“O HOMEM É, EM SUA ESSÊNCIA, PRODUTO DO MEIO”

image

Hoje assistindo ao “Jornal da Manhã”, vi uma reportagem sobre uma mãe que acorrentou o filho, de 13 anos de idade, por que é usuário de “crack”. Vendo a hora do filho ser morto pelos traficantes ou pela polícia, ela não pensou em outra alternativa a não ser acorrentar o filho. O conselho tutelar através de denúncias de vizinhos foi até a casa dessa mãe e encaminhou-a até a polícia por maus tratos a criança. Essa mãe vai responder processo e poderá pegar pena de um a dois anos de prisão.

O conselho tutelar, a polícia, e a justiça não estão errados, mas essa é a grande incompatibilidade do nosso país. Um pai não pode educar o seu filho da forma que acha correta, ou mais apropriada, porque o estado é quem diz como deve educar. Por sua vez o estado é desprovido de condições para dá uma boa educação aos nossos filhos, é na própria escola que se aprende a usar drogas por influência da infiltração de traficantes.

Os homens que fazem as leis são movidos pelo grande sensacionalismo criado pela imprensa nacional. Éramos um povo pobre, mas com cultura, não procurávamos as drogas como refúgio, mas o trabalho, “Aquele que trabalha é o homem feliz. O homem que é ocioso é o homem infeliz”-Benjamin Franklin-. No passado quem nos davam educação eram nossos pais, carente ou não.

Hoje não temos o chamado serviço escravo. Temos vida livre. E hoje quem nos educa é o estado, cheio de corruptos, maus caráter: quem dita como devemos ser educados, “O homem é, em sua essência, produto do meio”-Karl Marx-. se nossos educadores são ladrões, criminosos, desumanos, com certeza aprenderemos com eles.

Aqui em Valença, por exemplo, tomamos conhecimento de algumas creches que estão sem funcionar por falta de alimento. Onde está esse dinheiro que é destinado para essas creches, para compra de alimentos? Será que roubaram? Será que foi destinado para o filho de algum político salafrário? Como podem cobrar de pais, que acorrentam seus filhos para se livrarem das drogas, se não têm vergonha de usurpar de pobres pessoas o que não lhes pertence? 

5 Respostas para “O HOMEM É, EM SUA ESSÊNCIA, PRODUTO DO MEIO”

  1. Observador março 17, 2010 às 4:44 pm #

    Parabéns pela postagem Pelegrini, bem observado, trabalhar só dignifica o homem.

    Comecei a trabalhar com 12 anos, minha carteira foi assinada com 14 anos, e estudava a noite, mas, se isso acontecer hoje dá até cadeia.

    Melhor é ter adolescentes na rua se prostituindo e usando drogas.

    As crianças estão sendo lançadas para serem “produdos do meio maléfico”.

    Continue prestando esse bom serviço a sociedade através do seu blog.

  2. Marcelo Queiroz Jr. março 17, 2010 às 7:42 pm #

    Muito bom texto Pelegrini.

    O governo municipal precisa investir em políticas públicas e estimular a criação de cursos profissionalizantes para os jovens valencianos.

    Abraços Fraternos.

  3. Ivan Costa março 18, 2010 às 12:40 am #

    Tens Toda Razão Pele, Eu Tb Assisti a Reportagem e Notei que Até Os Apresentadores Ficaram Indignados com a Ação da Justiça que Indiciou essa Mãe Por Maus Tratos, Quando Na Realidade a Intenção dela é a Prova Fiel de Um Desespero Por Não Ter Mais o Que Fazer Pra Livrar o Seu Filho das Drogas Ou Mesmo da Morte! a Nossa Justiça Infelizmente é Em Muitas Vezes Injusta, Ontem Assisti tb No Jornal Hj, Uma Mulher Que Pedia Esmola Com Uma Criança no Colo, Ninguém Pede Esmolas Pq Quer, PQ Gosta, E Essa Coitada Senhora não Tinha Com Quem Deixar Sua Filhinha, Minha Revolta Foi a Forma Como a Policia Tirou Essa Criança Dos Braços De Sua Mãe para entregar ao juizado, Usando de uma Força desnecessária a Criança Chorava Por não Querer Ir,Mesmo Vivendo em Condições Precárias, Ela não Queria se Separar de Sua Mamãe.

    A Justiça Poderia Usar Outras Formas, Que Pudesse Manter Mãe e Filha Juntas.

    O Governo é o Culpado de Tudo Isso?

    Ou Somos-Nos Que Não Sabemos Usar a Nossa Maior Ferramenta de Mudanças que é o Nosso Voto?

    Respondam-Me.

    Abraços a Todos

    Outubro Está Chegando, o Futuro de Nosso Pais está em Nossas Mãos.

    Ivan Costa
    Radialista Valença Fm 101,9
    DRT 7028

  4. pelegrini março 18, 2010 às 8:36 am #

    Pois é Ivan, na verdade o que o governo quer é encobrir o estado de miséria que nosso povo vive, querendo mostara que faz melhor que os pais. No caso dessa criança que lhes tiraram do colo da mãe é a maior hipócrisia do estado, vejamos o fim dessa criança: será que eles vão dar casa e comida, escola, vida digna? Isso tudo é palhaçada, só para mostrar serviço. Na verdade eles não dão solução em nada, com certeza essa criança vai voltar para a miséria.

    Abraço,

    Pelegrini

  5. Sonia ACosta de Cambraia março 14, 2019 às 3:48 pm #

    Vejo hoje com muita tristeza a violência replicada por jovens que não suportaram o meio em que vivem e resolveram matar de forma cruel colegas e funcionárias de uma escola em Suzano_SP. E antes mesmo de me inteirar a respeito deste fato eu havia escrito em minha timeline orientações para os pais sobre o comportamento e a criação de seus filhos que muitas vezes são neglicenciados e sofrem maus-tratos e violências domésticas ou são induzidos por pessoas maléficas à violência e uso de drogas que acabam desencadeando violência social. E conclui que a violência replicada por crianças e jovens são frutos da violência que estes sofreram no seio familiar ou social. Em análise às várias teorias filosóficas, que de um ponto de vista, defendem que “as pessoas são frutos do meio em que vivem”, e de outro “que são as pessoas que tranaformam o meio”, eu digo que depende, “tudo é relativo e nada é absoluto”. À violência é fruto da violência. Mas as pessoas somente podem mudar o meio em que elas vivem quando têm condições, oportunidades e poder pra isso. Assim como uma limoeira só dá limão, uma parreira só dá uvas, um milharal só dá milhos, podemos concluir que um fruto nasce conforme a sua essência. E que, no entanto, seriam impossíveis as chances de uma pessoa boa nascer e viver bem no seio de uma família ou uma sociedade ruim; ou de uma pessoa ruim nascer e viver sem qualquer influência de uma família ou sociedade boa. Mas, eu relativiso isso. Pois depende quando se trata de construção do caráter e da personalidade de crianças e jovens que estão sob a influêncdecisão.como: vários fatores que podem impedir que essa pessoa boa seja boa ou ruim, ou que a pessoa ruim seja boa ou ruim, tais como: emocionais (psíquicos), hormonais (físicos), mental, economicos, conhecimentos, incapacidade e falta de domínio e de poder de decisão. Isso se deve porque pode acontecer de nascer numa mesma família boa uma de caráter bom e outra ruim, e a boa vir a tornar-se ruim e a ruim ficar boa, ou serem exatamente como o seu caráter é, bom ou ruim. Pois tudo depende sim do meio, ou seja, da forma como foram criadas e de tudo que afetaram à sua sanidade mental e psicológica. Há pessoas que suportam todo tipo de sofrimentos, provações, violências e privações, e conseguem superar tudo isso sem traumas e sem causar mal aos outros, fazendo de suas experiências exemplos para os demais. Mas por outro lado existem pessoas que não conseguem superar essas situações de conflitos e acabam explodindo e destruindo tudo à sua volta. E nesse caso estamos falando de crianças e jovens que não têm autonomia e independência pra tomar decisões, o que então pode interferir drasticamente na saúde mental e psíquica e no futuro deles. E quando o estado, a sociedade e a família não dão oportunidades e meios pra que essas crianças e jovens sejam resgatadas, acontece o pior, a violência recíproca e disseminada no meio em que vivem. Por isso, eu ainda creio que a pessoa é fruto do meio e da sociedade, sim. Mas tudo é relativo, quando essa pessoa tem condições e oportunidades pra mudar o meio e a sociedade em que vivem. Nada é absoluto.

Deixe uma resposta