Archive | Política RSS feed for this section

PREFEITO “PORCO”

imageMeus amigos, hoje pela manhã fui até Santo Antônio de Jesus fazer umas compras para a sorveteria. Sempre que entro em alguma casa comercial por lá, pergunto sempre pela questão da violência na cidade, o que ouvi da boca das pessoas foi algo que me impressionou, todas falaram que a violência está bem controlada. Indaguei sobre esses ladrões de celular, desses que assaltam a mão armada nas ruas e eles disseram que tem, mas não com a intensidade que tem em Valença. Outra coisa que me impressionou, foi quando perguntei porque eles dizem, “que tem ladrões, mas não com a intensidade de Valença”, e eles disseram: “porque todo mundo que vem de Valença pergunta como anda a violência por aqui e contam como anda por lá”.

Agora meus amigos, outra coisa interessante, todos os comerciantes de Santo Antônio de Jesus, quando falam do nosso prefeito daqui de Valença se referem ao “porco”. Dois comerciantes de lá me disseram: “Como pode um homem rico daquele deixar a cidade tão maltratada, fazer obras tão pobres?” e “Poderiam estar levando o dinheiro dos turistas daqui. Hoje o santo-antoniense vai à Ilha porque Valença é uma praia maltratada, sem atrativos”, disseram.

Tive que ouvir calado e segurar o meu bairrismo, contra minha vontade, mas em compensação eles estavam falando do prefeito mais porco do mundo, eles estavam falando do armengueiro, Ramiro Campelo de Queiroz. E é mesmo! Eu vou falar o que!?

Ao meu amigo Jorge Ribeiro (nome dado ao meu amigo que pediu para não citar o seu nome), está aí a postagem que prometi, sem citar os nomes de vocês. Leiam mais o blog, vejam postagens mais antigas aqui do blog, liguem a Rádio Rio Una pela net e aí vocês vão ver se o povo cobra ou não desse imundo.  

Comentários { 35 }

PONTE DOS VOTOS

imageO governador Wagner diz que continua como um dos projetos prioritários do seu governo a ponte que liga Salvador-Ilha de Itaparica, do qual os adversários políticos rotularam como factóide. O governador garantiu na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), que o projeto da ponte estará pronto em novembro próximo.

A ponte considerada a sexta maior do mundo, Presidente Costa e Silva, popularmente conhecida como Rio-Niterói, levou 5 anos para ser construída, o conceito do seu projeto remonta a 1875, foram simplesmente quase 200 anos se cogitando sobre a ponte, com toda tecnologia que se tem hoje, não acredito que esse governador que não se preocupa com as coisas mais mais fáceis de se fazer, como controlar a violência no estado, consiga ao menos tirar do projeto ao final do seu governo a construção dessa ponte. Factóide mesmo!

Charge: Bruno Aziz

Comentários { 23 }

Taxa de homicídios cresce 32% em 15 anos no país, aponta IBGE

 

A taxa de homicídios no país cresceu 32% em 15 anos, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da publicação Indicadores de Desenvolvimento Sustentável de 2010.

Segundo o estudo, a taxa de mortes por homicídio no país aumentou de 19,2 em 1992 para 25,4 em 2007 a cada 100 mil habitantes, alta de 32%. Os dados são do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, segundo o IBGE.

As mortes por homicídios atingiram, em média, 10 vezes mais os homens do que as mulheres no período, diz o relatório. Só em 2007, o índice era de 47,7 para eles e de 3,9 para elas, uma proporção, nesse caso, 12 vezes maior. Em 1992, era de 35,6 para os homens e de 3,2 para as mulheres.

image

Segundo estudo, o coeficiente geral de mortes, que cresceu de 1992 a 2003, apresenta uma tendência de queda a partir de 2004 (veja histórico completo no gráfico acima).

Por estado
O estado de Alagoas tinha, em 2007, a maior taxa de homicídios do país, que era de 59,5 por 100 mil habitantes, seguido do Espírito Santo, com 53,3, e de Pernambuco, com taxa de 53. O estado do Rio de Janeiro ocupava o quarto lugar, com coeficiente de 41,5 a cada 100 mil habitantes, e também caiu em relação a 2004, quando era de 50,8.

As menores taxas estavam, em 2007, em Santa Catarina (10,4), Piauí (12,4) e São Paulo (15,4). De modo geral, o menor índice está na Região Sul do país (21,4) e o maior, na Nordeste (29,6).

Segundo o relatório do IBGE, os óbitos por homicídios afetam a esperança de vida, que não é superior devido às mortes prematuras, sobretudo de jovens do sexo masculino. A criminalidade ocasiona, ainda segundo a pesquisa, grandes custos sociais e econômicos. Além das vidas perdidas, gera sequelas emocionais às famílias das vítimas, elevados custos hospitalares e
para o controle da violência, e insegurança na população, interferindo negativamente na qualidade de vida.

Do G1

Comentários { 0 }

QUANTO VALE UM PREFEITO?

imageLi no Bahia Noticias, do Samuel Celestino, que o PMDB vai expulsar a prefeita de Governador Mangabeira, Domingas Paixão. A gestora declarou oficialmente apoio a candidatura do governador Wagner, quando participava da inauguração de um Comitê em pró da candidata Dilma. O PMDB enviou pedido à Comissão de Ética e Disciplina, que suspendeu Domingas com base no estatuto do partido, que prevê banimento do filiado que apoiar outras chapas que não as da própria legenda. Com isto, os peemedebistas acreditam que a prefeita deverá inclusive perder seu mandato na Justiça Eleitoral, segundo o BN.

Eu acho que o certo é isso mesmo, não só expulsar essa prefeita, mas como muitos outros que pularam dando exemplo de oportunismo, assim como o DEM deveria fazer com o prefeito de Ituberá, Andrezito, que também debandou para o lado de Wagner. Esse pessoal está pensando que o governador vai dar guarida a eles. Não têm competência para governar um município, agora, fica vendendo a alma para recuperar a popularidade e tentar se reeleger nas próximas eleições. Logo, logo eles saem do PT e vão para outros partidos, bando de macacos, andam de galho em galho. Esses prefeitos que se vendem deveriam era sair da política e dar o lugar para homens sérios.

O pior virá, eles não vão receber ajuda nenhuma do governo, porque é incompetente também (haja vista o que acontece em Valença, onde o prefeito está desde que assumiu a prefeitura com o governador Wagner e até agora, nada para o município), e aí vão tentar a reeleição e quando o porrete chegar nas costas deles, ainda vão querer criticar o governo que eles apoiaram e o governo, pagará tostões a eles, pois é esse o preço deles.

Comentários { 16 }

D. CANDOCA REVELA A PERGUNTA QUE LANA FARIA A CLAUDIO QUEIROZ

imageA MEGA/HIPER/SUPER POP STAR LANA TURNER resolveu sair da sua reclusão na cidade histórica de Cairú para desenvolver um trabalho de cunho social/jornalístico/investigativo protegida sobre as grades da Sorveteria Pelegrini com o ex-prefeito de Valença… Ela esperou, esperou, esperou e ele não apareceu… Diante de tal fato e além de degustar os sorvetes mais saborosos do mundo, ela retornou a prosaica Cairú, um oásis de tranqüilidade. No entanto, em conversa informal com Pelegrini, ela falou o teor da entrevista e Pelegrini, apesar de ser um cavalheiro, caiu as gargalhadas e claramente disse: Lana, com essas perguntas Cláudio não aparecerá aqui é nunca, periga nem colocar mais os pés em Valença… Lana chocada, pois está acostumada a entrevistar grandes personalidades do jet set internacional, ficou sem entender… Mas como um certo guapo da área jornalista sediado em Cairú a esperava, ela não perdeu mais tempo, despediu-se de Pelegrini e foi para a bela cidade. Só que Lana, distraidamente deixou uma das perguntas que faria a Cláudio e eu, D. CANDOCA, fofoqueira mor da Rua Duque de Caxias rapidamente peguei o papel e agora conto a vocês de primeira mão, pelo menos uma pergunta: CLAÚDIO, COMO VOCÊ ANALISA ESSA REJEIÇÃO A SUA ADMINISTRAÇÃO OU QUEM SABE A SUA PESSOA A PONTO DE MESMO SENDO PREFEITO, FICAR ABAIXO DE VOTOS NULOS E BRANCOS, INCLUSIVE AMARGANDO UM TERCEIRO/QUARTO LUGAR? DESCONHEÇO ESSE EPISÓDIO NO BRASIL… NORMALMENTE O PREFEITO QUE TENTA A REELEIÇÃO FICA NO MÁXIMO EM SEGUNDO LUGAR E NUNCA ABAIXO DE BRANCOS E NULOS… Agora eu entendendo a gargalhada de Pelegrini… Claudio iria dizer o que, PELAMORDEDEUS?

Comentários { 21 }

OS PINÓQUIOS DO PT (II)

imageMeus amigos, paramos na construção do SAC, mas vamos continuar falando das grandes obras do governador Wagner em Valença, segundo os apoiadores. Etapa final da inauguração do Campus da Uneb. Aqui o governo achou de mão beijada, um empresário de Valença doou o terreno, bastava o governo construir, já formamos uma turma e vamos formar outra sem ao menos terem estudado no novo campus. Fala de uma tal de UPA 24 horas hospital de emergência a ser construído no Bairro da Bolívia. Se for igual ao hospital que Ramiro prometeu estamos ferrados, porque até a pedra fundamental já levaram.

Agora falaram de uma verdade, recursos para ampliação do Pronto Socorro e implantação de Berçário Neonatal, anexos Guaibim e Serra Grande. Não sei se concluirão, mas esse Berçário tem pelo menos uns 20 anos construindo, um monstro comilão, talvez leve mais uns 5 anos, os anexos de Guaibim e Serra Grande podem ser para aumentar o texto deles. Falaram de uma certa inauguração, 155 casas no Guaibim e 155 no Loteamento Novo Horizonte, não será entrega? Bom, se for inauguração não disseram que casa é, se de show ou de outro ramo de atividade, sabemos que o prefeito fechou uma casa no Sonrisal, será uma dessas?

Reforma do Ginásio de Esportes e reforma do Centro de Cultura e mais, 1ª etapa de reforma do CSU. Reformam o Ginásio de Esportes mas não dão incentivo ao esporte, continua fechadão, esperando outra reforma. Centro de Cultura sempre foi cabide de empregos, desde a época de ACM, não vejo aqueles intelectuais fazerem nada pela cultura de Valença, os caras são trancadões, tirados a semideuses, mas cultura, nada. O CSU eu nem vou falar nada, nem sei mesmo pra que serve aquilo, ultimamente funcionava a Secretaria de Saúde do Município, mas de social urbano, nadica de nada.

Eu volto meus amigos, porque foram muitas as obras (?) do governador. Pra eles dizerem as obras levaram alguns minutos, mas para desmascarar, leva mais tempo.

Comentários { 5 }

ZÉ DA HORA É O CANDIDATO MAIS BEM PREPARADO

imageQuero cumprimentar ao amigo e candidato a deputado estadual, Zé da Hora, pelo respeito que teve ao nosso blog quando solicitado a responder algumas perguntas feitas por um leitor nosso. Acredito que suas respostas foram satisfatórias e que convenceram aos nossos leitores, principalmente ao Ailton, que foi o formulador das perguntas.

Tentamos ver se todos os candidatos respondiam as respostas, até porque, gostaríamos de conhecer o mais bem preparado para a disputa de um cargo de grande responsabilidade na Assembléia Legislativa. Felizmente quem demonstrou essa qualidade foi o candidato Zé da Hora, até mesmo, porque já foi o melhor vereador de Valença e tem conhecimento na área legislativa.

Não foi por falta de aviso aos outros candidatos, entrei em contato com o senhor Roque Campelo, que faz parte da coordenação da campanha do professor Dário, avisei ao Ricardo Moura que também apóia e trabalha na campanha do professor. Talvez os outros dois candidatos não tenham se manifestado pela campanha fraca que estão fazendo. Agora vamos esperar o dia 3 de outubro para ver quem vai chegar lá!

Comentários { 34 }

ZÉ DA HORA RESPONDE AS QUATRO PERGUNTAS DO LEITOR AILTON AZEVEDO

imageAmigo Pelegrini,

Mais uma vez o seu blog faz barba e cabelo à concorrência e presta um grande serviço à comunidade.

Pode sempre contar com a minha colaboração e disponibilidade em iniciativas que sejam feitas ao serviço do nosso povo, longe de fofocas e guerras particulares que a nada conduzem.

Habitualmente os “políticos” não gostam de falar de compromissos objetivos, que mais tarde lhes possam ser cobrados, mas eu gosto de me comprometer, gosto de assumir responsabilidades e de lutar por coisas concretas.

Não vou, por isso, fazer uma declaração chata, longa, teórica e genérica, mas antes comprometer-me a defender três ou quatro propostas, em relação a cada pergunta, na Assembléia Legislativa e, com a influência que o cargo me dará, junto a todas as entidades que possam ajudar a resolver os problemas.

O que você fará para apoiar e incentivar o turismo na região?

Vou começar pelo fim, pela questão relacionada com o turismo, que é um assunto que me toca muito em especial.

O Baixo Sul atravessou uma década de intensa atividade turística, mas foi muito sentida a falta de uma estrutura de apoio estadual que tivesse uma dupla função:

Por um lado divulgar a região, as nossas belezas e riquezas naturais junto dos grandes grossistas turísticos nacionais e estrangeiros, e,

Por outro lado  apoiar os micro e pequenos empresários das áreas ligadas à atividade turística, na definição dos seus investimentos, na busca dos financiamentos de que eles carecem, na organização dos seus serviços e ofertas, e na criação de uma “marca regional” que pudesse ser utilizada por todos quantos estão ligados ao turismo.

Acompanhando o crescimento turístico foram criadas algumas estruturas como o Aeroporto de Valença, em que estive pessoalmente envolvido, ou algumas incitativas tiveram lugar, como por exemplo a implantação do serviço de lancha-táxi para as Ilhas de Tinharé, que foi criado por mim.

Agora, comprometo-me como Deputado Estadual, a pleitear pela implantação de uma gerência regional da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia, que,  como órgão técnico, venha potencializar o aproveitamento turístico da região, pelo aconselhamento ao mundo empresarial, e, como órgão de informação, aproveite a rede nacional de divulgação turística, em articulação com as Secretarias de Turismo dos outros Estados e do Governo Federal, para a divulgação interna e externa do Baixo Sul como destino turístico.

Como Deputado Estadual, comprometo-me a lutar junto das entidades responsáveis pela melhoria da nossa rede viária, incluindo a construção de acostamentos em toda a sua extensão, pela melhoria e desenvolvimento dos portos de toda a região, com melhores condições para as embarcações e para os passageiros, e da revitalização e pleno funcionamento do Aeroporto de Valença, com uma guarnição própria do Corpo de Bombeiros, como unidades de apoio à atividade turística e empresarial.

Como Deputado Estadual, comprometo-me a lutar pela criação de benefícios fiscais que atraiam mais investimento nesta atividade, proporcionando assim mais postos de trabalho e mais riqueza para o povo da nossa região.

O que você fará para ajudar os estaleiros navais da região?

Os estaleiros navais do Baixo Sul atravessam uma crise sem precedentes na sua longa história, especialmente provocada pela crise da madeira, provocada por um decreto federal de 1993, que proibiu o corte de qualquer madeira proveniente da Mata Atlântica, sem que fosse encontrada uma alternativa sustentável e economicamente viável para a questão

Medidas desta natureza foram encontradas em outras regiões do Brasil, notadamente no Estado do Pará, o que permite a continuação da atividade madeireira, e onde os nossos construtores se vêem obrigados a comprar a matéria prima que lhes é essencial.

Como Deputado Estadual comprometo-me a lutar pela elaboração de legislação específica para esta área, que permita que a nossa região, o nosso Estado, produza a matéria prima de que os nossos estaleiros necessitam, sem terem necessidade de comprar noutros lugares.

Como Deputado Estadual comprometo-me a lutar para conseguir que, enquanto aquela legislação não for aprovada, e os seus efeitos sentidos, o Banco do Nordeste – em cuja implantação na região estive pessoalmente envolvido -  como meio de fomento, possa contribuir de forma adequada para o financiamento da compra das madeiras legais indispensáveis para que os nossos artesãos continuem a sua atividade.

Deixei para o final as questões relativas ao ensino profissional e às novas indústrias, porque elas tocam em todas as áreas, e afetam toda a população da nossa região.

Como pode qualquer atividade econômica progredir, sem ter acesso a pessoal habilitado profissionalmente ao cumprimento das tarefas quotidianas, à utilização das novas ferramentas?

Para que serve preparar profissionais para o desempenho de tarefas próprias de uma indústria transformadora de olivas, se não existem oliveiras no Baixo Sul?

Para quê gastar tempo e dinheiro a formar técnicos em fabrico de calçado, se não existe nenhuma indústria de sapatos na nossa região?

Não se pode olhar para a questão da formação profissional sem ter em vista quais são as necessidades, em pessoal especializado, da indústria, comércio, turismo e agricultura do Baixo Sul.

Quais são as indústrias que se pretendem instalar na região, e o que podemos oferecer-lhes de modo a cativar a sua atenção e preferência?

O que você fará para dinamizar o ensino profissional na região?

A Bahia tem fortes tradições no ensino profissionalizante, já que foi dos poucos estados a apoiar o Presidente Nilo Peçanha, quando, em 1909, ele criou a Rede Federal Profissional e Tecnológica, mas, infelizmente, passados mais de 100 anos, a mensagem visionária deste político, ainda não chegou ao nosso Baixo Sul.

Numa primeira análise facilmente se detectam necessidades específicas nas áreas da construção naval, turismo, pescas, transformação de produtos da pesca, construção civil e agricultura, em especial na produção e transformação de produtos agrícolas tradicionais, incluindo o dendê, a pimenta, o guaraná, o cacau, entre outros

Como Deputado Estadual comprometo-me a lutar pela implantação de um pólo da Secretaria de Ciência e Tecnologia na região, capaz de desenvolver um ensino adequado às necessidades locais.

Como Deputado Estadual comprometo-me a lutar para que as diversas Secretarias do Estado façam um levantamento das necessidades da Indústria, do Comércio e da Agricultura, e ofereçam um conjunto de propostas de ensino e formação profissional que venha suprir as necessidades concretas das regiões urbanas e rurais.

Como Deputado Estadual lutarei pela instalação imediata de uma horta comunitária onde os nossos pequenos agricultores possam aprender as técnicas adequadas às plantações hortícolas, passando a produzir na nossa região as toneladas de verduras que diariamente são adquiridas a produtores de outras regiões, nomeadamente de Feira de Santana.

O que você fará para incentivar a fixação de novas indústrias na região?

Existem três grandes áreas de extrema sensibilidade quando um empresário escolhe uma região para investir na construção de unidades fabris ou comerciais, e um Deputado Estadual tem que estar atento a elas.

Já falamos na questão anterior da necessidade de implementar o ensino profissional, adequado às necessidades da região, mas essas necessidades não são apenas as que existem no momento: são também aquelas que se tornarão necessárias se uma nova indústria ou comércio se vier a instalar no Baixo Sul.

As autarquias, o pólo regional da Secretaria da Ciência e Tecnologia, as restantes Secretarias Estaduais, e todos os serviços devem colaborar na criação do suporte educacional que novos investimentos vão exigir, e preparar as respostas adequadas à demanda que se vai verificar

O Deputado Estadual deve colaborar ativamente com as prefeituras, independentemente da sua cor ou orientação política, no sentido de obter vantagens fiscais estaduais, e de apoiar as solicitações municipais na concessão de amenidades ao investimento.

O Deputado Estadual deve exercer toda a sua influência política junto dos meios empresariais, órgãos de governo e entidades ligadas a atividade produtiva, transmitindo com veemência as iniciativas que o Baixo Sul vai ter na criação de ensino profissional específico, na melhoria dos acessos marítimos, aéreos e terrestres, e na disponibilidade regional em receber afetuosamente novos investimentos, concedendo todos os apoios e facilidades que sejam, por lei, permitidos.

Fugindo um pouco às perguntas que foram postas, gostaria de referir que pretendo lutar para que sejam retomadas as discussões para a implantação no Baixo Sul, da Universidade Federal do Recôncavo – UFRB – e do campus da UNEB na área do ensino, da implantação do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Polícia Militar na área da segurança, do Centro de Hemodiálise, do Hospital, da Maternidade Regional, e do Samu 192 Regional, na área da saúde, do Centro de Apoio ao Menor em estado de abandono e risco e do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), na área social e das centrais de tratamento de esgotos e de tratamento de lixos, na área do saneamento básico, entre outros.

Por hoje fico por aqui, sempre à sua disposição,

José da Hora

Comentários { 4 }