Na verdade, entender é pouco, tem que ser DOUTOR, além de defender TESE também em Música, pois a música alimenta a alma, refina o pensamento e melhora sua ação no mundo… Acredito que tem que ter também dois doutorados… O que vc acha desse plano de carreira? Deixo os pós-doutorados pra vc… Acredito que o Marollinha vai amar a sugestão! Risos!

    Abraços!

  9. pelegrini maio 19, 2009 às 6:11 pm #

    Para: Leo

    Boa idéia Leo, vou fazer um video e postar.

  10. Mille maio 19, 2009 às 6:19 pm #

    É uma lástima esse pensamento dos nossos gestores, saneamento é fundamental para a vida do ser humano, ainda mais o urbano!

  11. Lina maio 19, 2009 às 6:22 pm #

    Ramiro, agora entendo pq vc gosta tanto de água… É pra justificar quando chega o inverno e as ruas de Valença viram rios poluidos… Vc não se importa, ama tomar banho no Rio Una, neh?

  12. Nana maio 19, 2009 às 6:28 pm #

    Pelegrini, esse lance da chuva inundar nosso país é muito brabo… Planejar as cidades minimamente é fundamental… Mas diz ai, eu soube que o Ramiro tem um shopping chamado Rio Una, é verdade? Êta louvação! Se ele gosta tanto desse rio, devia fazer saneamento básico na cidade! Ramiro, Ramiro… Ramiro… Vá tomar banho!

  13. Anonimo maio 19, 2009 às 6:48 pm #

    Eu conheci muito doutor incompetente de carteirinha. E conheci também muito incompetende de carteirinha, doutor. Teve até um aqui que depois de ser prefeito, nem conseguiu se eleger vereador. Por que será?

    Plano de carreira para político? Azevedo, esse texto seu foi uma gozação, não foi? Prefeito, vereador, deputado, senador e até presidente SÃO CARGOS ELETIVOS.

    Você já pensou que se tiver tanto pré-requisito assim vai eletizar ainda mais a política? Sem falar que o quadro do PT só tem sindicalistas, que só entendem de greve, a exemplo do presidente e governador e quem está no poder é o PT. Ele faria tudo para vedar esse projeto. Diz ai, quais pré-requisitos seriam necessários? Quais deles Lula e Jacques Wagner se encontrariam? Ou se enquadrariam.

  14. Anonimo maio 19, 2009 às 6:52 pm #

    Oliveira, seu texto é uma gozação ou você está alucinado? Acho mesmo que esse Hospital Psiquiátrico tem que sair logo.

    Ramiro, acode e anda depressa com essa obra!

  15. Anonimo maio 19, 2009 às 7:10 pm #

    Pelegrini, com tantos desmandos na política, já pensou se forem ciadas universidades para políticos? Ai será a derrocada final. Os próximos políticos virão com o canudo com bacharelado em “político” e não Ciências Políticas, ALÉM da imunidade parlamentar, o cartão coporativo, excelente salário e muitas e muitas verbas. Quem vai aguentar? Será que esses são mesmo os pré-requisitos? Já pensou o governador e o presidente como “calouros”?

    Será que só os doutores sabem TRABALHAR PARA O POVO?

    Ramiro é excelente e não é doutor. Você precisa olhar o rombo que seu sobrinho deixou antes de escrever.

    Não vou me identificar, pois frequento sua sorveteria e não quero ser alvo de gozações, até porque lhe admiro, assim como seus deliciosos sorvetes.

    Boa sorte.

  16. pelegrini maio 19, 2009 às 11:22 pm #

    Para: Anonimo,

    Meu caro Anonimo, eu não disse que só os doutorers são bons, referi-me a Dr. Genésio por ser um homem limpo na política, e nós precisamos de homens limpos, mesmo que seja um sorveteiro, mas tem que ser limpo.

    Abraço,
    Pelegrini.

  17. Oliveira maio 20, 2009 às 2:23 am #

    De Oliveira
    Para Anônimo

    Cara, não só o meu comentário é uma gozação, como o de Pelegrini e o de Azevedo… Relaxe, post sempre e me diga, o “delírio” não é criativo?

    Quanto a você ser admirador de Ramiro, já é outra coisa… Mas eu respeito e seria muito interessante você sempre postar e justificar esse comportamento anti-musical dele, o que me diz?

    Recomendo vc experimentar o chocolate quente da Sorveteria Pelegrini, pois está “bombando”!

  18. UM DOUTOR maio 20, 2009 às 2:35 am #

    Doutor é aquele cidadão que defende TESE, que fez doutorado. Fora isso, é médico, advogado, dentista, engenheiro, arquiteto. Essa mania dos brasileiros de “doutorar” essas categorias só denota o quanto somos somos subservientes a língua inglesa e espanhola, onde DOCTOR é médico.

    Eu sou doutor, fiz graduação, mestrado e 4 ANOS DE DOUTORADO e uma TESE de quase 800 páginas, não me coloque nesse bolo de quem só fez 4 anos, 5 anos ou 6 anos de graduação, por favor!

  19. Oliveira maio 20, 2009 às 2:36 am #

    Anônimo, de quanto foi mesmo o rombo que Claúdio deixou?

  20. Oliveira maio 20, 2009 às 2:43 am #

    Babado forte: Minha amiga Lina, de loira, “empreteceu”… Pintou o cabelo de preto, fez permanente, colocou lente castanho escuro e está fazendo bronzeamento artificial e só tem uma preocupação na vida: SERÁ QUE OS GENETICISTAS DO GOVERNO (aqueles do PT que entrarão sem concurso público e que dirão se o cidadão está mentindo ou não ao se declarar negro) DESCOBRIRÃO QUE ELA É UMA GALEGUINHA DOS “ZOI” AZUL?

  21. Lina, a neo neguinha maio 20, 2009 às 8:26 am #

    Dr. é praticamente um pronome de tratamento para todos que possuem nível superior ou quem é rico, risos! Mas DOUTOR mesmo é que produziu uma tese, fez o doutorado que varia de 4 a 5 anos… Na língua inglesa “doctor” é médico e como nós vivemos copiando o primeiro mundo, copiamos isso também… Na verdade, DOUTOR é quem é douto, sábio, culto… Independente de possuir ou não um nível superior ou ser rico, pobre… Não tem o título “Doutor Honoris Causa” que é dado pela universidade e legitimado pela comunidade acadêmica? Para esse título não precisa ter nível superior e sim, prestar serviços de grande relevância a sociedade.

    Pelegrini, vc é um Dr de grande relevância, vc é um “DR SORVETEIRO”!

    Ramiro é também um DR… De outra categoria, mas ele é um dr… SÓ QUE UM “DR” EM PROMETER E NÃO CUMPRIR… Quem discordar que justifique, viu ANÔNIMO?

    Abraços a todos os neo-doutores valencianos, que imagino, devem ser muitos, não? Ai tem a UNEB com 2 graduações, tem a “facu” do tio e ainda tem a de Dário, não é? Haja dr e futuros drs, risos! Viva as licenciaturas, os bacharelados e viva os médicos, viva os cursos à distância, viva os semipresenciais, os de videoconferências, os oline e os “pósline”, rs! Viva eu, viva tudo e viva o rabo do tatu… Mas viva principalmente a minha rezadeira, uma senhora de quase 80 anos! Ela personifica o que entendo por ser “douto, sábio e culto” e olha que ela nunca “alisou” um banco escolar… Mas é uma “danada”… Na área dela, entende de tudo, tudinho e ainda receita… Receita viver de forma harmoniosa, receita alegria, receita honestidade, respeito e compaixão e sua máxima é – QUEM PLANTA, COLHE… Se plantar soberba, colherá soberba… Se plantar EGO INFLADO, colherá ego inflado… Se plantar MENTIRA, jamais colherá verdade!

    Lina, cujo tema musical agora é “eu sou neguinha”, risos! Oliver, amei a idéia, amei e já me auto denomino Lina, a neo neguinha! Bjs!

  22. Mille maio 20, 2009 às 8:47 am #

    Azevedo, pelo visto vc é um petista… Ontem vi na tv um anúncio do PT dizendo que seus candidatos vão fazer a universidade petista… Imagino que essa deve ser a formação que vc quer, não? Quem sabe não essa a “condição sine qua non” para um PLANO DE CARREIRA? Políticos com mais de 35 anos no serviço público e pelo PT é o sonho dourado dos militantes… Olha o que houve no México, onde um país se perpetuou na presidência do país… Com a doença de Dilma, só se fala em esticar o 3º mandato pra o Marollinha… A trilha sonora do momento é: Que país é esse?

    Estou ao lado de Lina e li seu comentário… Concordo com a denominação de Dr. Pelegrini, mestre sorveteiro e deixando BEM CLARO a diferenciação, também Dr. Ramiro, doutor em enrolação e embromação, em prometer e não cumprir.

    Anônimo, pq vc não assumi que é um ramirista? Tem vergonha de que exatamente? Eu também quero saber do rombo que Cláudio deixou no Palácio de Mármore… Diga-nos, de quanto foi? Ramiro divulgou essa “divída”?

  23. Leo maio 20, 2009 às 9:14 am #

    Kakakakakaka… Nana e Anônimo são a mesma pessoa, kakakakaka! Companheira, não acredito que Oliveira, Lina e Mille não descobriram… Prefiro acreditar que “embarcaram na brincadeira”… Beijos minha deusa morena, mulata, minha neguinha linda! Agora com esse look de Lina, já temos duas neguinhas no grupo… Risos! Legal demais… Estou lembrando daquelas blusas de Lina (Negro é lindo; 100% Negro)… Acho que agora ela assumiu de vez seu desejo inconsciente de querer ser negra!

    Lina, muitos beijos minha neo neguinha… Tô morrendo de saudade!

    Mille, vc vem ou não vem pra exposição do MASP? Tô com saudade enorme daqueles nossos papos intermináveis sobre arte… Tô com saudade de você…

    Serrinha, desculpa ai… Dessa vez fui eu quem usou o blog para o CORREIO SENTIMENTAL!

  24. Marcinha maio 20, 2009 às 9:24 am #

    Só é doutor quem faz doutorado,ou seja quem tem Pós Graduação Stricto Sensu (Mestrado, Doutorado, Pós-Doutorado).
    Os médicos e advogados adoram ser chamados de doutores,mas nem todos tem doutorado.
    Nem todo médico é doutor e nem todo doutor é médico.Eu posso ser doutora em educação,em psicologia,em administração de empresas,engenharia,etc.Portanto ,não seria médica,pois não teria feito medicina,mas sim doutora em …
    Todo profissional ,seja de que área for,se tiver DOUTORADO,é ,pode e deve ser chamado de DOUTOR.

  25. Elena maio 20, 2009 às 10:59 am #

    Concordo em parte com Lina, existe o dr (pronome de tratamento para os bacharelados, inclusive os da área de saúde e os médicos) e o doutor… Doutor que defendeu tese de doutorado ou doutoramento. Além do Doutor Honoris Causa, que é o titulo atribuído à “personalidade que se tenha distinguido pelo saber ou pela atuação em prol das artes, das ciências, da filosofia, das letras ou do melhor entendimento entre os povos.” Se não me engano, o Caetano tem esse título dado pela UFBA. Alguém duvida que o Caetano é um doutor, mesmo sem ter concluído sua graduação em filosofia?

    Já que a brincadeira é descobrir quem é quem, o Oliveira e “UM DOUTOR” são a mesma pessoa, risos! Oliver, eu sei que seu desejo é um dia chegar até o doutorado e viver de pesquisa… Fico contente pelo Brasil que ganhará um cientista de primeira na engenharia. Beijos e saudade!

  26. Mário maio 20, 2009 às 11:02 am #

    RECORTEI ISSO NA NET E CONCORDO COM O AUTOR… Boa tarde a todos!

    A origem do termo encontra-se na palavra latina doctor, que significa mestre ou professor, pertencente à família do verbo docere, cuja tradução é ensinar. Um doutor, considerando-se do ponto de vista estritamente etimológico da palavra, é aquele que ensina.

    O uso e o tempo acrescentaram outros significados para doutor que se somaram àquele original. Segundo os nossos atuais dicionários Aurélio, Houaiss e Michaelis, doutor, em suma, significa:
    1º) aquele que cursou o doutorado;
    2º) o médico;
    3º) o advogado;
    4º) o delegado de polícia;
    5º) o juiz;
    6º) uma pessoa considerada muito culta, importante;
    7º) por cortesia, todo o indivíduo formado em curso superior;
    8º) o portador do título “Doctor honoris causa”.

    Aquele que cursou o grau acadêmico de doutorado é considerado doutor no sentido etimológico da palavra, ou seja, de um professor dedicado ao ensino. No entanto, já existem alguns destes doutores que preferem não compartilhar o título com outros, de menor grandeza, por lhes parecer um tanto desvirtuado. Isto é: preferem ser simplesmente mestres ou professores que doutores.

    Portugal, nosso país descobridor, resolveu parcialmente este problema denominando doutor, por extenso, àquele que possui o doutorado e dr., abreviado, aos demais mortais. Desta forma, pelo tamanho do doutor que precede o nome pode deduzir-se a importância do seu portador.

  27. Luís maio 20, 2009 às 11:08 am #

    Também fiz um ctrl c – ctrl v b´sico e achei essa explicação muito lógica…

    Todos Nós Somos Doutores

    Gilberto Scarton

    1. Introdução

    De tempos em tempos, volta a dúvida, a discussão: quem é Doutor/doutor? Devo/posso chamar meu médico de “doutor”? E um advogado pode assim se denominar? E os cirurgiões-dentistas, os engenheiros, os enfermeiros, os fisioterapeutas? “Doutor” não é apenas quem defende tese em Curso de Doutorado? Afinal, “doutor” é título ou forma de tratamento? Quem é doutor?

    Para esclarecer a questão, surge outra hesitação: a que fontes recorrer? Aos dicionários? À História? À legislação? Aos usos e costumes que se instauram em nossa vida em sociedade?

    O presente artigo pretende trazer algumas luzes sobre o assunto.

    2. Os Doutores da Lei – os escribas

    A palavra “escriba” procede do latim, do verbo “scribere”, que significa “escrever”. Na antiguidade, os escribas eram homens que atuavam como copistas e redatores das leis. Sua função, entre os hebreus, acabou por concentrar-se na interpretação e no ensino das Sagradas Escrituras e na formulação e aplicação do Direito, deduzido dos livros sagrados. Nos Evangelhos, são chamados de rabinos, de mestres, qualificativos que foram aplicados também a Jesus Cristo e a João Batista.

    Um dos pontos centrais da narrativa dos Evangelhos é o ataque enérgico de Jesus contra esses Doutores da Lei, como se pode ler em Mateus-cap.23: 1-7;23-27:
    Então, falou Jesus às multidões e aos seus discípulos:
    Na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus.
    Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. Atam fardos pesados [e difíceis de carregar] e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los.
    Praticam, porém, todas as suas obras com o fim de serem vistos dos homens; pois alargam os seus filactérios e alongam as suas franjas. Amam o primeiro lugar nos banquetes e as primeiras cadeiras nas sinagogas, as saudações nas praças e o serem chamados mestres pelos homens. (…)

    Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas! Guias cegos, que coais o mosquito e engolis o camelo!
    Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque limpais o exterior do copo e do prato, mas estes, por dentro, estão cheios de rapina e intemperança!
    Fariseu cego, limpa primeiro o interior do copo, para que também o seu exterior fique limpo!
    Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!

    3. Os Doutores da Igreja

    Os primeiros ilustres mestres da fé, sucessores imediatos ou quase imediatos dos apóstolos, recebem na História da Igreja a qualificação de Padres Apostólicos, entre eles Inácio de Antioquia, Clemente de Roma e Ireneu de Lyon.

    A geração seguinte é chamada de Padres da Igreja. A partir do século IV, brilham como expoentes os chamados Doutores da Igreja, muitos dos quais fazem parte dos Padres da Igreja. São em nº de 32.

    Os Doutores da Igreja são homens e mulheres reverenciados pela Igreja pelo especial valor de seus escritos, de suas pregações e da santidade de suas vidas, dando assim contribuição valiosa à fé, ao entendimento dos Evangelhos e da doutrina, Citam-se entre eles Santo Agostinho (354 – 430), Santa Catarina de Sena (1347 – 1380), São Gerônimo (384 – 420), São João Crisóstomo (349 – 407), São João da Cruz (1542 – 1591), Santa Teresa d’Ávila (1515 – 1582) e São Tomás de Aquino (1225 – 1274).

    D. Lucas Moreira Neves lembra que, quando o papa João Paulo II declarou Santa Teresinha do Menino Jesus Doutora da Igreja, um jornalista sugeriu que a santa carmelita se tornasse intercessora em favor dos hospitais públicos brasileiros e em favor dos doentes que são atendidos muito mal. Outro propôs Teresinha como padroeira da Pastoral da Saúde. Lamentável esse equívoco dos jornalistas, ao confundir esse título de “Doutor” com o sentido de “médico”.

    4. Os advogados

    O título de “doutor” foi outorgado, pela primeira vez, por uma universidade, a um advogado, em Bolonha, que passou a ostentar o título de “Doctor Legum”.

    Entre nós, a tradição de se chamar o advogado de “doutor” remonta ao Brasil Colônia. Naquela época, as famílias ricas prezavam sobremaneira ter em seu meio um advogado (e também um padre e um político). O meio de acesso a esses postos era a educação.

    O advogado – conhecedor de leis, detentor de certo poder de libertar e de prender – assenhorava-se desse poder mediante formação privilegiada. A tradição logo transformou o termo em sinônimo de posição superior dentro da escala social.

    Há que se mencionar ainda o Alvará Régio, editado por D. Maria, a Pia, de Portugal, pelo qual os bacharéis em Direito passaram a ter o direito ao tratamento de “doutor”. E o Decreto Imperial (DIM), de 1º de agosto de 1825, que deu origem à Lei do Império de 11 de agosto de 1827, que “cria dois Cursos de Ciências Jurídicas e Sociais; introduz regulamento, estatuto para o curso jurídico; dispõe sobre o título de doutor para o advogado”.

    5. Os médicos

    Nos países de língua inglesa, os médicos são chamados de “doctor”. Quando escrevem artigos, ou em seus jalecos, no entanto, não empregam o termo, mas apenas o próprio nome, acompanhado da abreviatura M.D. (medical degree), isto é, “formado em Medicina”, “médico”.

    Entre nós, o “doutor” do médico se generalizou na boca do povo por tradição, por respeito, por admiração, por espontânea deferência pelo saber da doutrina e prática do ofício médico.

    6. Os enfermeiros e os fisioterapeutas

    Algumas profissões não-médicas da área da saúde – como a de enfermeiro e de fisioterapeuta – evocam também para si a prerrogativa do título de “doutor”.

    Assim, o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional de 8ª Região – CREFITO 8 – recomenda o título de “doutor” aos profissionais fisioterapeutas e terapeutas. Por seu turno, também o Conselho Federal de Enfermagem – COFEN – autoriza o uso do título pelos enfermeiros, conforme Resolução COFEN nº 256/2001. Entendem os respectivos Conselhos que deva ser mantida a isonomia entre os componentes da Equipe de Saúde e que “a não utilização do título de Doutor leve a sociedade e mais especificamente a clientela (…) a pressupor subalternidade, inadmissível e inconcebível, em se tratando de profissional de nível superior”.

    7. Os cirurgiões-dentistas, os engenheiros, os economistas …

    Há o costume por parte de cirurgiões-dentistas, engenheiros e economistas de autodenominarem-se ou de serem chamados de “doutores”. Em outras categorias de profissionais, é mais difícil encontrar alguém que assim se intitule.

    A propósito, lembramos que, em Portugal, o título de doutor é estendido a todos os formados em nível superior.

    8. Os que fizeram doutorado

    No mundo acadêmico, é chamado de “doutor” quem cursou doutorado e defendeu uma tese diante de uma banca composta por cinco doutores.

    9. O Doutor Honoris Causa

    O título honorífico “Doutor Honoris Causa” é o reconhecimento acadêmico mais elevado de uma universidade para distinguir pessoas que, em qualquer tempo, tenham prestado relevantes serviços, servindo de exemplo para a comunidade acadêmica e para a sociedade.

    10. “Os bem vestidos”

    Aziz Lasmar, em caderno de Debates da RBORL, de março – abril de 2004, relata que atendia a uma menina de uns 5 ou 6 anos, que prestava atenção a tudo, principalmente a como a mãe se dirigia a ele: doutor pra cá, doutor pra lá. Num dado momento perguntou à mãe se ele era afinal doutor ou médico. Antes que a mãe respondesse, o médico falou que era médico ….. “Que doutor era qualquer um que tivesse carro”.

    O relato ilustra um dos vários sentidos do termo “doutor”: tratamento que as pessoas mais humildes dispensam aos que se apresentam bem vestidos, aos que estão acima, que podem mais , que têm mais. É, assim, um tratamento de vassalagem, e quem o usa se submete, se põe em inferioridade social, se auto-exclui.

    11. Conclusão

    Entre os advogados, há quem pense que os médicos pretendem monopolizar o título de doutor, primeiramente empregado por advogados. Entre médicos, há quem considere que enfermeiros e fisioterapeutas que se intitulam “doutores” fazem propaganda enganosa, dando a impressão de serem médicos. Entre os pós-graduados que cursam doutorado e defendem tese há quem julgue que somente eles podem ser chamados de doutores.

    Constatada a polêmica, e depois do que se escreveu até aqui, apresentam-se algumas conclusões, abertas a críticas e a outros considerandos.

    1. O “doutor” do advogado e do médico surgiu, se fixou e se matem por longa tradição, por especial e espontânea deferência dos cidadãos, dos utentes da língua. Uso legítimo, pois, “O que o simples bom senso diz é que não se repreende de leve num povo o que geralmente agrada a todos”, disse o poeta Gonçalves Dias. Bem mais antiga é a sentença de Horácio ao se referir ao uso, que ele considera preponderante na interação lingüística: Multa renascentur quae jam cecidere cedentque / Quae nunc sunt in honore vocabula, si volet usus, / Quem penes arbitrium est et jus et norma loquendi. (Muitas palavras que já morreram renscerão e cairão em desuso as palavras que atualmente estão em voga, se assim quiser o uso, que detém o arbítrio, o direito e a norma de falar).

    Entende-se, pois, que a língua é uma questão de usos e costumes. Que os falantes são os senhores absolutos de seu idioma. Que os usos lingüísticos não se regulamentam por decretos, por imposição de resoluções. A lei, em questões lingüísticas, é ilegal. Quem ousa legislar sobre o que se deve e o que não se deve dizer incorre em abuso de poder. É uma atitude irracional e irrealista, pois nada altera o que é de uso consagrado. Aos que se insurgem e vociferam contra tais usos, que têm direitos de cidadania, Mestre Luft lembrava a frase: “Os cães ladram e a caravana passa”.

    2. Quanto ao “doutor” do enfermeiro, do fisioterapeuta, do cirurgião-dentista, do engenheiro, do formado em curso superior…. Dizem os dicionários que “doutor” é um título que, por cortesia, se costuma dar àqueles diplomados em curso superior. Se se costuma, de fato, não há por que discutir. Em Portugal, o emprego desse título é generalizado a professores primários, formados em Medicina, diplomados em faculdades e os que defendem tese de doutoramento. Aliás, lá todo mundo é “excelência”. Costume. Tradição. Mas, se aqui no Brasil não se costuma … Pode-se dar que esse uso se instaure ou se generalize, pelo fato de os profissionais em questão assim se denominarem e/ou serem denominados por seus paciente ou clientes.

    3. Pelo que se disse até aqui, não assiste razão àqueles que querem reservar o título de “doutor” somente a quem fez doutorado e defendeu tese. Se querem se distinguir dos demais, há formas como as exemplificadas:
    Dr. Fulano de Tal – Doutor em Medicina
    Prof. Dr. Fulano de Tal – Doutor em Letras

    4. Registram os dicionários que “doutor” é aquele que está habilitado a ensinar; homem muito instruído em qualquer ramo; homem que deita sapiência a propósito de tudo; homem com muita experiência; indivíduo que reincide, que costuma ter o mesmo procedimento (Ele é doutor em prometer e não cumprir); tratamento dado por porteiros, frentistas, engraxates, flanelinhas, etc; entre outros registros. Então, todos nós somos doutores.

    5. Há doutores e doutores. Cabe discernir onde o vulgo confunde.

    6. Etimologicamente, o vocábulo “doctor” procede do verbo latino “docere” (“ensinar”). Significa, pois, “mestre”, “preceptor”, “o que ensina”. Da mesma família é a palavra “douto”que significa “instruído”, “sábio”. Sábio. Então, quem é mesmo Doutor?

    EU GOSTEI MUITO DESSE NINE ARTIGO, APESAR DE EXTENSO DEMAIS…

  28. Elson Pascoal maio 20, 2009 às 10:51 pm #

    Essa catástrofe natural que se abeteu sobre a nossa cidade já tinha sido anunciada e nada foi feito pelos gestores do nosso município, lamentável para o povo que nessa hora só pode pedir e clamar pela ajuda de DEUS para reecontruir tudo que foi perdido, mas o TIO esta alegre e sorridente em que lugar eu mim pergunto o povo irar buscar se enfocar no uso do crediário para reaver tudo que foi perdido? Eu mesmo respondo nas Lojas Guaibim e na Casa & Fazenda. É triste pra mim vê o irmão sofrer, mas para o gancioso, o ambicioso é lindo vê o povo padecer!!! Nessa hora que sentimos na pele o peso de um voto e que caimos na realidade, que por quatro anos veremos o sofrimento do nosso irmão.

  29. Elson Pascoal maio 20, 2009 às 11:00 pm #

    Essa catástrofe natural que se abateu sobre a nossa cidade já tinha sido anunciada e nada foi feito pelos gestores do nosso município, lamentável para o povo que nessa hora só pode pedir e clamar pela ajuda de DEUS para reconstruir tudo que foi perdido, mas o TIO esta alegre e sorridente. Em que lugar, eu mim pergunto o povo irar buscar se enfocar no uso do crediário para reaver tudo que foi perdido? Eu mesmo respondo nas Lojas Guaibim e na Casa & Fazenda. É triste pra mim vê o irmão sofrer, mas para o ganancioso, o ambicioso é lindo vê o povo padecer!!! Nessa hora que sentimos na pele o peso de um voto e que caímos na realidade, que por quatro anos veremos o sofrimento do nosso irmão.

  30. A meninas da Facom maio 22, 2009 às 6:43 am #

    Elson, vc acredita que será mesmo SÓ por quatro anos? Será 8 com certeza, a não ser que ele pegue o embalo do Marollinha, e queira estender o seu 3º mandato… AGUENTA VALENÇA!

  31. A meninas da Facom maio 22, 2009 às 7:05 am #

    Azevedo, estávamos pensando sobre a sua gugestão do Plano de Carreira… Acreditamos que o político, depois de cumprir seus estudos, amplamente explicitados pelo Companheiro Oliveira entra como vereador, prefeito, deputado estadual, deputado federal, senador e presidente… BRILHANTE… E após inúmeras reuniões, pensamos que ser político deve ser vitalício e assim como na monarquia, a realeza passa seu bastão para o filho mais velho… Será hereditário! Os Magalhães já fizerm isso,tanto o ACM, quanto o Juthay… Os Sarney, os Vieira Lima e os SOUTOS também… A fila é grande, meu irmão! O que vc me diz?

    Ah, Oliveira esqueceu de acrescentar o domínio pleno em 10 idiomas, tanto para leitura, escrita e conversação…

  32. Azevedo maio 22, 2009 às 11:48 am #

    Obrigado pelas informações Pelegrini. Infelizmente alguns seguidores de seu blog não conseguem evoluir e analisar a política de Valença de outro prisma. “Cada povo tem o governante que merece”! …

    Se olharmos para o alto da nossa pirâmide onde temos um analfabeto, o que esperar da base dela se não desejam mudanças. Por isso acredito que o povo/eleitor é culpado, pois a este lhe cabe a responsabilidade, o dever, de analisar melhor os pré-requisitos de seus candidatos e não os elegerem por questões que aferem a ética da gestão pública. Não é a toa, que os “mão limpas” deste País não conseguem evoluir em suas carreiras de político.

  33. A meninas da Facom maio 23, 2009 às 2:58 pm #

    Caro Avevedo, discordamos sesse senso comum adotado por vc que diz que cada povo tem o governo que merece… Achamo-os estreito e obsoleto e na sua linguagem, involuido… Ele é “datado demais”! Nós não somos seguidores, somos comentaristas, já que seguidores tem caráter relugioso e não é esse o caso, muito menos a proposta desse blog… Sempre analisamos tudo por prismas diferentes, inclusives quando seus usuários inssistem em uar o trema, convidemo-os a rever valores “evoluir, progredir e analisar a política de Valença de outro prisma”….

    Achamos bons os “mãos limpas” usaram luvas, pois o frio está grande… Quanto ao olhar para o topo da pirâmide e vermos nela um analfabeto, discordo de vc… Lula é alfabetizado, articulado, inteligente, mas não é um “dr” e nós, burgueses de carteitinha, nos ressentimos disso…

    Por isso não acredito que o povo/eleitor são culpados, pois a estes lhes cabe a responsabilidade, QUE DEVERIA TER EDUCAÇÃO E DESENVOLVER CONSCIÊNCIA CRITICA, o dever, de analisar melhor os pré-requisitos de seus candidatos e “não os elegerem por questões que aferem a ética da gestão pública” (alguém entendeu essa pérola?). Não é a toa, que os “mão limpas” deste País não conseguem evoluir em suas carreiras de político. Azevedo, vc quer dizer o que mesmo?

  34. Italo Azevedo maio 29, 2009 às 3:41 pm #

    Não sou o Azevedo que postou lá em cima, mas tambem sou Azevedo, acho que devemos ser primos! rsrsrsr!!!

    Valença infeslimente não está foi planejada para receber tanto volume de chuva; e alem das questões geograficas existe tambem a questão da falta de investimento verdadeiros na infra-estrutura, temos que ter um prefeito que não pense em fika construindo parquinhos, quebrando praça, para fazer reformas faraonicas, enfim valença infelismente esta nas mãos de uma homem, sem condições nenhuma de governa-la, não digo isso pelo fato de ser amigo de Ricardo Moura (2º colocado na eleição 2008) mas o povo esta vendo que ele so sabe prometer e quando faz, só sabe quebrar o que esta pronto!

    abraços!!

  35. GarykPatton junho 16, 2009 às 6:37 pm #

    Hi! I like your srticle and I would like very much to read some more information on this issue. Will you post some more?

Deixe uma resposta